Concerto de Violino Tchaikovsky

User avatar
zé.chove
Encadernado a Couro
Posts: 410
Joined: 29 Oct 2007 16:39
Location: Lisboa
Contact:

Concerto de Violino Tchaikovsky

Postby zé.chove » 27 Oct 2009 12:27

1º Andamento

Violinos em fuga ladinos,
agito os braços com estrépito,
vibro louco na melodia,
toda a orquestra grita,
solo quente extasiado,
novo mel acariciado,
nas crinas finas do cavalo,
chora agora desesperado,
deixo me levar na onda sentimental.

Torço sobre o meu peito,
imagino vagas formas ondulando,
lágrimas só para mim guardo,
marcha rubra marcial,
salto berro como um animal,
técnica pianíssimo inatingível,
gota a gota plange destroçado.

Suave agora cai o sangue derramado,
tropelias de criança cabriolas,
sobe o ritmo volupto em argolas,
grinaldas brilhos fugazes,
esplendor emotivo rasga a carne.
Doce violino balança,
acompanha minha lúgubre dança,
voamos os dois nus sobre a cidade,
na escura solidão da noite,
agita-te tu agora que me guardo,
para o grande final,
explosões de cor gritos roucos,
cavalgada gloriosa triunfal,
palmas júbilo real.

2º Andamento

Solta agora lamúrios dolentes.
Ruas tristes de madrugada,
oiço o teu lamento,
não sei onde estás deitada.

Lágrimas pueris na colcha doente,
beijaria teus pés de brancura imaculada,
para tentar reparar tua angústia latente.

Choras alto acordas o prédio,
seguro, também eu de rosto húmido,
o teu soluçante ventre,
assim adormeceremos abraçados,
no tapete vermelho e gasto.

3º Andamento

Alegria jovem renascida,
stacatto investido toureiro,
gazela pinchando pelos prados.

Sol forte e quente, coisas miúdas fugidias,
descansamos por momentos á sombra fresca dum carvalho,
mas saltas matreira,
estás apaixonada,
mel nos teus olhos de gata parda,
afago teu longos caracóis,
silêncio a dois.

Riachos gritam animados o fim da tarde,
aldeia branca em festa,
diligência bruta cavalgante,
velho pisco entrevado,
miúdos pipilando.

Flautas agudas frias,
tudo nos passou pelos pensamentos,
chegas-te mais dengosa,
beijos bravos apaixonados,
escapas doida aos pulos com tua saia de balão,
corro ágil folgazação,
escondido nas árvores em tua perseguição,
quase quase que te apanho,
enlaço doido o teu ventre de vespa,
dou-te um beijo...

Return to “Zé Chove”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest