Page 2 of 2

Re: Biblioteca de Verão

Posted: 11 Dec 2010 15:32
by Bugman
O Contrabaixo também já foi tocado. Vá lá que com este não houve desafinanços nos acabamentos! Já começava a duvidar da capacidade de um livro vir sem gralhas.

Re: Biblioteca de Verão

Posted: 12 Feb 2011 15:44
by Bugman
Lido parte dos "Contos de Terror e Arrepios", de Bram Stoker.

Quanto aos dois contos lido (ainda me falta outra metade), um deles (O Espectro da Morte, uma exemplar tradução de The Invisible Giant, abrilhantada pelo facto de ao longo do conto se referir ao gigante como... gigante!) em si não arrepia muito, é mais um conto para crianças, escrito de forma simples e com várias mensagens moralistas espalhadas pelo meio. O que provoca arrepios, e algum horror, é ver como a equipa responsável pela colecção quer por os cabelos em pé ao leitor. Como acima fiz por explicar os problemas, para variar (e antes de me calar até fazer uma avaliação da colecção) abaixo seguem exemplos:

Os habitantes do País Sob o Pôr-do-Soljá não receiavam os Gigantes (...)
:angry:
Que há para recear? Mesmo que tenham existido gigantes existem agora.
:(
quando o vento suspira, genie e
:bash-combo: (Esta pôs-me a gemer de dor...)
viu uma forma gigantesca forma com os braços erguidos
:catfight:
Depois os rapazes maldosos aproximou-se e escarneceu
:pissed:

No conto seguinte (O Convidado de Drácula) já nem me dei ao trabalho de anotar, apesar de serem bem menos, mas se a ideia era conferir à obra o cariz de Terror e Arrepios, parabéns malta, foi conseguido com distinção máxima! :td:

Re: Biblioteca de Verão

Posted: 04 Feb 2014 19:57
by Bugman
Faz tempo que não sentia necessidade de vir aqui partilhar o excelente e cuidado trabalho que a malta da QuidNovi executou nesta colecção. Isto claro até as gralhas serem tantas que sinto a necessidade de partilhar a dor que sinto.

Correntemente a ler A Dama Pé-de-Cabra, o livro contém outros contos. Presentemente no segundo destes (O Cego), o trecho que se segue quase que me fez ter vontade de o ser.

A luz dos olhos tinha-lhe de todo apagado a velhice; mas as suas feições revelavam um animo rico de alto imaginar: as faces do velho eram fundas, as maças do rosto elevadas, a fronte espaçosa e curva, e o perfil do rosto quase perpendicular. Tinha a testa enrugada como quem vivera a vida de continuo pensar, e correndo com a mão os lavores de pedra, sobre que estava assentado, ora carregando o sobrolho, ora deslizando as rugas da fronte, repreendia ou aprovava com eloquência muda os primores ou imperfeições do artífica, que copiara a ponta de cinzel aquela pagina do imenso livro de pedra, a que os espíritos vulgares chamam simplesmente o mosteiro da Batalha.


Crianças, não basta correr o corrector ortográfico, convém ler para ver se a palavra, ortograficamente correcta, faz sentido. :pissed:

Re: Biblioteca de Verão

Posted: 04 Feb 2014 20:26
by vampiregrave
Olha, por acaso andava com ideias de tratar o Lendas e Narrativas no Adamastor, ou pelo menos um dos contos. Creio que podemos apresentar um resultado final um pouco melhor :whistle:

Re: Biblioteca de Verão

Posted: 04 Feb 2014 20:54
by Samwise
Lol... lol... lol.. essas "maças do rosto"!!!

(é a minha contribuição-facebook de hoje aqui no fórum :mrgreen: )

Re: Biblioteca de Verão

Posted: 04 Feb 2014 22:58
by Anibunny
A culpa é do AO :p

Re: Biblioteca de Verão

Posted: 09 Feb 2014 11:15
by Bugman
Anibunny wrote:A culpa é do AO :p


Acabadas as duas "Lendas e Narrativas" (imagino que uma lenda e uma narrativa :P ) voltamos à queixa do costume. O trabalho da editora QuidNovi nesta colecção é, no mínimo, deplorável. Em A Abóbada, há pelo menos 3 gralhas por página. Por página!

Se o cuidado que se põe nas pequenas coisas é uma imagem do cuidado que se põe em tudo, então esta é uma editora desmazelada, cujo conceito de revisão se limita a correr o corrector ortográfico (e nem sempre, como se viu acima noutros exemplos) deixando na estante aquilo a que se pode chamar de "cérebro". Não sei sinceramente se quero pegar no que ainda não li desta colecção... <_<