Desafio de escrita: "Lotaria"

Aberto a todos, quer para colocação de propostas, quer para participação nas mesmas. Atenção: ler regulamento antes de participar.
User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby Samwise » 14 Oct 2008 18:45

Desenvolva um texto que se debruce firmemente em torno da ideia de "Lotaria", "Loto", "Totoloto" ou outros jogos de sorte de cariz semelhante.

Participações individuais, sem regras e sem limites - se quiserem plagiem os trabalhos do outros, se quiserem façam algo de extremamente original (atrevam-se...).

As participações, respostas e comentários devem ser colocados neste mesmo tópico.

Fica aqui um conto para inspiração: http://www.classicshorts.com/stories/lotry.html

Para além da óbvia recompensa e prestígio associados a ter seu conto publicado aqui no BBdE, não há outros prémios previstos.

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby azert » 14 Oct 2008 18:50

Bela boa ideia, Sam! :thumbsup:

Quanto ao prémio, já começo a a habituar-me a ganhar... experiência. :mrgreen4nw:

Que significa, exactamente, "um texto que se debruce firmemente em torno da ideia"?
Image Image

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby Samwise » 14 Oct 2008 19:08

azert wrote:Que significa, exactamente, "um texto que se debruce firmemente em torno da ideia"?


Que seja esse o tema central.

(Já estou a escrever o meu conto. Lembrei-me que era interessante passar a ideia a desafio, para incitar participações, em vez de ser apenas eu a escrever um texto e a colocá-lo aqui.)

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

Pedro Farinha
Edição Única
Posts: 3298
Joined: 03 Apr 2005 00:07
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby Pedro Farinha » 14 Oct 2008 19:10

Podes contar comigo Sam, raramente digo que não a um desafio.

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby azert » 14 Oct 2008 20:14

I'm sure to try. Pelo menos, isso.
Image Image

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby pco69 » 14 Oct 2008 21:39

Pronto!
Casei-me!
E agora?
Como já combinámos, tenho de comprar casa!
Não...
Espera....
Já não é “tenho”!
Agora é “temos”!
Uma lotaria!
Foi uma lotaria tê-la encontrado na Fnac do Colombo!
Foi uma lotaria ela ter tropeçado e caido em cima de mim!
Foi uma lotaria reparar-mos que ambos gostamos de gonçalo m tavares!
Foi uma lotaria, eu ter tido a coragem de falar e perguntar-lhe se queria sair para beber um copo “uma noite destas”!
Foi uma lotaria ela ter aceite e dito que podia ser logo naquele noite!
E ainda bem que ela não sabia que me tinha saído o euromilhões na semana anterior!
Assim isso não influenciou o nosso amor!
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby azert » 14 Oct 2008 21:48

Hummm... "repararmos", o hífen não é para aqui chamado. :rolleyes: (ando numa de auto-proclamada inquisidora ortográfica :devil: )

É impressão minha, ou o texto foi rapidamente despachado? :mrgreen4nw:
Image Image

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby pco69 » 14 Oct 2008 22:04

azert wrote:Hummm... "repararmos", o hífen não é para aqui chamado. :rolleyes: (ando numa de auto-proclamada inquisidora ortográfica :devil: )

É impressão minha, ou o texto foi rapidamente despachado? :mrgreen4nw:

:mrgreen4nw:
não é impressão
foi feito em dois ou três minutos até à parte do encontro, depois fui chamado para ir jantar e quando voltei já faltava um pouco do 'feeling inicial' :mrgreen4nw:
em relação ao repararmos.... é gralha mesmo :mrgreen4nw:

---

acabei à dois minutos de ler o texto que originou esta 'competição'
comecei logo a desconfiar assim que no texto perpassa a noção inicial das crianças a 'juntarem pedras'
as desconfianças.... confirmaram-se.....

no fim fez-me lembrar a 'anedota' dos cinco macacos, da banana pendurada e do duche de agua fria....
(exemplo aqui: http://perdi-goto.motime.com/?from=10)
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
Jorge dos Santos
Encadernado a Couro
Posts: 402
Joined: 14 Aug 2008 10:33
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby Jorge dos Santos » 14 Oct 2008 22:08

pco69 wrote:acabei à dois minutos de ler o texto que originou esta 'competição'


Inquisidora? :devil2:
Saudações sinceras,
Jorge dos Santos

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby azert » 14 Oct 2008 22:11

Um dia tenho de experimentar um h. Devem ser muito saborosos, a avaliar pela quantidade deles comida. :devil:
Image Image

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby pco69 » 14 Oct 2008 22:47

offtopic: GRANDES MELGAS :lol2:
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby Samwise » 15 Oct 2008 13:32

Anjos no Paraíso

"Três... Dezassete... Vinte e um... Vinte e oito..."
Segurava o papel entre os dedos enquanto, de nariz esticado para a frente, soletrava mentalmente a chave pregada no quadro de cortiça, à porta da tabacaria.
"... Trinta e seis... Trinta e sete... Quarenta e cinco... Cinquenta e quatro..."
"Mensoloto - Concurso nº 143 - Julho de 2007," dizia por cima, e, na linha de baixo, aqueles oito números à mão, dentro de quadrados verdes. Aqueles números estalavam, cada um deles, como flashes na sua memória.
"Não é possível," murmurou. "Não pode ser... isto não pode acontecer duas vezes seguidas!"
A garganta pedia pelas alminhas que lhe dessem algo de molhado a engolir e a boca de súbito não tinha nada para lhe passar. O coração do Sr. Pereira também não estava nos melhores dias; parecia fazer um esforço acrescido sem que tal lhe tivesse sido pedido. De lábios secos e queixo caído, o papel da lotaria a fugir-lhe das mãos, o velho ouvia o músculo atirar-se vigorosamente contra as paredes do peito.
"Dona Graça, fachavôr...," disse, virando-se para o balcão. "Isto, aqui assim, estará certo?"
"O que é Sr. Pereira? Está tão branco... Sente-se bem? Quer um copinho de água?"
"É a chave do loto... ESTA chave do loto," e espetou lá o dedo. "Não está certa, pois não?"
Mas estava.
A dona Graça confirmou três vezes, número por número, e ainda ligou para o departamento de controlo e qualidade da SantaCasa para falar com a menina Ivone. Só para ter a certeza. Pelo meio ainda calhou perguntar ao Sr. Pereira se não teria por acaso ganho os milhões, ao que o homem só conseguiu gaguejar: "A chave que saiu esta semana é igual à à minha solução do mês passado!". A dona Graça, habituada aos desabafos dos vizinhos que mês após mês erravam os números por “diferenças mínimas”, encolheu os ombros e disse: "Deixe 'tar, Sr. Pereira, que são coisas da sorte. Vai ver que para o mês que vem corre melhor."
Não haviam sido coisas da sorte.
Foi para casa pensativo, duvidando da imprevisibilidade do destino, praguejando de punho erguido contra a graçola que alguém lá de cima parecia ter querido espalhar às suas custas. Imaginou, na sala por onde Deus espiava os humanos, um grupo de arcanjos reunidos em torno de um plasma gigante, trocando risadas contagiantes e olhares cúmplices com o Criador, todos vendo-o a ele de pernas bambas, a gaguejar a chave à dona Graça. Sacaninhas.
O Sr. Pereira faz parte daquele selecto grupo de humanos que não acredita na existência divina. Nada, nem ninguém, controla os acontecimentos neste mundo. Para ele isso é tudo patranhas, crenças desses estúpidos fracos de espírito. No entanto, sempre que algo de menos favorável se lhe atravessa no caminho, cuida de apontar os canhões ao Todo-poderoso. Coisas dessas não se fazem aos mortais indefesos, brada.
Desde que o Mensoloto começara, há dez ou doze anos atrás, que Sr. Pereira jogava sempre com números ao calhas. Nunca repetia a mesma chave duas vezes. E agora, por dois meses seguidos as suas apostas haviam coincidido, número por número, com chaves dos meses seguintes. Eram coincidências a mais para poderem ser simples coincidências. O bandalho lá de cima tinha tido dedo nisto.
A raiva que levava no rosto não havia escapado ao escrutínio atento do doutor Neves, o vizinho da frente, outro sacaninha, e que ia a sair de casa quando o Sr. Pereira estava a chegar.
"Então Pereira, como vai isso, a vida a correr bem?"
O Pereira prendeu nos lábios, quase à dentada, a vontade de cuspir a história. "Tudo nos conformes, Dr., tudo dentro dos trilhos."
"Isso é que é preciso," - palmada nas costa - "Saúde e fortuna, que o resto vem por acréscimo..."
Como lhe irritava o moralismo de pacotilha daquele indivíduo. E que ares de superior lhe deitava. Um destes dias ia ver como era.
Em Agosto, o Sr. Pereira mudou de táctica. Em vez da chave aleatória habitual, copiou cuidadosamente os números com que havia jogado em Julho. Pela lógica das coisas, o futuro apresentava-se risonho, radioso. Cheio de “saúde e fortuna” - o resto viria por acréscimo.
No dia seguinte ao do sorteio, o caso fez primeiras páginas em todos os jornais. Nunca na história da lotaria, dessa ou de outra qualquer, haviam saído duas chaves idênticas em sorteios seguidos.
Se provas palpáveis necessitava para tirar conclusões de que alguém se andava a divertir às suas custas, ei-las agora. O Sr. Pereira rasgava os jornais, espumava de irritação, e os anjos lá de cima rebolavam pelo chão, aparando nos cotovelos as suaves barrigas, tornadas rígidas pela força das gargalhadas. O padrão causa-efeito - ou efeito-causa, no caso concreto -, embora desvirtuado desta vez pela alteração do hábito de jogo do Sr. Pereira, parecia manter-se pelo terceiro mês consecutivo: a chave que saía em sorteio correspondia à última aposta - não vencedora - por si feita anteriormente.

Em Setembro, e seguindo um plano criteriosamente elaborado, o Sr. Pereira repetiu cada uma das chaves que havia usado em cada um dos 144 sorteio em que participara. Era daqueles que guardava cópias de todos os canhotos, não sabia muito bem para quê. Foi ao banco, levantou as poupanças acumuladas ao longo de trinta anos de custosas privações, e surpreendeu a dona Graça com um molho de papéis de aposta. "Desta vez eles vão ver com quem se meteram. Com o Pereira ninguém brinca," rematou enquanto pagava, deixando à pobre senhora a ingrata incumbência de imaginar quem eram os "eles" a que se referia.
Dessa vez, e repondo uma normalidade que sempre fora distinção implícita no concurso, saiu uma chave que nunca havia saído anteriormente. Num pequeno quadrado escondido nas páginas sociais do "Diário de Notícias", no dia seguinte, o Sr. Pereira leu que a sorte e fortuna haviam calhado por inteiro a um tal de Armando Neves, médico de profissão.
Sacaninha. Sacaninhas...


Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

Pedro Farinha
Edição Única
Posts: 3298
Joined: 03 Apr 2005 00:07
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby Pedro Farinha » 15 Oct 2008 14:14

Muito bom Sam.

Como é teu costume a tua mente imagina "coisas do arco da velha" e depois consegues descrever muito bem a forma como os personagens, normais, reagem a essas situações. Um pouco à la Saramago, que imagina "e se houvesse um homem duplicado ", e se "as pessoas deixassem de morrer" e se " a península ibérica se despegasse do continente fosse pelso mares fora" e depois põe comuns mortais a regirem humanamente a essas "partidas" do destino.

Tal como acontece aqui com o Sr. Pereira, pobre vítima, do sentido de humor perverso dos anjos. Para além da trama acho que a escrita está muito bem, por exemplo:

A garganta pedia pelas alminhas que lhe dessem algo de molhado a engolir e a boca de súbito não tinha nada para lhe passar. O coração do Sr. Pereira também não estava nos melhores dias; parecia fazer um esforço acrescido sem que tal lhe tivesse sido pedido. De lábios secos e queixo caído, o papel da lotaria a fugir-lhe das mãos, o velho ouvia o músculo atirar-se vigorosamente contra as paredes do peito.


e já agora... muito boa ideia esta dos desafios, espero que as participações sejam bastantes.

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby azert » 15 Oct 2008 17:08

Samwise wrote:Imaginou, na sala por onde Deus espiava os humanos, um grupo de arcanjos reunidos em torno de um plasma gigante, trocando risadas contagiantes e olhares cúmplices com o Criador, todos vendo-o a ele de pernas bambas, a gaguejar a chave à dona Graça. Sacaninhas.

Se provas palpáveis necessitava para tirar conclusões de que alguém se andava a divertir às suas custas, ei-las agora. O Sr. Pereira rasgava os jornais, espumava de irritação, e os anjos lá de cima rebolavam pelo chão, aparando nos cotovelos as suaves barrigas, tornadas rígidas pela força das gargalhadas.


Impagável, Sam! :rofl:
Consigo imaginar o quiosque de bairro e toda a vizinhança a partir das invocações de algumas das suas personagens. :thumbsup:
Image Image

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Desafio de escrita: "Lotaria"

Postby Samwise » 15 Oct 2008 17:23

:notworthy:

A "ideia do arco da velha" já vos surgiu também de certo: e se a chave do totoloto desta semana fosse aquela que utilizaram da última vez? Como reagiriam?

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “Desafios BBdE”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 3 guests

cron