Pushing Ice - Alastair Reynolds

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby Samwise » 17 Aug 2010 19:41

Género: Ficção Científica
Data de Publicação: 2005

Image

Por volta do ano 2050, numa altura em que a humanidade ainda está apegada ao planeta terra e a dar os primeiros passos no sentido de explorar e a aproveitar os recursos naturais que "circundam" a terra, ou pelos menos as suas proximidades, através da utilização de naves espaciais, uma das luas do planeta Saturno ganha "vida própria´", salta fora da órbita e começa a acelerar em direcção a uma constelação distante. As densas camadas de gelo que cobriam Janus (a lua em fuga) começam lentamente a derreter revelando por baixo a presença de uma estranha maquinaria que só pode ser extra-terrestre. A lua era afinal um engenho espacial de enormes proporções que aguardou escondida no sistema solar, disfarçada de corpo celeste, sabe-se lá durante quanto tempo e com que finalidades.

A única possibilidade que os humanos têm para estudar a nova Janus é enviar uma nave-mineira (pertencente a uma empresa de exploração de asteróides para deles retirar água em estado gelado - "Pushing Ice") em sua perseguição. O plano é tentar uma aproximação, recolher o maior número de dados possível, e regressar à terra quando os limites de distância e de combustível assim o determinarem. Por causa de uma série de complicações, a nave acaba por ter de aterrar em Janus e vê-se impossibilitada de voltar para trás. Por causa da aceleração progressiva do hospedeiro alienígena, torna-se impraticável enviar uma missão de resgate a partir da terra. A tripulação deste pequeno cargueiro humano vê-se assim a braços com a necessidade de fazer uso de tudo aquilo que conseguirem aproveitar e compreender da tecnologia de Janus para sobreviver. Apesar de ter sido claramente desenvolvida por uma civilização bastante mais avançada, Janus é um sistema mecanizado que parece preparado para funcionar autonomamente, não revelando sinais de vida no seu interior.

Com destino a um lugar incerto (bom... não é bem isto, mas é quase), e numa viagem que vai durar anos, segundo as previsões apontadas, este grupo (cerca de 300/400 "espécimes" :mrgreen: ) prepara-se para estabelecer a primeira colónia de humanos fora da terra. Uma das noções que obviamente lhes cai em cima é a ideia de que Janus os está a levar para um encontro com a civilização que o terá criado, e portanto, para além da gestão de todos os prováveis conflitos que decorrem de uma situação de sobrevivência nos limites do possível, este pequeno grupo tem de começar a preparar aquilo que pode ser o encontro decisivo para a prevalência de toda a humanidade.

O romance começa de forma aliciante, agarra-nos logo pela curiosidade de saber o que está no final da viagem, e ao longo dessa mesma viagem gere bastante bem as personagens e as situações que vão acontecendo. É credível na maior parte dos casos. Com a chegada ao destino, tudo se banaliza um bocado. Não vou entrar em muitos detalhes, mas tudo aquilo que nos é apresentado não chega a ter o peso e a importância que devia ter. É superficial e falta-lhe um desenvolvimento quantitativo (volume, páginas, detalhes) para que faça a diferença que se exigiria. À parte disso, a partir de certa altura o autor decide começar a despachar os assuntos da forma mais expedita possível - e para isso recorre não só ao uso de uma deus-ex machina algo irritante (porque ultrapassa aquilo que é credível do ponto de vista da ciência ficcionada), mas também a uma série de situações que estão mais próximos da FC de entretenimento tipo Star-Wars do que de uma space-opera mais séria - e era seriedade que se impunha para concluir este livro.

As personagens, apesar de minimamente bem desenvolvidas (mesmo com uma ou outra falha na sua lógica emotiva ali pelo meio), não chegam a ter a grandeza necessária para criarem laços com o leitor. No final, morressem ou não, para mim dava no mesmo.

Não vou negar que o livro tem bons momentos - e que durante a maior parte do seu desenvolvimento cria situações muito interessantes do ponto de vista científico, com os paradoxos do espaço e do tempo em primeiro plano - , mas queda-se por um final decepcionante que acaba por minar a nossa percepção em relação a tudo o que o precede.

4/10
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby Samwise » 17 Aug 2010 22:37

Esqueci-me de dizer uma coisa: não sei que raio se passou na cabeça do autor para ele resolver apresentar uma raça alienígena (uma das várias que aparece no livro) com as características física e comportamentais em tudo semelhantes às do vulgar canídeo terrestre. :blink: Houve excertos bastante ridículos, em que estive indeciso entre o rir e o praguejar alto...

What the hell was he thinking? <_<
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

urukai
Edição Única
Posts: 3232
Joined: 07 Aug 2008 23:35
Location: Lisboa
Contact:

Re: Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby urukai » 18 Aug 2010 09:42

Nice Review Sam.
Há qualquer coisa de misterioso na minha percepção de livros de FC que involvam outros planetas e raças. Talvez me sinta intimidado pela vastidão do espaço sideral ou pelo confronto intelectual com a possibilidade de haver outras raças mas a verdade é que não me sinto atraido por abordagens sérias e profundas neste género literário.
Assim sendo, vou deixar passar este pushing ice.

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4348
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby Bugman » 18 Aug 2010 10:32

Bem o final deve ser realmente qualquer coisa de gelado, para contrair a nota para um maravilhoso 4! Pela descriçäo acima esperava um "passar à rasquinha". Quer isto dizer que fiquei com uma curiosidade sórdido-masoquista de ler o livro :bash-combo:
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby Samwise » 18 Aug 2010 10:44

urukai wrote:Há qualquer coisa de misterioso na minha percepção de livros de FC que involvam outros planetas e raças. Talvez me sinta intimidado pela vastidão do espaço sideral ou pelo confronto intelectual com a possibilidade de haver outras raças mas a verdade é que não me sinto atraido por abordagens sérias e profundas neste género literário.
Assim sendo, vou deixar passar este pushing ice.


Duas coisas:

1 - Uma boa sugestão este nível (contacto com outros planetas e raças), uma que ainda tenho fresca na memória, e uma que à semelhança do Pushing Ice também veio recomendada pelo Thanatos, é o A Deepness in the Sky, de Vernor Vinge. (outra boa sugestão que me lembro de um passado mais antigo é a série RAMA, de Arthur C. Clarke, mas aí já estamos a falar de 4 livritos...)

2 - A abordagem séria e profunda de que falei (e de que reclamei não haver no final neste livro, em contraponto ao que vem de trás) não é assim tão séria e profunda a ponto de ser uma evidência que se destaque do resto. Quando dizes que não te sentes atraído por esse tipo de abordagem, talvez não a encontres mesmo neste tipo de livros... ;)

Bugman wrote:Bem o final deve ser realmente qualquer coisa de gelado, para contrair a nota para um maravilhoso 4! Pela descriçäo acima esperava um "passar à rasquinha". Quer isto dizer que fiquei com uma curiosidade sórdido-masoquista de ler o livro :bash-combo:


Não percas o teu tempo, a sério. Há melhores coisas para ler. E 4 em 10 não é assim tão mau - é um "chumbo à rasquinha"...
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby Thanatos » 19 Aug 2010 02:56

uma que à semelhança do Pushing Ice também veio recomendada pelo Thanatos


:blink: Não tenho memória de ter recomendado em específico este Pushing Ice. Lembro-me sim de ter tido ganas de te mostar alguns exemplos de hard SF e na altura o único que tinha disponível do Alastair - que é dos poucos que trabalha dentro do sub-género - era este. Que não é, de longe, o melhor dele.

De qualquer forma não recomendar a leitura de Alastair Reynolds baseado apenas neste livro seria um mau serviço para o autor e para os leitores ávidos de conhecerem esse sub-género tão sui generis. Penso que algures neste fórum estão algumas recomendações de outros livros do autor, de qualquer forma reitero aqui que, para um principiante, nada como pegar nos três primeiros volumes do Revelation Space que são por ordem cronológica de publicação: Revelation Space; Chasm City e Redemption Ark.

Se quiserem provar os contos dele não ficarão mal servidos com Zima Blue and Other Stories que teve uma primeira edição limitada pela Night Shade Books (que eu recomendo para quem a apanhar) e está actualmente disponível em edições standard da Gollancz.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby Samwise » 19 Aug 2010 09:43

Thanatos wrote:
uma que à semelhança do Pushing Ice também veio recomendada pelo Thanatos


:blink: Não tenho memória de ter recomendado em específico este Pushing Ice. Lembro-me sim de ter tido ganas de te mostar alguns exemplos de hard SF e na altura o único que tinha disponível do Alastair - que é dos poucos que trabalha dentro do sub-género - era este. Que não é, de longe, o melhor dele.



É possível que não o tenhas feito explicitamente nesses moldes (também não me recordo ao certo), mas entendo um empréstimo teu logo como uma recomendação de que "é bom". ;)
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Pushing Ice - Alastair Reynolds

Postby Thanatos » 22 Feb 2013 11:59

Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!


Return to “Autores P - T”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 3 guests

cron