Crónica dos Bons Malandros - Mário Zambujal

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Crónica dos Bons Malandros - Mário Zambujal

Postby Bugman » 22 May 2011 10:49

Image

Há uma Lisboa feita de golpes, de pequenos assaltantes que fazem pela vida, de linguagens secretas, de nomes de guerra. Há uma Lisboa dos malandros. Há tudo isso e seria fácil dizer que esta obra de Mário Zambujal é uma viagem a essa Lisboa. Só que isso não seria verdade!

A Crónica dos Bons Malandros, que viu a luz do dia pela primeira vez em 1980, é um livro que procura dar razão a quem diz que os trinta são os novos vinte. A julgar pela frescura da escrita os trinta até podiam ser a nova adolescência. O livro encontra-se extraordinariamente bem escrito, facto que hoje em dia pode parecer surpreendente, mas não será tanto se considerarmos a experiência de escrita e comunicação do autor, jornalista de outros tempos, de outras escolas.

A obra centra-se na história de uma quadrilha de pequenos assaltantes lisboetas, com uma alergia (justificada) a armas, à qual é proposto um assalto à Gulbenkian. Como modo de preparação para o desfecho dessa acção somos levados a conhecer a história dos autores de tão grandiosa empresa e que variado grupo esse é. Há quem tenha nascido com a malandragem no sangue, há quem se tenha visto obrigado a malandrar, há os que se calhar até tinham jeito para outras coisas e no final é impossível não sentirmos alguma afinidade com estes bons malandros e sentirmos alguma pena pelo desfecho final.

O livro é dos melhores que li em 2011 e o facto de com todo este desfasamento temporal ainda parecer algo novo sem parecer pretencioso reflecte a qualidade da sua escrita, simples sem ser simplista, e que não é mais do que a brisa fresca do Tejo no amanhecer à beira-rio.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

Pedro Farinha
Edição Única
Posts: 3298
Joined: 03 Apr 2005 00:07
Contact:

Re: Crónica dos Bons Malandros - Mário Zambujal

Postby Pedro Farinha » 23 May 2011 00:25

Li esse livro há muito tempo e também gostei. É um livro bem escrito, despretensioso e divertido. Para além da história de cada personagem que compõe o bando, achei também hilariantes as diversas propostas para concretizar o assalto.

Dele, li também o Histórias do fim da rua, um livro também bem escrito, sobre a história de um casal e da rua onde vivem, em que ambos (o casal enquanto casal e a rua que vai ser destruída) se encontram à beira do fim.


Return to “Autores U - Z”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 4 guests