Burrico 600

O lugar onde são arquivados os textos mais antigos de membros ainda sem espaço próprio.
chinaski
Encadernado a Couro
Posts: 417
Joined: 04 Feb 2008 15:14
Location: Lisboa
Contact:

Burrico 600

Postby chinaski » 07 Dec 2008 23:32

António conduzia a sua Mula TDI pachorrentamente de volta à cidade. Ao contornar uma curva avistou na chuva o contorno brilhante de um triângulo - Eh lá. Temos acidente - . Esporeou a fundo a sua pileca e dirigiu-se, por entre chuva cada vez mais intensa, ao sinal luminoso.
Em chegando ao local do suposto acidente, António apeou-se e divisou vivalma. Chamou por alguém, assobiou, nada. Foi quando já se preparava para seguir caminho que, de algures no nevoeiro, ouviu o zurrar de um burro. Hesitou um pouco, aborrecido: a inércia impelia-o a ir-se embora. No entanto compadeceu-se; dirigiu-se à fonte daqueles zurros e não tardou a encontrar a sua origem. Na berma da estrada, deparou-se com um burrico - da classe 600 - emperrado num tojal. A seu lado, uma mulher tentava desesperadamente acalmar o seu animal em vão. António não pode deixar de sorrir perante tal cenário patusco, a mulher bem tentava acalmar aquela azémola podre, mas estava tão atarentada que mais parecia uma marioneta sem deus. Não demorou a perceber o que se passava: A pata direita do animal estava coberta de sangue que escorria copiosamente do seu fémur, atravessado, de lado a lado, por uma flecha côr-de-rosa.

Então minha senhora, furou o pneu do animal?

Nem me diga nada! Estava tudo calmo e eu nem ia em excesso de velocidade quando o raio do burro estaca a zurrar à desfilada. E, para mal dos meus pecados, não tenho jeito nenhum para mudar as patas ao animal.

Ora, não seja por isso, vamos já tratar do caso.

António torceu a orelha direita do animal raquítico e o cu e os olhos do burro começaram a emitir uma luz laranja e intermitente qual farol no nevoeiro.

tac tac tac tac tac tac....

Solta a cilha e com um clique da orelha esquerda, António abriu o dorso do burro e de lá retirou uma seringa de óleo sedante, um cutelo, uma pata sobresselente e um macaco - Um Rhesus 1000 magro, de pelo pardo-desuso, cãs brancas e bastante contrariado.
A senhora tentava acalmar o jerico com festas de cabo a rabo e palavras doces.

Calma, já passa.

Segure no cabresto do animal senão vamos ter de chamar reboque, avisou António.

Calma, já passa.

António injectou o óleo sedante à ilharga do burro. Não estivesse encalacrado pela dor que o acometia e o sangue perdido e o burro teria disparado a toda a brida pela mata a dentro. Ao invés, gemeu sem força. Sem mais demoras - O óleo sedante faz efeito imediatamente sobre o sistema nervoso de um animal deste modelo - António colocou o macaco aborrecido no chão por debaixo da axila do burrico, esticou-lhe o braço e, com o pé, bombeou energia para o seu outro braço curvado em ângulo e rematado em mão de palma aberta.

rac rac rac rac rac rac rac rac rac rac rac tlac

Com uma cutelada ríspida, caiu a pata deixando veias e artérias burrifando-se na bruma.

brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

Felizmente, apesar de velho, o chasis do burro obedecia às normas mais elementares de encaixe e assemblagem de peças danificadas pelo que bastou atar as veias e artérias do chasis às da pata sobresselente e encaixar a pata no corpo do animal com um torção forte.

Catlac

Imediatamente o coração do burrico amainou para o relantim e deu à pata nova para recuperar o equilíbrio. Estava bom como velho novo.

António desapertou o macaco que já suava de esforço mostrando gengivas podres e caninos partidos.

Pronto minha senhora, já está. Viu como é que se faz?

Sim, muito obrigado! Nem imagina o peso que me tirou das costas!

Vá, não tem de agradecer, até qualquer dia.

Despediram-se. António voltou à sua pileca estacionada na berma da estrada. O Sol agora brilhava e com um puxão de cauda, António arrancou para a cidade.

User avatar
Aignes
Enciclopédia
Posts: 858
Joined: 05 Jan 2006 23:59
Contact:

Re: Burrico 600

Postby Aignes » 08 Dec 2008 00:22

Este é dedicado ao grayfoxpt? :mrgreen4nw:

Está engraçado, e o tipo de vocabulário e expressões adequa-se muito bem à narrativa. Gostei particularmente do Rhesus :rolleyes:
«The force that through the green fuse drives the flower
Drives my green age; that blasts the roots of trees
Is my destroyer.
And I am dumb to tell the crooked rose
My youth is bent by the same wintry fever.»

Pedro Farinha
Edição Única
Posts: 3298
Joined: 03 Apr 2005 00:07
Contact:

Re: Burrico 600

Postby Pedro Farinha » 08 Dec 2008 12:14

Também gostei, e apesar da gasolina estar a baixar de preço, os cereais estão a baixar muito mais pelo que com a crise que aí vem, qualquer dia estamos todos à porta da burro-europa a comprar novos modelos de asnos.


Return to “Arquivo”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron