Sen to Chihiro no Kamikakushi

User avatar
Bubbles
Livro Raro
Posts: 1994
Joined: 29 Dec 2004 18:33
Location: Halifax
Contact:

Sen to Chihiro no Kamikakushi

Postby Bubbles » 30 Jan 2010 23:13

Sen to Chihiro no Kamikakushi

Image

Este e o oitavo filme de Miyazaki, lançado em 2001. Como nota de interesse foi o primeiro filme de animação japonesa a ganhar um Óscar para melhor filme de animação ;)

Nele seguimos a história de Chihiro, uma jovem rapariga, que se muda com os pais para uma zona rural. Quando estão a procura da sua nova casa perdem-se e acabam por entrar no que aparenta ser um parque temático abandonado. Enquanto os seus pais se sentam a jantar numa banca com comida acabada de fazer, mas estranhamente sem empregado algum, Chihiro explora o local. Encontra um edifício vermelho, muito melhor cuidado do que os restantes, onde um jovem a visa que ela não pertence aquele local e que deve fugir antes do sol se por. Quando Chihiro vai em busca dos pais encontra apenas porcos a comerem na banca e estranhas formas começam a revelar-se em todos os cantos. Ao alcançar a passagem para fora do parque esta encontra-se coberta por água…

E assim começa a viagem de Chihiro pelo mundo dos espíritos, onde ela tenta não só sobreviver, mas também devolver aos seus pais a sua forma humana, de forma a voltarem a casa. Nesta viagem encontramos feiticeiras, deuses, e varias outras raças, umas com mais semelhanças humanas que outras. Temos direito a uma história de amor, longe de ser típica ou infantil; personagens com profundidade, carácter, vícios e virtudes; uma storyline complexa e pouco linear; e finalmente temos direito a embrenharmo-nos num mundo extremamente bem construído e com pormenores deliciosos. Esta foi a quarta vez que vi o filme e a cada visualização encontro algo de novo e percebo melhor a história. Há simplesmente muitos pormenores a interiorizar.
Muitos das ideias clássicas de Miyazaki estão também presentes aqui, como uma personagem principal feminina forte, muitas personagens ambíguas e ate o ambientalismo, se bem que este ultimo de uma forma muito mais contida do que e comum.

Enfim, este e um dos meus filmes favoritos. Não me canso de o rever ^_^

PS: Não esperava reencontrar personagens de outros filmes! Os monstrinhos de fuligem, que levam o carvão para a caldeira, são os mesmo que vimos no Tonari no Totoro, certo?
"Não sou obrigada a jurar obediência às palavras de qualquer mestre" Horácio
"Um coração saudável tem um comportamento caótico"
Joana Augusto's Flick Photostream *** The Ground Beneath My Feet

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13871
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Sen to Chihiro no Kamikakushi

Postby Thanatos » 01 Feb 2010 09:11

Não esperava reencontrar personagens de outros filmes! Os monstrinhos de fuligem, que levam o carvão para a caldeira, são os mesmo que vimos no Tonari no Totoro, certo?


Isso é porque alguns dos seres que povoam os filmes dele não são criação dele mas fazem parte do folclore fantástico nipónico. Um bocado como as nossas fadas e duendes e gnomos. ;)
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Sen to Chihiro no Kamikakushi

Postby Samwise » 01 Feb 2010 11:47

Ainda me lembro da interpretação que fiz do Totoro a propósito do Alice no País das Maravilhas. Neste filme parece-e que a ideia é levada mais longe, sendo que agora é de uma viagem "completa", por assim dizer, que trata - no outro eram manifestações erráticas, espaçadas no tempo por alternância com a realidade, da presença desse "outro mundo". Chihiro, tal como Alice, mergulha numa realidade alternativa que pode ser perigosa e da qual só consegue sair ao fim de muitas provações.

Ainda em relação ao Totoro, este filme é muito mais sombrio e adulto. Onde no outro havia uma alegria contagiante, neste há o bizarro e o absurdo em doses transbordantes - mesmo que uma determinada lógica acerca do funcionamento deste mundo consiga ser inferida. Neste aspecto faço um paralelo com uma vertente nas obras de Kafka: o protagonista, nessas obras, nunca conseguia quebrar ou evadir-se das situações em que de via envolvido com base na sua lógica pessoal ou nos seus princípios morais. Em Chihiro, a protagonista marca pontos à conta da sua bondade e das suas atitudes, conseguindo resolver situações concretas e até cativar a atenção de alguns habitantes menos "simpáticos" do local - e acaba, no final, por conseguir regressar ao seu mundo original. Também posso estabelecer nesta vertente uma comparação com o Alice in Wonderland para destacar uma diferença - nessa obra, Alice é quase como uma transeunte que pouco ou nada faz ou resolve. Limita-se a percorrer aquele mundo e a passar por uma série de situações estranhas sobre as quais não tem qualquer domínio ou controlo, faça o que fizer.

Gostei daquela parte em que ela passa por um curral carregadinho de porcos... :mrgreen:
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “2 - Hayao Miyazaki”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest