Ligeia

3ª Leitura Conjunta
User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Ligeia

Postby Samwise » 25 Oct 2006 10:33

E então?

First Impressions?

Estou curioso para saber o que acharam deste conto - os que lestão a ler Poe pela primeira vez.

Para já posso dizer que engloba em si quase todas as características que definem a escrita de Poe.

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

White_Lady
Dicionário
Posts: 666
Joined: 01 Jan 2005 15:34
Location: Lisboa
Contact:

Re: Ligeia

Postby White_Lady » 25 Oct 2006 16:15

Eu adorei a forma de escrita do Poe. Trás muitos sentimentos ao de cima, sobretudo aqueles mas escuros e sombrios, ou mesmo aqueles sentimentos arrebatadores. Também gostei do ambiente, acho que a descrição do quarto estava fenomenal. Eu senti-me transportada para o local (talvez o vento, todo o temporal, que se fazia sentir ontem à noite tenham contribuído para isso), como se também fosse um espírito que por lá pairasse. :smile:

Gostei bastante do conto, mas não percebi bem como é que as coisas ficaram no final. :huh: Mas talvez seja uma questão de o reler, pois já estava um pouco cansada quando peguei nele.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Ligeia

Postby Samwise » 25 Oct 2006 16:41

Gostei bastante do conto, mas não percebi bem como é que as coisas ficaram no final.

As coisas ficaram... ao critério do leitor!!! :biggrin:

Ou melhor, o que se passaria a seguir, depois da revelação final, fica ao critério do leitor.
De resto, a Lady Ligeia reencarnou no corpo da outra desgraçada. (ou então o tipo estava bem injectado de ópio... :mrgreen4nw:)

Trás muitos sentimentos ao de cima, sobretudo aqueles mas escuros e sombrios, ou mesmo aqueles sentimentos arrebatadores.


Pois. Os personagens dos contos que li dele parecem suportar todo o sofrimento do mundo. Da mesma forma, quando estão alegres com alguma coisa (lol), as descrições dos sentimentos parecem ir beber directamente a fontes da mitologia - vislumbram o paraíso dos deuses.

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

White_Lady
Dicionário
Posts: 666
Joined: 01 Jan 2005 15:34
Location: Lisboa
Contact:

Re: Ligeia

Postby White_Lady » 25 Oct 2006 16:52

Samwise wrote:
Gostei bastante do conto, mas não percebi bem como é que as coisas ficaram no final.

As coisas ficaram... ao critério do leitor!!! :biggrin:

Ou melhor, o que se passaria a seguir, depois da revelação final, fica ao critério do leitor.
De resto, a Lady Ligeia reencarnou no corpo da outra desgraçada. (ou então o tipo estava bem injectado de ópio... :mrgreen4nw:)

Isso eu percebi, mas voltou a viver ou foi apenas uma aparição? Tendo em conta a citação do ínicio, parece-me que ela tenha voltado a viver, o que só mostra uma grande força de vontade em vencer a morte... Eu se fosse o narrador passava a ficar com medo dela... :huh: Deduzo que o espírito dela fosse mais forte que o seu corpo e se tenha agarrado a qualquer coisa para não ir juntamente com ele. Provavelmente ao amor que ele ainda sentia por ela. Mas isso agora coloca outra questão... Segundo o narrador ela era muito culta, tinha um grande conhecimento de todas as coisas, então foi ela que desenvolveu o líquido vermelho? Quando o fez? Ainda em vida ou enquanto esperava que o seu amado se casasse de novo, para depois possuir o corpo da infeliz esposa?

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Ligeia

Postby Samwise » 25 Oct 2006 17:29

A questão das pingas de líquido é um tanto ou quanto esquisita. É algo que me parece desnecessário no conto, porque remete para uma existência necessariamente física para lá da morte (pelo menos de modo a utilizar o nectar).
Ninguém daria por nada se essa parte não constasse da história.

Mas pronto, suponho que sim, que tenha sido ela, suportando-se nos seus grandes conhecimentos de alquimia, e quem sabe, nos conhecimentos adquiridos no outro mundo, a desenvolver a coisa.

Aparição ou não, a vontade de vencer o inevitável está lá todinha, tanto na quote inicial, como no poema que ela recita no leito da morte, como durante o próprio momento da morte...

Outro assunto: já falaste da excelência da descrição do quarto da torre. Não acham que a descrição (física) da própria Ligeia é dos retratos mais perfeitos que já leram?

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Ligeia

Postby Samwise » 25 Oct 2006 17:56

Agora me ocorreu uma coisa:

Esses pingos (e acção de os colocar na bebida) têm uma função muito clara no conto: demonstrar que a Ligeia arquitectou a coisa. Envenenou a Tremaine para lhe roubar a presença.

Grande cabra. Podia ter arranjado outro corpo qualquer... mas nãããão... tinha de limpar o sebo à mulher que o marido escolheu para a substituir! :tongue:

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Bubbles
Livro Raro
Posts: 1994
Joined: 29 Dec 2004 18:33
Location: Halifax
Contact:

Re: Ligeia

Postby Bubbles » 25 Oct 2006 22:04

É a primeira vez que estou a ler Poe e estou definitivamente a gostar :happy:

A escrita, as descrições, o sobrenatural... Fiquei com vontade de ler mais! :stu:
"Não sou obrigada a jurar obediência às palavras de qualquer mestre" Horácio
"Um coração saudável tem um comportamento caótico"
Joana Augusto's Flick Photostream *** The Ground Beneath My Feet

User avatar
Aignes
Enciclopédia
Posts: 858
Joined: 05 Jan 2006 23:59
Contact:

Re: Ligeia

Postby Aignes » 25 Oct 2006 23:17

Gostei bastante de ler este conto.

Não só pelas descrições do ambiente que já referiram, que parece que nos transportam, a sua riqueza em detalhes e cores é muito boa, mas também, como disse o Sam, pela descrição da Ligeia.

É, realmente, das descrições mais bonitas que já li, conseguiu fazer com que eu própria quisesse vê-la e falar com ela, para poder conhecer um pouco da sua perfeição.

Quanto ao final, fica um pouco à escolha do leitor, mas depois de conhecermos a enormidade do amor que os unia, eu penso que só faz sentido que eles tenham, de alguma maneira, ficado juntos. Provavelmente ela apropriou-se do corpo da segunda mulher ainda durante um bom bocado...talvez esperando o momento em que o marido pudesse juntar-se a ela na morte.

Mas ainda não pude apreciar devidamente o conto. Há muitas referências a coisas que eu suponho que façam parte da mitologia, ou mesmo da história e que eu não conheço. Queria primeiro ler sobre isso para poder perceber completamente, porque pelo menos a descrição da Lady Ligeia está repleta desse tipode comparações.
«The force that through the green fuse drives the flower
Drives my green age; that blasts the roots of trees
Is my destroyer.
And I am dumb to tell the crooked rose
My youth is bent by the same wintry fever.»

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Ligeia

Postby Samwise » 26 Oct 2006 09:35

Aignes wrote:Mas ainda não pude apreciar devidamente o conto. Há muitas referências a coisas que eu suponho que façam parte da mitologia, ou mesmo da história e que eu não conheço. Queria primeiro ler sobre isso para poder perceber completamente, porque pelo menos a descrição da Lady Ligeia está repleta desse tipode comparações.


Uma das características da escrita de Poe é precisamente essa (pelo menos está presente em praticamente todos os contos que li dele): descrições "espessas" e bem soculentas, carregadas de referências tanto a assuntos mitológicos como a "luxos estrangeiros" (no caso de se tratar de mobiliário).

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Ligeia

Postby Samwise » 02 Nov 2006 11:04

Gaia!

Há quanto tempo... :smile:

Boa interpretação do Ligeia.

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “Histórias Extraordinárias de Edgar Allan Poe”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron