Page 1 of 1

Geometrias

Posted: 04 Sep 2010 14:33
by Ripley
Cruzámo-nos em queda livre
e orbitámo-nos em contemplação
admiraste as minhas incontadas faces
e tridimensional como sempre fui
imaginei-me icosaedro para ti

Mas tu, tu procuravas um fractal
e eu nunca fui modelo homogéneo
partiste além das nebulosas
em busca da perfeição plana
minusculamente reflectida
em dendrites replicadas

Hoje sei-me fulerite
nas minhas dimensões complexas
roda a pureza além do diamante
qual futebola de cristal,
nanocarbónica onda-partícula
à espera do teu toque
para viajar para lá da luz

Re: Geometrias

Posted: 04 Sep 2010 16:58
by elsefire
Acho que o poema é enxuto e bem escrito, num português, que me agrada.
Mas falta-lhe algo: a imagem, a metáfora usada de modo sóbrio, parece-me.
Parece-me um poema honesto e humilde na medida que não recorre a processos de linguagem complicados e longos, para expressar simplicidades(isto tenciona ser um elogio).