Black Rain

User avatar
Gaminha
Edição Limitada
Posts: 1363
Joined: 10 Jun 2009 16:53
Location: Porto
Contact:

Re: Black Rain

Postby Gaminha » 19 Oct 2009 16:48

annawen wrote:
Gaminha wrote:
annawen wrote:Aí já não tenho tanta certeza, se as chapas fossem de dólares... Mas... who cares... como a personagem é inexistente, não interessam as motivações dela.


e são de dólares... mas não acho que interfira.


Tinha a ideia que eram de ienes.



As notas que Nick rouba de cima da mesa são notas de dólares. E quase de certeza de 100 dólares.

User avatar
Lovecraft
Dicionário
Posts: 611
Joined: 17 Jun 2009 14:09
Location: Porto
Contact:

Re: Black Rain

Postby Lovecraft » 19 Oct 2009 16:57

"Black Rain" resistiu mal ao tempo.

As personagens estão mal "desenhadas" e os actores estão muito longe dos seus melhores momentos.

Exceptuando alguns momentos de boa fotografia que em muito me lembraram as paisagens urbanas de "Blade Runner", sem terem contudo a mesma força e exuberância, o filme surge como uma colagem de elementos que o mais das vezes não é possível juntar.

User avatar
grayfox
Edição Única
Posts: 4203
Joined: 01 Jul 2008 16:20
Location: Braga
Contact:

Re: Black Rain

Postby grayfox » 19 Oct 2009 16:59

Eu acho que a interpretação do Michael Douglas está assim assim, mas a própria personagem esta mal desenvolvida.
O inicio do filme dá-nos a entender que ele é um badass, entrando na corrida de moto e depois mostrando-o na audiência. Alude para a ideia de um policia mauzão, pouco interessado em fazer bem o seu trabalho. Mas depois ao longo do filme vemos o contrário, quer recapturar o mau mesmo estando fora da sua jurisdição e mesmo tendo pouca culpa na sua fuga (a meu ver). Não rouba o dinheiro, não mata o vilão. A mim parece-me um cordeiro que tenta vestir a pele de lobo mas não consegue, mesmo a maneira como admite ter ficado com dinheiro é um pouco lamechas e pouco compatível com a ideia badass que tentaram passar dele.

ps: então um filme deste género e nem uma única cena de coiso e tal? pensei que com a Capshaw fosse haver ramboia mas, um único beijo?
A melhor assinatura chinesa da actualidade.

User avatar
Lovecraft
Dicionário
Posts: 611
Joined: 17 Jun 2009 14:09
Location: Porto
Contact:

Re: Black Rain

Postby Lovecraft » 19 Oct 2009 17:01

Gaminha wrote:
annawen wrote:
Gaminha wrote:[quote="annawen"]Aí já não tenho tanta certeza, se as chapas fossem de dólares... Mas... who cares... como a personagem é inexistente, não interessam as motivações dela.


e são de dólares... mas não acho que interfira.


Tinha a ideia que eram de ienes.



As notas que Nick rouba de cima da mesa são notas de dólares. E quase de certeza de 100 dólares.
[/quote]

As chapas são de notas de 100 dólares.

Mais uma razão para as não entregar.

Essa colagem a que tenha adoptado um código de honra é imbecil neste contexto.


Ridley comete o mais das vezes estes erros de "análise".

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Black Rain

Postby Samwise » 19 Oct 2009 17:04

Gaminha wrote:Algumas gaffes que gostava de discutir com vocês, pois parecem-me erros:

00:58:30 - Charlie corre atrás do homem que lhe rouba o casaco, é encurralado pelas motas. Nick corre atrás mas fica separado de Charlie, assistindo assim à sua morte sem poder fazer nada.
Mesmo não conhecendo a garagem onde eles se encontram, parece estranho Nick não conseguir encontrar a mesma entrada que momentos antes Charlie utilizou. Não é impossível, mas fica estranho. E o que incomoda é ser fácil de resolver. cenário possível: corre-se a rede de separação só depois de Charlie passar (tendo lá alguém previamente à espera).


É um atalho no argumento, para permitir que acena decorra daquela maneira. Mas é a tal coisa: o Charlie seguiu a mota por um caminho e o Nick, que vinha muito atrás, seguiu por outro..

A faca que o "gajo" da mota puxa aparenta ser uma faca pequena e depois vês-se um sabre. Só mesmo frame a frame é que parece a mesma faca.
A parte em que o Sato saca da arma dá a ilusão que é uma faca, mas é mesmo ilusão da claridade.


1:15:00 - Nick e Mas perseguem a rapariga do vestido de lantejolas. à porta do Banco, quer a rapariga, quer Mas chamam "TAXI". Será que em japonês os taxis se chama taxis?


No ideia.

1:22:00 - Nick encontra-se numa fabrica a perseguir uma mota. Nick é tão bom, mas tão bom, que consegue correr tanto como a mota, conhece atalhos de uma fabrica onde acaba de chegar e quase que corre mais depressa do que o proprio camião.


Nada de muito anormal num filme deste género. :mrgreen4nw:


1:40:00 - Num cenário em que os 5 maiores chefes da mafia da zona (se não do país) se encontram para realizar negócios, há falta de segurança? Não é nem possível, nem plausível. Traição por parte de Sato é provável, no entanto Nick e Mas conseguem aproximar-se da casa sem serem vistos. O perímetro de segurança teria de ser enorme.Para alem disso temos os agricultores que afinal são pessoal infiltrado. Está parte está toda ela caótica.


Vide comentário acima. Neste caso, a coisa toma contornos caricatos. Há uma outra cena, quando o tiroteio começa, em que se vê os guarda-costas todos junto ao carros a começarem a disparar. Estavam todos a dormir até esse instante?

Logo a sair Sato corta o dedo, levanta-se e aproxima-se do outro chefe da máfia. Tendo em conta que ele foi revistado à entrada com detector de metais, só pode estar a usar a faca que acaba de usar para cortar o próprio dedo
Certo. Só pode ser essa faca.

( bem vou dar esta de barato, podemos sempre imaginar que ele é muito habilidoso, e que ninguém na mesa reparou que ele levou a faca com ele, alem de esta não estar dentro do casaco, mas em algum sitio estranho entre a perna e a mesa talvez).

Ele leva a faca na mão direita, mas a os planos de imagem nunca mostram a mão.
É uma sequência completamente inverosímil.

No entanto a faca está sem sangue:
Pode Tê-la limpo entretanto. Para teres reparado neste pormenor, tiveste de andar frame a frame com o filme. Grande maluca... :biggrin:

Quando começa o tiroteio, Sato corre em direcção da porta e depois salta na outra direcção. Ele nesta altura não pega nas chapas de falsificação, o que não faz sentido, mesmo estando simplesmente preocupado a fugir, ele acaba de arriscar tudo. Como é quer deixa as "placas" de falsificação para trás? E depois no fim do filme, Nick já as tem? Então pressupõe-se que afinal era mesmo Sato que as roubou. Confuso.


Duas hipóteses: ou foi o Sato, ou foi o Douglas. A mais lógica é ter sito o Sato. Ele foi ao encontro para roubar a outra chapa. No momento em que foge, subentende-se que leva as chapas consigo. Da maneira como o filme está montado, ficamos com a sensação de que nenhum deles tem tempo para pegar nas placas. Podemos imaginar que na sequência da faca espetada na mão, o Sato tenha pegado nas placas.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Black Rain

Postby Samwise » 19 Oct 2009 17:10

grayfox wrote:ps: então um filme deste género e nem uma única cena de coiso e tal? pensei que com a Capshaw fosse haver ramboia mas, um único beijo?


Não sei, não. Há, pelo menos, a sugestão de que qualquer coisa mais se passa em casa dela, depois da morte do Charlie.

Esperemos pelo Director's Cut.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
grayfox
Edição Única
Posts: 4203
Joined: 01 Jul 2008 16:20
Location: Braga
Contact:

Re: Black Rain

Postby grayfox » 19 Oct 2009 17:14

Samwise wrote:
grayfox wrote:ps: então um filme deste género e nem uma única cena de coiso e tal? pensei que com a Capshaw fosse haver ramboia mas, um único beijo?


Não sei, não. Há, pelo menos, a sugestão de que qualquer coisa mais se passa em casa dela, depois da morte do Charlie.

Esperemos pelo Director's Cut.


Quando o Charlie morre há uma transição um tanto ou quanto esquisita versão que vi. Tenho de rever.
A melhor assinatura chinesa da actualidade.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Black Rain

Postby Samwise » 19 Oct 2009 17:15

Lovecraft wrote:
Gaminha wrote:
annawen wrote:[quote="Gaminha"][quote="annawen"]Aí já não tenho tanta certeza, se as chapas fossem de dólares... Mas... who cares... como a personagem é inexistente, não interessam as motivações dela.


e são de dólares... mas não acho que interfira.


Tinha a ideia que eram de ienes.



As notas que Nick rouba de cima da mesa são notas de dólares. E quase de certeza de 100 dólares.
[/quote]

As chapas são de notas de 100 dólares.

Mais uma razão para as não entregar.

Essa colagem a que tenha adoptado um código de honra é imbecil neste contexto.

Ridley comete o mais das vezes estes erros de "análise".
[/quote]


Não vejo qualquer problema nesse ponto.

As notas são de 100 dolars. O Nick pega nelas seguindo um "hunch" - achou estranho ver ali aquelas notas e resolveu tentar perceber se eram falsificadas. A única forma que encontrou de fazer isso, na hora, foi meter umas ao bolso e queimar uma na rua.

O código de conduta de honra perante os colegas parece-me forte o suficiente para justificar a atitude dele perante o Mas - não se faz queixinhas ao chefe sem se falar primeiro com o parceiro.

O Mas, influenciado por aquilo que conhecida da reputação de Nick, julgou pura e simplesmente que ele estava a roubar dinheiro.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
grayfox
Edição Única
Posts: 4203
Joined: 01 Jul 2008 16:20
Location: Braga
Contact:

Re: Black Rain

Postby grayfox » 19 Oct 2009 17:18

Em relação a não ter ficado com as placas para si, acho que está consistente com o personagem/carneiro que já mencionei. Não percebo porque que não as entregou "oficialmente", entregando em vez disso ao Mas.
A melhor assinatura chinesa da actualidade.

User avatar
annawen
Livro Raro
Posts: 1953
Joined: 18 Jan 2006 11:34
Location: Gaia
Contact:

Re: Black Rain

Postby annawen » 19 Oct 2009 17:31

Samwise wrote:Ao longo do filme dei comigo a pensar que era mesmo um actor escolhido à medida para o papel. Em relação à personagem, acho-a rica e bem desenvolvida, muito longe de ser superficial: um cowboy (como ele chama ao Mas, no fim) urbano, impulsivo e irresponsável, mas também dedicado e eficaz no seu trabalho, mesmo que por vezes meta a pata na poça. A cena de início, em que ele entra numa corrida de forma impulsiva, e a maneira sem escrúpulos como recebe o dinheiro da aposta , sem se preocupar minimamente com o outro tipo, ou com o perigo da manobra que fez, colocam logo alguns pontos nos "ís" - e logo depois descobrimos que ele é polícia ( :blink:).


E eu a pensar que a cena do início aparece só para justificar a cena da perseguição final... :whistling: Sim, é mais um cowboy (boring).

A questão da corrupção é precisamente aquilo que lhe dá espessura - a ambiguidade que em o expectador se encontra até quase final do filme, porque conhece duas realidades diferentes e não as consegue enquadrar: uma em que ele é fiel e leal para com os seus amigos e para com a profissão, e a outra mais sombria, que não augura bom coisa.


Sinceramente, não vi nada disso no filme. Sei lá se ele é "fiel e leal aos amigos.": a morte do Andy Garcia é plot device para pôr as coisas a andar. Não senti nenhuma especial amizade entre eles. Nem entre ele e o japonês. À profissão não é certamente, senão não era corrupto.

Não sei se intenção era fazer um noir ou não, mas se era, não se dá por muito por isso e daí que a comparação com os velhos códigos de conduta do género seja um pouco irrelevante (interessante mas irrelevante).
Bem eu disse "este filme pretende ser um neo-noir", não um noir. E mantenho. Precisamente na realização dos espaços. Agora se essa foi a intenção verdadeira do Ridley Scott, já não sei. Só posso dizer que a minha ideia é uma leitura possível para abordar o filme. Logo, não me parece que seja irrelevante. Aliás, adianto: parece-me ser uma tentativa de misturar dois géneros: o noir e a pop.

Não é por falta de adequação a esse modelo que o personagem perde o interesse.


Não foi isso que quis dizer. O que quis dizer é que há uma componente pop na personalidade do detective que não casa bem com o noir, pelo menos neste caso. Mas a tentativa tem interesse (a tentativa, não a personagem). Isto na minha leitura, é claro. Daí ter colocado nos pontos interessantes.

Desenvolvendo a questão da culpa e da redenção: acho que no momento em que revela a Mas que recebeu dinheiro - nesse preciso momento - é que se arrepende verdadeiramente. Nessa altura leva com a realidade em cima, uma realidade que carrega um fardo pesado e que lhe diz que já não se pode redimir perante Charlie, e que lhe diz que daí para a frente vai ser um polícia bem comportado. O final do filme, em que se coloca perante um dilema: matar o criminoso que lhe assassinou o colega ou entragá-lo à polícia, reforça essa ideia.


Não sei. É possível que se arrependa. Não há nada na interpretação do Michael Douglas que confirme a ideia. Na realidade não interessa muito, ou melhor, não me interessa muito. Para mim, a personagem é vazia.

Encontrei uma crítica do Roger Eberts que diz exactamente o que penso do filme. Alguns extractos:

"I've seen Osaka in a lot of movies, but it's never looked quite like this before, not even in violent thrillers. The director, Ridley Scott, must have been bewitched by memories of the futuristic Los Angeles he created for "Blade Runner" (1982). The difference is that in "Blade Runner" the characters inhabited their city, and in "Black Rain" they are crushed by it. The production design (by Norris Spencer) is so overwhelming that the characters seem lost and upstaged; frequently the humans are not even the most interesting things on the scene."

Precisamente, as pessoas não são o ponto importante do filme. O problema é que não existe relação entre as pessoas e o cenário.

"The story of "Black Rain" is thin and prefabricated and doesn't stand up to much scrutiny, so Scott distracts us with overwrought visuals."

"Even given all of its inconsistencies, implausibilities and recycled cliches, "Black Rain" might have been entertaining if the filmmakers had found the right note for the material. But this is a designer movie, all look and no heart, and the Douglas character is curiously unsympathetic. He plays it so cold and distant that the heartfelt scenes ring false."

User avatar
Lovecraft
Dicionário
Posts: 611
Joined: 17 Jun 2009 14:09
Location: Porto
Contact:

Re: Black Rain

Postby Lovecraft » 19 Oct 2009 17:33

Samwise wrote:
Lovecraft wrote:
Gaminha wrote:[quote="annawen"][quote="Gaminha"][quote="annawen"]Aí já não tenho tanta certeza, se as chapas fossem de dólares... Mas... who cares... como a personagem é inexistente, não interessam as motivações dela.


e são de dólares... mas não acho que interfira.


Tinha a ideia que eram de ienes.



As notas que Nick rouba de cima da mesa são notas de dólares. E quase de certeza de 100 dólares.
[/quote]

As chapas são de notas de 100 dólares.

Mais uma razão para as não entregar.

Essa colagem a que tenha adoptado um código de honra é imbecil neste contexto.

Ridley comete o mais das vezes estes erros de "análise".
[/quote]


Não vejo qualquer problema nesse ponto.

As notas são de 100 dolars. O Nick pega nelas seguindo um "hunch" - achou estranho ver ali aquelas notas e resolveu tentar perceber se eram falsificadas. A única forma que encontrou de fazer isso, na hora, foi meter umas ao bolso e queimar uma na rua.

O código de conduta de honra perante os colegas parece-me forte o suficiente para justificar a atitude dele perante o Mas - não se faz queixinhas ao chefe sem se falar primeiro com o parceiro.

O Mas, influenciado por aquilo que conhecida da reputação de Nick, julgou pura e simplesmente que ele estava a roubar dinheiro.
[/quote]


O único código de conduta do Nick é de fidelidade aos companheiros, mas porque espera dele o mesmo quando faz um fananço. Uma mão lava a outra.

As questões éticas são-lhe completamente alheias.

O correcto teria ter ficado com as placas ou tirar porveito com a sua entrega.

User avatar
annawen
Livro Raro
Posts: 1953
Joined: 18 Jan 2006 11:34
Location: Gaia
Contact:

Re: Black Rain

Postby annawen » 19 Oct 2009 17:36

grayfox wrote:ps: então um filme deste género e nem uma única cena de coiso e tal? pensei que com a Capshaw fosse haver ramboia mas, um único beijo?


A mulher está lá só para entregar o papel com informação qualquer sobre o chefe Yakusa. É mais uma figura de cartão.

Mas lembrei-me de outro cenário fixe: o "campo" de golfe. Bem que o jap podia ter espetado com o herói lá em baixo... :devil2:

User avatar
Lovecraft
Dicionário
Posts: 611
Joined: 17 Jun 2009 14:09
Location: Porto
Contact:

Re: Black Rain

Postby Lovecraft » 19 Oct 2009 17:43

annawen wrote:
Samwise wrote:Ao longo do filme dei comigo a pensar que era mesmo um actor escolhido à medida para o papel. Em relação à personagem, acho-a rica e bem desenvolvida, muito longe de ser superficial: um cowboy (como ele chama ao Mas, no fim) urbano, impulsivo e irresponsável, mas também dedicado e eficaz no seu trabalho, mesmo que por vezes meta a pata na poça. A cena de início, em que ele entra numa corrida de forma impulsiva, e a maneira sem escrúpulos como recebe o dinheiro da aposta , sem se preocupar minimamente com o outro tipo, ou com o perigo da manobra que fez, colocam logo alguns pontos nos "ís" - e logo depois descobrimos que ele é polícia ( :blink: ).


E eu a pensar que a cena do início aparece só para justificar a cena da perseguição final... :whistling: Sim, é mais um cowboy (boring).

A questão da corrupção é precisamente aquilo que lhe dá espessura - a ambiguidade que em o expectador se encontra até quase final do filme, porque conhece duas realidades diferentes e não as consegue enquadrar: uma em que ele é fiel e leal para com os seus amigos e para com a profissão, e a outra mais sombria, que não augura bom coisa.


Sinceramente, não vi nada disso no filme. Sei lá se ele é "fiel e leal aos amigos.": a morte do Andy Garcia é plot device para pôr as coisas a andar. Não senti nenhuma especial amizade entre eles. Nem entre ele e o japonês. À profissão não é certamente, senão não era corrupto.

Não sei se intenção era fazer um noir ou não, mas se era, não se dá por muito por isso e daí que a comparação com os velhos códigos de conduta do género seja um pouco irrelevante (interessante mas irrelevante).
Bem eu disse "este filme pretende ser um neo-noir", não um noir. E mantenho. Precisamente na realização dos espaços. Agora se essa foi a intenção verdadeira do Ridley Scott, já não sei. Só posso dizer que a minha ideia é uma leitura possível para abordar o filme. Logo, não me parece que seja irrelevante. Aliás, adianto: parece-me ser uma tentativa de misturar dois géneros: o noir e a pop.

Não é por falta de adequação a esse modelo que o personagem perde o interesse.


Não foi isso que quis dizer. O que quis dizer é que há uma componente pop na personalidade do detective que não casa bem com o noir, pelo menos neste caso. Mas a tentativa tem interesse (a tentativa, não a personagem). Isto na minha leitura, é claro. Daí ter colocado nos pontos interessantes.

Desenvolvendo a questão da culpa e da redenção: acho que no momento em que revela a Mas que recebeu dinheiro - nesse preciso momento - é que se arrepende verdadeiramente. Nessa altura leva com a realidade em cima, uma realidade que carrega um fardo pesado e que lhe diz que já não se pode redimir perante Charlie, e que lhe diz que daí para a frente vai ser um polícia bem comportado. O final do filme, em que se coloca perante um dilema: matar o criminoso que lhe assassinou o colega ou entragá-lo à polícia, reforça essa ideia.
Não sei. É possível que se arrependa. Não há nada na interpretação do Michael Douglas que confirme a ideia. Na realidade não interessa muito, ou melhor, não me interessa muito. Para mim, a personagem é vazia.

Encontrei uma crítica do Roger Eberts que diz exactamente o que penso do filme. Alguns extractos:

"I've seen Osaka in a lot of movies, but it's never looked quite like this before, not even in violent thrillers. The director, Ridley Scott, must have been bewitched by memories of the futuristic Los Angeles he created for "Blade Runner" (1982). The difference is that in "Blade Runner" the characters inhabited their city, and in "Black Rain" they are crushed by it. The production design (by Norris Spencer) is so overwhelming that the characters seem lost and upstaged; frequently the humans are not even the most interesting things on the scene."

Precisamente, as pessoas não são o ponto importante do filme. O problema é que não existe relação entre as pessoas e o cenário.

"The story of "Black Rain" is thin and prefabricated and doesn't stand up to much scrutiny, so Scott distracts us with overwrought visuals."

"Even given all of its inconsistencies, implausibilities and recycled cliches, "Black Rain" might have been entertaining if the filmmakers had found the right note for the material. But this is a designer movie, all look and no heart, and the Douglas character is curiously unsympathetic. He plays it so cold and distant that the heartfelt scenes ring false."



Uma abordagem de uma mesma realidade, só que feita de uma forma bem mais madura e que cria um ambiente mais negro e com uma capaz densidade de acção , é o que nos dá Philip Kaufman com Rising Sun.

Mas Kaufman controla o filme e o belo leque de actores que nele participam.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Black Rain

Postby Samwise » 19 Oct 2009 17:47

annawen wrote:Mas lembrei-me de outro cenário fixe: o "campo" de golfe. Bem que o jap podia ter espetado com o herói lá em baixo... :devil2:


:lol2:

Totalmente de acordo...



Agora, pensando naquela ideia das cerejas, um filme puxa outro, alguém viu o To Live and Die in L.A. (:mrgreen4nw:). Nesse é que o herói... hmm... não vou contar. Por acaso o filme também tem a ver com dois polícias atrás de um esquema de falsificação de dinheiro.

Outros filmes que sugiro e que de alguma forma se relacionam com o Black Rain: o já mencionado The Yakusa, que é semelhante no que toca à presença de um polícia americano em território oriental, e com a parceria que este estabelece com um agente local para acabar com uma rede yakusa. Aqui não há que enganar quanto ao actor principal: é o Robert Mitchum. Já não me lembro muito do filme, mas sei que gostei. As cenas de acção, pelo menos, não eram este fogo de artifício de plástico. Outro que sugiro é o The Year of the Dragon. Passa-se na América, no bairro de Chinatown, creio, mas também encena um duelo de morte entre um polícia ocidental e um vilão oriental.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Lovecraft
Dicionário
Posts: 611
Joined: 17 Jun 2009 14:09
Location: Porto
Contact:

Re: Black Rain

Postby Lovecraft » 19 Oct 2009 17:51

Samwise wrote:
annawen wrote:Mas lembrei-me de outro cenário fixe: o "campo" de golfe. Bem que o jap podia ter espetado com o herói lá em baixo... :devil2:


:lol2:

Totalmente de acordo...



Agora, pensando naquela ideia das cerejas, um filme puxa outro, alguém viu o To Live and Die in L.A. ( :mrgreen4nw: ). Nesse é que o herói... hmm... não vou contar. Por acaso o filme também tem a ver com dois polícias atrás de um esquema de falsificação de dinheiro.

Outros filmes que sugiro e que de alguma forma se relacionam com o Black Rain: o já mencionado The Yakusa, que é semelhante no que toca à presença de um polícia americano em território oriental, e com a parceria que este estabelece com um agente local para acabar com uma rede yakusa. Aqui não há que enganar quanto ao actor principal: é o Robert Mitchum. Já não me lembro muito do filme, mas sei que gostei. As cenas de acção, pelo menos, não eram este fogo de artifício de plástico. Outro que sugiro é o The Year of the Dragon. Passa-se na América, no bairro de Chinatown, creio, mas também encena um duelo de morte entre um polícia ocidental e um vilão oriental.



A memória é realmente um Inferno e a velhice num ajuda.

The Year of teh Dragon e To Live and Die in LA são dois grandes filmes e com gente que sabe realizar e actores capazes. Infelizmente Black Rain provou que existem outros.[img]http://www.bbde.org/style_images/1/folder_post_icons/icon10.gif[/img]


Return to “1 - Máfia/Gangsters”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron