Inclino

User avatar
zé.chove
Encadernado a Couro
Posts: 410
Joined: 29 Oct 2007 16:39
Location: Lisboa
Contact:

Inclino

Postby zé.chove » 23 Dec 2009 16:03

Verifiquei vários versos de dez
Sílabas assentei-as sossegadas
Lado a lado alinhadas paralelas
Bastiões de xisto ferrugem lascas

Espartilhei a natureza em talhões
Ortogonais rasguei rectos caminhos
Forçando serras urzes aluviões
Lavrei a verdade em palavras minhas

Oh preguiça que afogas os desígnios
Semeias a discórdia no império
Vacinas o terreno de cizânia

Exangue me exijo sem jactância
Inclino contra as em forças declínio
Um homem morto de alma poeta

croquete
Edição Limitada
Posts: 1038
Joined: 11 Feb 2009 16:29
Contact:

Re: Inclino

Postby croquete » 23 Dec 2009 18:27

Muito bom.

:thumbsup:

Dos que mais apreciei.
Existe uma componente de força que se prolonga depois da leitura. Acho que é assim devido à relação entre os verbos e os adjectivos empregados. É algo de que gosto especialmente.

Pedro Farinha
Edição Única
Posts: 3298
Joined: 03 Apr 2005 00:07
Contact:

Re: Inclino

Postby Pedro Farinha » 23 Dec 2009 19:32

Também gostei, pelo menos da interpretação que fiz :wink: a maneira como o rigor da métrica castra a verdadeira alma poética.

User avatar
zé.chove
Encadernado a Couro
Posts: 410
Joined: 29 Oct 2007 16:39
Location: Lisboa
Contact:

Re: Inclino

Postby zé.chove » 24 Dec 2009 02:40

Obrigado pela visita e pelos comments. Sinto-me alentado. Essa interpretação é interessante, é diferente da minha.


Return to “Zé Chove”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron