2ª Leitura Conjunta - Capítulos 3 e 4

2ª Leitura Conjunta
User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

2ª Leitura Conjunta - Capítulos 3 e 4

Postby Samwise » 10 Aug 2005 16:25

Capítulo Três

Depois dos estranhos acontecimentos dos capítulos anteriores...

Domingo: Richard tenta contactar Jessica por telefone. Telemóvel desligado e atendedor de chamadas no telefone fixo. Depreende que ela não quer ver à frente, nem pintado a ouro. Passa o dia sem fazer absolutamente nada de útil e a pensar na reconciliação com a ex-noiva.
Segunda-feira, dia de trabalho: o despertador não toca. Richard, atrasado, tenta chegar ao trabalho através dos transportes públicos. Em vão. Os táxis ignoram-no completamente e no terminal de comboio ninguém parece reparar que ele existe (incluindo o ATM de venda de bilhetes)
Quando chega ao escritório apercebe-se que a sua secretária está a ser esvaziada, como se tivesse sido despedido. Mais estranho ainda, nenhum dos colegas de trabalho parece reconhecê-lo. Na verdade, quase que nem dão pela sua presença.
Julgando tratar-se de uma partida de mau gosto, Richard dirige-se ao escritório de Jessica. Inacreditavelmente, Jessica não o reconhece.
Richard, baralhado e cansado, volta ao seu apartamento. Enquanto está tomar banho alguém entra dentro de casa. Um vendedor de apartamentos e um casal à procura de casa. O vendedor mostra-lhes a casa como se esta estivesse à venda. Richard, embaraçado, tenta balbuciar uma explicação. Os invasores nem notam que ele lá está.
O telefone toca. Mr. Croup informa Richard que, devido às mentiras sobre Door, lhe pretende cortar o pescoço.
Richard cai finalmente na real. Começa a entender o que se está a passar. Arruma alguns mantimentos num saco e deixa o apartamento.
Tenta levantar dinheiro numa caixa multibanco. O cartão é declarado como inválido. Um mendigo que está a passar pede-lhe uma moeda. Alguém que o consegue ver, aparentemente. Richard pede-lhe ajuda e o mendigo, um tal de Aliaster, leva-o para caminhos subterrâneos. Através da escuridão chegam a uma sala ampla, pejada de mendigos estranhos.
Entra em cena Lorde Fala-com-os-ratos, o líder daquela gente toda. Tira um vidro em forma de faca de um dos bolsos e aponta-o ao pescoço de Richard.

Capítulo Quatro

Mr. Croup e Mr. Vandemar recebem novas instruções do seu líder. Não devem matar Door, mas sim capturá-la.
Lorde Fala-com-os-ratos prepara-se para degolar Richard, que tenta a todo o custo justificar que não é um espião da Londres-de-cima. Uma ratazana, Mestre Cauda-Comprida, do clã cinzento, entra na sala e todos de curvam em sinal de respeito. A ratazana ordena que Richard seja deixado em paz e conduzido ao mercado flutuante. Anaesthesia, uma mendiga do "povo" fala-com-os-ratos fica encarregue da tarefa. O caminho é longo e está repleto de perigos.
Door e o marquês de Carabas chegam à antiga casa dela, onde a sua família tivera sido assassinada. Procuram o diário de seu pai. Door consegue sentir emanações nas paredes da casa. São recordações dolorosas e imagens da carnificina perpetrada por Croup e Vandemar. Conseguem encontrar o diário - uma estranha esfera que armazena informação em formato digital - e através dele Door fica a saber que tem de contactar Islington, alguém em quem o pai confiava totalmente.
Mr. Croup e Mr. Vandemar contratam Varney, um mercenário guarda-costas brutal, para lhes trazer Door.
Richard e Anaesthesia chegam a uma misteriosa ponte, envolta em escuridão. Após um incidente com Varney, que também a pretende transpor e que chega ao mesmo tempo que eles, iniciam a caminhada. Junto a eles vai uma desconhecida que aproveita a companhia.
A travessia é um autêntico pesadelo para Richard. A escuridão está viva e atormenta os viajantes. Quando chega ao outro lado Richard dá-se conta que Anaesthesia desapareceu. A única coisa que resta dela é um colar, que Richard mete ao bolso. A mulher desconhecida, que ainda está com ele, conta-lhe que é normal ser assim: a ponte reclama sempre um preço pela sua travessia.


Desculpem lá a forma pouco resumida e um pouco errática do resumo, mas foi o que consegui no pouco tempo que tive.


Vamos à discussão!!!!!!

SamW
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: 2ª Leitura Conjunta - Capítulos 3 e 4

Postby Samwise » 11 Aug 2005 09:44

Já repararam na ideia alegórica das classes sociais que Gaiman separa com a Londres-de-cima e Londres-de-baixo?
Quem vive em cima não vê, ou finge que não vê, ou ignora completamente os habitantes da Londres-de-baixo. São pessoas reais mais invisíveis.
É algo que se passa na nossa realidade contemporânea.

SamW
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Bubbles
Livro Raro
Posts: 1994
Joined: 29 Dec 2004 18:33
Location: Halifax
Contact:

Re: 2ª Leitura Conjunta - Capítulos 3 e 4

Postby Bubbles » 12 Aug 2005 13:00

  Já repararam na ideia alegórica das classes sociais que Gaiman separa com a Londres-de-cima e Londres-de-baixo?


O que mais me espantou foi o pai da Door querer alterar o sistema de classes de Londres-de-baixo. Deve ter sido por isso que foi assassinado... alguém muito poderoso não queria perder o seu poder!!

Nestes capítulos foram levantadas algumas questões interessantes:

- Como é que os assassinos conseguiram entrar na casa, se apenas as pessoas da família o conseguiram fazer?

- Como é que uma pessoa passa de "habitante" de Londres-de-cima para Londres-de-baixo? No caso da Anaesthesia parece ter sido por auxílio das ratazanas, mas como foi no caso do Richard?

- A Door tem de ser capturada viva porque a outra fêmea não tem idade suficiente. Isso não soa nada bem :ph34r:

E só mais uma coisa: Adorei a parte quando Mr. Vandemar não conseguiu tirar o punhal da mão :lol: Lindo!
"Não sou obrigada a jurar obediência às palavras de qualquer mestre" Horácio
"Um coração saudável tem um comportamento caótico"
Joana Augusto's Flick Photostream *** The Ground Beneath My Feet

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: 2ª Leitura Conjunta - Capítulos 3 e 4

Postby Samwise » 12 Aug 2005 15:06

Bubbles wrote: - Como é que os assassinos conseguiram entrar na casa, se apenas as pessoas da família o conseguiram fazer?

Tal como entraram no covil do Varney... não sabemos como! Não foi pela porta... Eles devem ter um poder qualquer de passar através das paredes, ou algo semelhante.

E só mais uma coisa: Adorei a parte quando Mr. Vandemar não conseguiu tirar o punhal da mão :lol: Lindo!


Só de imaginar a cena... Hehehe... ficou agarrado à parede. Também me ri um bocado à custa disso.

SamW
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Dalilah
Comic Book
Posts: 165
Joined: 30 Jun 2005 15:37
Location: Odivelas
Contact:

Re: 2ª Leitura Conjunta - Capítulos 3 e 4

Postby Dalilah » 16 Aug 2005 00:51

Também adorei essa cena.

A mim, a cena que mais me inquietou foi a travessia da ponte. Aqueles pesadelos ou alucinações, e a Anaesthesia ter desaparecido... que será que lhe aconteceu?... A mim pôs-me os cabelos em pé. :stars:
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."<br><br>Cumprimentos,<br><br>Dalilah


Return to “NeverWhere”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 3 guests

cron