Revista Lusitânia

O nome diz tudo, certo?
User avatar
Umbrae
Manifesto
Posts: 72
Joined: 20 Nov 2011 22:54
Contact:

Revista Lusitânia

Postby Umbrae » 24 Jul 2012 11:33

Trata-se de uma revista (fanzine) sem objectivos lucrativos que pretende dar um empurrãozinho à ficção especulativa de inspiração portuguesa. Toda a equipa é amadora, mas apaixonada por uma boa história e, embora ainda tenhamos muito que aprender, estamos a fazer o nosso melhor. O objectivo é conseguir uma publicação em papel, com boas histórias, ao menor custo de compromisso.

Tentámos resumir o espírito da coisa numa Carta de Intenções: http://revistalusitania.blogs.sapo.pt/445.html

Se acharem o projecto interessante, poderão fazer like no facebook: www.facebook.com/RevistaLusitania

Gostaria de saber as vossas sugestões para o que gostariam de ver.

User avatar
grayfox
Edição Única
Posts: 4203
Joined: 01 Jul 2008 16:20
Location: Braga
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby grayfox » 24 Jul 2012 11:54

acho muito positivo e refrescante limitarem a literatura à que reflicta a cultura portuguesa. boa sorte com esse projecto.

ps: o nosso único Nobel de literatura já morreu!

pps: quem faz parte da equipa?
A melhor assinatura chinesa da actualidade.

User avatar
Umbrae
Manifesto
Posts: 72
Joined: 20 Nov 2011 22:54
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Umbrae » 24 Jul 2012 12:08

Verdade, vou corrigir o tempo verbal.

A equipa irá ser divulgada ainda esta semana no blog.

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Bugman » 24 Jul 2012 13:02

Reino do Preste Joao.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
vampiregrave
Livro Raro
Posts: 1840
Joined: 11 Apr 2010 18:32
Location: Lisboa
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby vampiregrave » 24 Jul 2012 14:09

Assim que possível divulgo a iniciativa.

User avatar
Umbrae
Manifesto
Posts: 72
Joined: 20 Nov 2011 22:54
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Umbrae » 26 Jul 2012 22:12

http://revistalusitania.blogs.sapo.pt/864.html

Em resposta aos diversos pedidos, aqui vai a equipa da futura revista.

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby pco69 » 27 Jul 2012 08:06

Umbrae wrote:http://revistalusitania.blogs.sapo.pt/864.html

Em resposta aos diversos pedidos, aqui vai a equipa da futura revista.

Estive a ler a vossa carta de intenções e se elas se cumprirem (as intenções :P ), desde já adianto os meus parabéns. ^_^

Vocês sabiam que as sardinhas começaram a tomar consciencia? O início aconteceu aqui à uns anos! Estava alguém a fazer uma sardinhada numa daquelas arribas tão comuns à nossa costa, quando repentinamente surgiu uma daquelas tempestades de verão. Raios e coriscos repentinos flasharam pelo ar. E não é que um raio desembestado veio atingir uma uma sardinha ainda fresquinha? E não é que a sardinha, com aquele choque violento, voltou à vida? E não é que com a descarga e o salto que deu, a bicha não foi parar ao mar? E não é que se lembrava de tudo o que lhe acontecera desde que fora apanhada por uma estranha rede? E não é que durante o tempo que passara na traineira, aprendera que estava ao largo de uma terra chamada Portugal? E não é que com essa informação toda, quando regressou ao mar e se juntou de novo às suas congéneres, as informou que os habitantes dessa terra consumiam sardinhas em quantidades enormes? E não é que foi assim que as sardinhas emigraram todas para Marrocos? E não é que devido a isso, em 2012 o preço das sardinhas está mais caro que o raio que os parta? :mrgreen:
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
Umbrae
Manifesto
Posts: 72
Joined: 20 Nov 2011 22:54
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Umbrae » 13 Aug 2012 13:03

Já começámos a receber os primeiros textos e ilustrações :cheers:

Quando é que recebemos os dos autores do BBDE? :whistle:

User avatar
Umbrae
Manifesto
Posts: 72
Joined: 20 Nov 2011 22:54
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Umbrae » 11 Oct 2012 20:27

É com prazer que anunciamos os autores que irão fazer parte do 1º número da Revista Lusitânia. Foi uma escolha difícil, pois tivemos de deixar outros tantos textos de qualidade de fora. Porém, todas as escolhas são soluções de compromisso e acreditamos que iremos agradar aos leitores.

Os escolhidos são (a ordem é alfabética):


Catarina Lima - Como Portugal foi salvo pelos Pastéis de Nata

Inês Montenegro - Vinho Fino

José Pedro Lopes - A Cidade das Luzes

Marcelina Leandro - Sonhos numa noite de Natal

Nuno Almeida - A Guerra do Fogo

Pedro Cipriano - A Passagem Uivante

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13871
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Thanatos » 11 Oct 2012 20:32

Bom, a Marcelina lá salvou a honra daqui do Convento. ^_^
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Gaminha
Edição Limitada
Posts: 1363
Joined: 10 Jun 2009 16:53
Location: Porto
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Gaminha » 02 Nov 2012 10:11

A capa já foi publicada:

Image

Aqui

User avatar
Anibunny
Edição Única
Posts: 2814
Joined: 10 Jun 2009 23:11
Location: Porto
Contact:

Re: Revista Lusitânia

Postby Anibunny » 19 Jan 2013 16:12

Review da revista aqui: http://illusionarypleasure.blogspot.pt/ ... tania.html
Aqui só irei colocar os contos :)

Sonhos de uma noite de Natal - :tu:
de Marcelina Leandro

Sonhos de uma noite de Natal, um título que invoca um trocadilho com "A Midsummer Night's Dream" de Shakespeare, traz ao leitor um ambiente confortável com um setting natalício. A confecção dos sonhos para o Natal acarreta um novo significado e a prosa de Marcelina está pejada de magia. O único senão é o ultimo parágrafo um pouco súbdito, mas que não estraga o que veio atrás. :bbde:

Vinho fino - :tu:
de Inês Montenegro

Este conto tem a mesma base do anterior. Uma ideia muito bem explorada sobre o vinho do Douro, mas que perde-se um pouco no fim com demasiadas explicações e com uma ultima frase que sabe a pouco. A concepção entre ficção especulativa e a tradição do vinho poderia ter uma finalização melhor. :rotfl:

Como Portugal foi salvo pelos pastéis de nata - :catfight:
de Catarina Lima

Um conto muito, muito fraco. Se a Lusitânia apresenta-nos dois contos bons, este é o contrário dos anteriores. Prosa pouco desenvolvida, com pouco nexo e uma premissa que é atabalhoada. E foi este o conto que me levou a pensar que a equipa da Lusitânia é toda de Lisboa, porque o conto passa-se em Lisboa. Lisboa corre perigo... *ahem com licença alerta caps lock* PORQUE RAIOS É QUE NO TÍTULO TEM PORTUGAL, QUANDO PASSA-SE TUDO EM LISBOA??? :deadhorse: É assim tão difícil mudar uma palavra? Como Lisboa foi salva pelos pastéis de nata! Pronto, continua bonito e muito mais accurate do que aquele título! Os dois primeiros parágrafos do conto eram perfeitamente dispensáveis (fazem lembrar uma composição de escola) e lá melhora um pouco quando a bruxa vais comprar a vassoura, mas logo o conto é desviado para o non-sense. :X

A guerra do fogo - :catfight:
de Nuno Almeida

Este conto deveria ser estudado como: o que não fazer quando se escreve ficção curta. Descrições, muitas descrições e história na última página. O conto é cansativo, desmotivador e só se safou por invocar os Lusitanos, na época onde a Península Ibérica lutava contra Roma. Merecia uma revisão de estrutura, pois o essencial estava lá. :twisted:

A cidade das luzes - :rolleyes:
de José Pedro Lopes

Um conto algo longo, com uma premissa futurista interessante. O fim é desinteressante e pedia para algo mais na onda do 1984, do que propriamente um final com uma esperança artificial. A prosa do autor nota-se estar influenciada pelo inglês "Estamos acabados" (we're through) e tem uma outra gralha que saltou mais à vista (falta de verbo). A exploração de um setting cyberpunk seria interessante. Cyberpunk com uma sociedade distópica. A premissa é boa, a exploração, de igual forma, contudo faltou uma finalização que acompanhasse o ritmo do conto. :(

A passagem uivante - :td:
de Pedro Cipriano

Um conto confuso, cujo único traço de tradição portuguesa são as citações de Fernando Pessoa no fim. Pelos vistos estamos em guerra (há a menção de aviões, pelo que penso século XX? Talvez nas províncias ultramarinas? O conto não nos diz). O conto deveria de ser mudado para talvez a batalha de Lys na 1º Guerra Mundial, onde os portugueses embora tivessem sido massacrados, lutaram até ao fim e mostraram bravura. :angel:
EDIT: Falei com o Pedro Cipriano e, reconheço agora que, embora hajam elementos espalhados no conto que ditam que estamos no futuro, não sabemos ainda em que futuro e porque raios há uma guerra! Mantenho a crítica que o conto podia ter sido muito melhor e aproveitado para algo verdadeiramente Lusitano.


Return to “Fanzines/Ezines”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 8 guests