You fail me [+18]

User avatar
Arsénio Mata
Livro Raro
Posts: 1773
Joined: 01 Oct 2009 20:41
Location: Portimão
Contact:

You fail me [+18]

Postby Arsénio Mata » 13 Sep 2012 01:21

"You fail me with your inferno fuck me eyes,
That burn as fuel for my city and its neon lights"-

Converge - You Fail Me

Estava com dificuldade em ter tesão. Tu gemias enquanto eu te enfiava dois dedos na vagina e, com o polegar, te esfregava o clítoris. Fiquei confuso. Beijava-te e gostava de te beijar e beijava-te ainda mais. Mas não ficava teso. Acho que já nessa altura, no inicio, sabia que nunca serias verdadeiramente minha. Estavas húmida e cheiravas a suor e dizias: sou só tua, mas eu não ficava teso. Beijava-te mais.

Ficavamos no meu quarto e não faziamos nada, sei lá, fingiamos que víamos um filme ou assim. Faziamos pequenas peças de teatro improvisado, em que me pedias para fazer expressões de assustado ou de vilão de telenovela brasileira. Eu às vezes ia mais além e simulava um sotaque do interior, fingia que tinha uma herdade e utilizava o meu chicote imaginário nas costas indefesas dos meus escravos negros. Tu rias-te e chamavas-me tolo. A cama era o nosso palco. Às vezes pedia-te que fosses também actriz, além de encenadora. Pedia-te que fizesses o teu melhor ar apaixonado. Tu nunca conseguias. Eu aí já não era actor.

Ias a casa de banho e dizias-me que estavas com o período. Eu dizia merdas estúpidas como: eu gosto do cheiro dos teus pensos higiénicos. Chamavas-me porco e ficavas realmente enojada, mas não sem sorrires um bocadinho. Porque é que eu dizia isso? Era verdade. Eu gostava mesmo desse cheiro.

Eu tinha dificuldade em ter tesão e contentava-me em agarrar-me a ti, tentava absorver-te para dentro de mim. Tu afastavas-me e dizias que tinhas calor e tinhas razão. O meu quarto era pequeno e quente e sujo e abafado. Tinha dificuldade em ter tesão e tinha dificuldade em dormir. Respirava com dificuldade. O meu quarto era um cubo pequeno e sem janelas e transpirávamos como porcos. Tu tinhas calor e afastavas-te de mim. Eu lá adormecia.

Acordava a meio da noite e tinhas o meu caralho nas tuas mãos, na tua boca. Estava duro como pedra e as veias pulsavam ao sentirem as porosidades da tua língua, a suave aspereza dos teus dentes. Chupavas simultaneamente com carinho e com vigor e também com uma nota de tristeza. Eu gemia, ainda meio a dormir e tu sentavas-te dentro de mim. Eu sentia-me o rei de um vazio imenso. Vinha-me dentro de ti. Era a minha única condição.

Ligava-te no dia a seguir e ia ter contigo. Tu eras meiga e simpática, talvez por sadismo, talvez por compaixão. Talvez a melhor forma de sadismo seja a compaixão.

Agora fodo com outras gajas e tu com outros gajos. Já não tenho problemas em ficar teso. Mas também já não quero saber. Foder é uma expressão que odeias mas que na construção destas frases está anatomicamente correcta. Eu fodo com elas. Tu fodes com eles. E eu e tu fodíamos um com o outro. Não há cá amor nesta história. Nem nunca vai haver.
Only in the bloodline is this terror exposed
A knife to the eye of modern day times
Exactly what you've worked for.

A price for the pride
I can feel the distance coming
The holes in my lungs
Won't let me take this anymore.

http://umhomemsimpatico.tumblr.com/

Return to “Arsénio Mata”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest