Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby Thanatos » 18 Dec 2013 15:44

Esta tradução é simplesmente superlativa. Altamente recomendado e com selo de aprovação Thanatos. Além de ser um livro essencial em qualquer biblioteca é possivelmente a melhor tradução dum livro de ficção científica de sempre em Portugal.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby pco69 » 18 Dec 2013 19:50

Creio que será desta que vou ler o 'Admirável.....' :P
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4348
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby Bugman » 19 Dec 2013 01:54

Grande Antígona, mas não leio traduções de inglês...
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
vampiregrave
Livro Raro
Posts: 1840
Joined: 11 Apr 2010 18:32
Location: Lisboa
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby vampiregrave » 19 Dec 2013 12:17

Bugman wrote:Grande Antígona, mas não leio traduções de inglês...


Já somos dois. Não deixa de ser curioso estarmos a trabalhar numa :mrgreen:

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4348
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby Bugman » 20 Dec 2013 13:56

vampiregrave wrote:
Bugman wrote:Grande Antígona, mas não leio traduções de inglês...


Já somos dois. Não deixa de ser curioso estarmos a trabalhar numa :mrgreen:


Ask not... :mrgreen:
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby pco69 » 29 Sep 2014 14:31

Acabei de ler o livro este fim de semana. Não me marcou da forma que marcou alguns dos nossos coforistas que escreveram neste tópico. Não sei se devido à versão lida (versão brasileira obtida algures pela net) se pela própria temática.

O que temos? Uma sociedade altamente extratificada. Os bébes sõ criados logo à nascença com o destino marcado. São gerados por clonagem, sem qualquer intervenção sexual. Logo na própria clonagem têm o seu destino marcado, vão desde os Alfas (classe dominante e relativamente poucos) aos Ypsilons (pequenos, feios e destinados aos trabalhos mais básicos). Depois de nascerem. Ou serem feitos, como preferirem, seguem um percurso de 'hipnopédia', ou seja, são condicionados por dezenas, centenas de falas repetidas até à nausea, seja durante o sono, seja mesmo acordados.

O Selvagem, é o tal ser que nasceu numa 'reserva' e como tal não está condicionado. Mas... caramba! Afinal também está condicionado! E também está condicionado pela sociedade que o rodeou desde o seu nascimento.

Foi condicionado a achar que uma mulher que se entrega a vários homens é uma prostituta! Mesmo sem saber o que é uma 'prostituta'! Após ter vindo para a 'civilização', quando uma das Deltas quer fazer sexo com ele, ele repudia-a devido a esse condicionamento!

E o seu fim é derivado exactamente do seu condicionamento. Estando habituado a estar sozinho, quando se torna impossível essa situação, escolhe o caminho máis fácil.

Retiro do livro que somos o resultado da sociedade em que crescemos! :whistle:
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4348
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby Bugman » 17 Jun 2015 09:34

Acho que o teu condicionamento te condicionou a fazer uma interpretação bastante limitativa. :P

A questão da liberdade sexual no Admirável Mundo Novo, apesar de ser mencionado vezes e vezes sem conta, não passa de uma roda da engrenagem. Não é um fim em si é um meio. Desse ponto de vista não pode ser indissociável do consumismo desenfreado, do alienamento do consumo de drogas, dos teatros sensoriais, da vergonha da velhice, da dessensibilização face à morte, da ausência de literatura, no fundo de tudo o que possa levar a que alguém se questione ou queira outro tipo de vida.

As falhas no entanto nesse "somos o resultado do mundo em que crescemos" estão à vista em quase todas as personagens com que nos cruzamos. Elas estão à vista na Lenina e na forma como a sua relação com o John evolui, e são por demais evidentes no Bernard e no Helmholtz. O próprio Mustapha Mond tem um discurso bem eloquente onde revela o conteúdo do seu cofre, bem ao estilo do que viria a ser o capitão dos bombeiros em Fahrenheit 451.

Onde o livro marca alguns coforistas é na forma como antecipa o futuro. Em 1931, data da primeira edição, helicópteros não era um lugar comum (apenas com Sikorsky em 1944 passariam a ser produzidos «em massa»), não é estranho que os sintomas da soma sejam bastante semelhantes aos da heroína uma vez que esta apenas havia sido proíbida um par de anos antes. Também não é de estranhar a introdução de temas como eugenia e sociedades de classes herméticas. Em 1931 estava-se já a aquecer a fogueira europeia para os Anos de Ferro e haviam várias correntes na europa a defenderem esses temas. A lista de situações que em 2014 nos parecem banais e que o não eram em 1931, e a forma como é mesmo questionável que o sejam, podia continuar.

No seu prefácio de 1946, Aldous Huxley dá a entender que havia muitas coisas que mudaria na obra. Tantas coisas que a obra revista seria uma obra distinta. Não é de estranhar. Dificilmente em 1946 algum europeu consciente defenderia qualquer forma oficial de eugenia. O mesmo poderá ser dito para qualquer forma de alheamento que tornasse os cidadãos em puras máquinas passivas, numa turba. Esse comportamento de turba é o que se revela no momento que tu designas por «[estar] habituado a estar sozinho».
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby pco69 » 18 Jun 2015 08:05

Bugman wrote:Acho que o teu condicionamento te condicionou a fazer uma interpretação bastante limitativa. :P
(...)

:P

Há coisas que verdadeiramente não me passaram pelo espírito ao analisar/descrever o livro.
Como seja, o facto da obra ter sido feita em 1931.
Creio que observei-a mesmo aos meus olhos de uma sociedade de 2015 com as suas 'liberdades garantidas'.

:pipoca:
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4348
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Admirável Novo Mundo / Brave New World - Aldous Huxley

Postby Bugman » 18 Jun 2015 11:01

pco69 wrote:
Bugman wrote:Acho que o teu condicionamento te condicionou a fazer uma interpretação bastante limitativa. :P
(...)

:P

Há coisas que verdadeiramente não me passaram pelo espírito ao analisar/descrever o livro.
Como seja, o facto da obra ter sido feita em 1931.
Creio que observei-a mesmo aos meus olhos de uma sociedade de 2015 com as suas 'liberdades garantidas'.

:pipoca:


O teu comentário é que me fez ir reler o livro. Há mais de dez anos que não lhe pegava e a imagem que tinha da função do John Savage era totalmente diferente, era de um personagem mais forte do que davas a entender. Claro que estes dez anos mudaram muita coisa e o impacto com que fiquei do livro agora foi totalmente diferente.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela


Return to “Autores F - J”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 5 guests

cron