Lady Entropy - 2011

User avatar
Lady Entropy
Papa-livros
Posts: 1094
Joined: 03 Oct 2009 12:09
Location: Porto, Portugal
Contact:

Re: Lady Entropy - 2011

Postby Lady Entropy » 05 Dec 2011 14:19

Image

Acabei de ler o "Professor Moriarty: The Hound of the D'ubbervilles" de Kim Newman.

E tenho que afirmar que a minha adoração pelo cavalheiro em nada diminuiu, ainda que este livro não fosse fantasia urbana. Desta feita, leva-nos ao mundo do Sherlock Holmes, visto por um espelho reverso - aqui são contadas as aventuras do némesis do Holmes, o Professor Moriarty - pela pena do seu segundo, Sebastian "Basher" Moran, um reflexo negro do fiel Watson.

Imitando os mais famosos livros do Detective, são 7 contos longos cerca de 70 a 100 páginas), com títulos interessantes e conceitos fabulosamente simples (e simplesmente fabulosos) que mostram o ponto forte deste autor (preferi muito mais o Man From the Dyogenes Club, neste formato, que o seu Anno Dracula, no formato de novela completa).

Há que dizer que o Moran não é um herói mas sim um vilão, da mais fina casta, e não se arrepende. Mas, mesmo assim, a escrita não só é de tal forma engraçada como a personagem está tão bem desenvolvida que acabamos por gostar dele, e querer saber mais -- e volta e meia, apresenta certas vulnerabilidades, certos momentos de moral e honra que o torna uma personagem DarthVaderiana. As aventuras da "Firma" de criminosos liderada pelo temível Professor Moriarty, contratados para as coisas mais ignóbeis (de assassinatos a roubos, passando por revoluções) são narradas aqui com muito humor por Moran, que revela tanto de si com a narrativa, como da história em si.

Obviamente, daqueles livros que não posso ler em frente à televisão, e tive que desligar tudo à minha volta para poder prestar atenção ao livro.

Pontos extra por meter a Bianca Castafiorde, e a sua ária favorita "Ah como me rio de me ver tão bela neste espelho", do Tintim, como personagem extra, referenciada como uma (então) jovem e entusiasta cantora de ópera, cuja voz é conhecida por dar dores de cabeça a quem a ouve -- e partir copos.

Muito MUITO MUITO BOM! :bow: :bow: :bow: :bow: :bow: :bow: :bow: :bow: :bow: :bow: :bow: :bow:


Livros Que Gostei Lidos Este Mês: 1/20

Venha o próximo.
"I believe in pink. I believe that laughing is the best calorie burner. I believe in kissing, kissing a lot. I believe in being strong when everything seems to be going wrong. I believe that happy girls are the prettiest girls. I believe that tomorrow is another day and I believe in miracles."

— Audrey Hepburn

User avatar
Lady Entropy
Papa-livros
Posts: 1094
Joined: 03 Oct 2009 12:09
Location: Porto, Portugal
Contact:

Re: Lady Entropy - 2011

Postby Lady Entropy » 06 Dec 2011 22:46

Image


Where there’s smoke there’s fire, and no one knows this better than New Jersey bounty hunter Stephanie Plum.
Dead bodies are showing up in shallow graves on the empty construction lot of Vincent Plum Bail Bonds. No one is sure who the killer is, or why the victims have been offed, but what is clear is that Stephanie’s name is on the killer’s list.
Short on time to find evidence proving the killer’s identity, Stephanie faces further complications when her family and friends decide that it’s time for her to choose between her longtime off-again-on-again boyfriend, Trenton cop Joe Morelli, and the bad boy in her life, security expert Ranger. Stephanie’s mom is encouraging Stephanie to dump them both and choose a former high school football star who’s just returned to town. Stephanie’s sidekick, Lula, is encouraging Stephanie to have a red-hot boudoir “bake-off.” And Grandma Bella, Morelli’s old-world grandmother, is encouraging Stephanie to move to a new state when she puts “the eye” on Stephanie.
With a cold-blooded killer after her, a handful of hot men, and a capture list that includes a dancing bear and a senior citizen vampire, Stephanie’s life looks like it’s about to go up in smoke.



Acabei de ler ontem o livro "Smoking Seventeen" da Janet Evanovich, da série Stephanie Plum.

Muitos fãs andam a queixar-se que a série perdeu muita frescura, e tornou-se apenas mais uma comédia de costumes rasca, com um constante triângulo amoroso que não anda nem para trás nem para a frente, que a personagem principal se tornou apenas numa donzela em perigo que tem que ser constantemente salva pelos seus dois cavaleiros, e que os personagens secundários se tornaram caricaturas exageradas e quase ridiculas. Eu tenho que concordar com as acusações, mas, pronto, ainda adoro esta série, mesmo que este livro seja previsível e eu tenha topado logo quem foi o assassino.

De série preferida, tornou-se num guilty pleasure que continua a ser delicioso ainda que já não a leve a sério. Por isso vou acrescentar aos livros que gostei.

Livros Que Gostei Lidos Este Mês:
2/20

Mais!
"I believe in pink. I believe that laughing is the best calorie burner. I believe in kissing, kissing a lot. I believe in being strong when everything seems to be going wrong. I believe that happy girls are the prettiest girls. I believe that tomorrow is another day and I believe in miracles."

— Audrey Hepburn

User avatar
Lady Entropy
Papa-livros
Posts: 1094
Joined: 03 Oct 2009 12:09
Location: Porto, Portugal
Contact:

Re: Lady Entropy - 2011

Postby Lady Entropy » 07 Dec 2011 13:06

Image

Acabei de ler o Explosive Eighteen da série Stephanie Plum, de Janet Evanovich, e estou meia indecisa se este livro cai na categoria de "old school" ou "new guilty pleasure". Tem um conceito base diferente (a personagem principal chega a casa e descobre que tem uma fotografia misteriosa no saco -- e, de repente, a máfia, o FBI e terroristas andam a cair-lhe em cima por causa disso), e tem alguns plot hooks interessantes e finalmente perigosos.

Gostei que a heroina finalmente resolve muitas coisas por si só, consegue defender-se bem, e, durante algum tempo regressou ao "não quero mais homens" dos primeiros livros -- infelizmente, mudou de ideias muito depressa, e já andava a comer os dois gajos na vida dela a meio do livro.

Eu acho que os dois love interests passam demasiado tempo na história, fazem tudo pela heroína, e que ela precisa realmente de deixar de recorrer a eles (por muito que eu seja fangirl do Ranger) - e irrita-me MONTES que ela fique ciumenta de pensar que outras gajas possam estar com o Morelli, mas não se ensaia ela nada para dormir com o Morelli E o Ranger. Já para não falar da estupidez conveniente que a heroína tinha para forçar certos conflitos na história:
Spoiler! :

1 - A cena do casamento falso no Havai
- Para resumir, no livro anterior, a personagem principal ganhou umas viagens ao Havai. Convidou o preferido dela, o Morelli para ir, mas ele não podia, por isso ela foi sózinha. Lá, deu de caras com um foragido altamente procurado -- mas como ela não tinha autoridade para o prender, por isso chamou o Ranger, que na firma é quem tem permissão para fazer tais capturas. Como o perp estava fechado num complexo particular só para casais de férias, o Ranger fingiu que ele e a Stephanie estavam casados -- mas eis que entra o Morelli que, de repente, descobriu que tinha dias de férias e veio juntar-se a ela -- e encontra-a de anel no dedo, com o Ranger. Porrada segue-se, a Stephanie tazers os dois, leva-os para o hospital, deixa-os lá, e foge para casa. Já para não comentar na parvoeira do plot, que gaja é que fazia isso e FUGIA ("Ai, não queria falar com nenhum deles!") Homessa. QUalquer pessoa que se prezasse ficava para FALAR e ver se eles estavam bem. Depois, ela andava "fala não fala" com o Morelli... só para criar conflito que não era preciso porque se tivesse ficado ali a falar, e dito "Olha, sabes, era para apanharmos um foragido". Mas nãooooo, temos que fazer drama.

2 - Não tenho a fotografia, porra - Ela encontrou a fotografia que lhe meteram na mala por acidente, e deitou-a fora quando chegou a casa -- e o lixo foi deitado fora antes que soubesse que havia gente que queria a foto. No entanto, em vez de DIZER isso, dizia sempre que "Não tenho a foto" e outras evasivas que faziam as pessoas suspeitarem dela. Se ela dissesse "Não tenho a foto porque a deitei ao lixo quando cheguei a casa", as pessoas pelo menos paravam de achar que ela estava a fazer-se dificil. Porque ela negava tudo SEMPRE em vez de simplesmente dizer a verdade.

No entanto, diverti-me a ler o livro, e ainda LOLei em publico umas quantas vezes, por isso mais um livro que gostei!


Livros Que Gostei Lidos Este Mês: 3/20
"I believe in pink. I believe that laughing is the best calorie burner. I believe in kissing, kissing a lot. I believe in being strong when everything seems to be going wrong. I believe that happy girls are the prettiest girls. I believe that tomorrow is another day and I believe in miracles."

— Audrey Hepburn

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13871
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Lady Entropy - 2011

Postby Thanatos » 10 Dec 2011 23:43

Como sei que andas sempre desesperada por novas coisas por ler e como sei também que gostas de Kim Newman pergunto-te se já leste algo dos Dresden Files de Jim Butcher?

Diz lá que não tem um apelido fixe? :devil:


http://www.jim-butcher.com/
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Lady Entropy
Papa-livros
Posts: 1094
Joined: 03 Oct 2009 12:09
Location: Porto, Portugal
Contact:

Re: Lady Entropy - 2011

Postby Lady Entropy » 11 Dec 2011 02:15

:td: Odeio Dresden Files.

ODEIO. É que não há outro termo. O primeiro livro é passável, mas depois é uma desgraça. O personagem principal é pretensioso, machista (enquanto o autor nos tenta convencer que o Dresden é cavalheiro), GARY STU. Todas as gajas se apaixonam por ele. Colecciona poderes como velhas solteironas coleccionam gatos. Juntamente com a Charlaine Harris, é um dos autores que me fazem fugir a sete pés de uma antologia.

Claro que sou eu que devo ser esquisita, porque adorei a série de TV (e todas as outras pessoas odiaram), e detesto os livros (que têm montes de fãs). Go figure.
"I believe in pink. I believe that laughing is the best calorie burner. I believe in kissing, kissing a lot. I believe in being strong when everything seems to be going wrong. I believe that happy girls are the prettiest girls. I believe that tomorrow is another day and I believe in miracles."

— Audrey Hepburn

User avatar
Lady Entropy
Papa-livros
Posts: 1094
Joined: 03 Oct 2009 12:09
Location: Porto, Portugal
Contact:

Re: Lady Entropy - 2011

Postby Lady Entropy » 04 Jan 2012 21:12

Falhei o meu desafio de Dezembro, devido a duas malditas palavrinhas:

Star Wars.

Pois é, o MMO saiu a meio do mês de Dezenbro, e eu tive acesso antecedido por uma semana porque fui das tonas que fez pre-order. Ou seja, passei o mês a abanar lightsabers em vez de me dedicar à leitura, que se ficou por uns magros 7 livros, e 2000 e poucas palavras.

No entanto, consegui um objectivo, que foi ler livros que gostei -- uns mais, outros menos, mas enfim, nunca foi aborrecido.

Algumas notas:

1 - Professor Moriarty: The Hound of the D'Ubbervilles - Kim Newman (487 páginas) - GOSTEI! :tu:
2 - Smokin' Seventeen - Janet Evanovich (336 páginas) - GOSTEI! :tu:
3 - Explosive Eighteen - Janet Evanovich (320 páginas) - GOSTEI! :tu:


Leiam as razões acima.

4 - Ten Years Later - Patricia C. Wrede e Caroline Stevermer (328 páginas) - GOSTEI! :tu:
5 - The Purloined Regalia - Patricia C. Wrede e Caroline Stevermer (469 páginas) - GOSTEI! :tu:


A continuação do livro Sorcery and Cecelia, foram excelentes de ler... a metade. Enquanto que no primeiro livro, a escrita se passava homogeneamente entre as duas autoras, nos 2 livros seguintes, a inteligência, criatividade e interesse da Patricia Wrede destacavam-se tremendamente, e a parte da Caroline Stevermer era sempre morna, chata e desinteressante. O contraste era tão brutal que se tornava quase patético. Tirando isso, adorei ADOREI as histórias (da Patricia) para ambos os livros. Recomendado para quem gosta de fantasia urbana\magos em settings diferentes.


6 - Penny Dreadful - Kevin Murphy (403 páginas) - GOSTEI! :tu:


Penelope Anne Drizkowski-Penny Dreadful to her friends-leads an interesting life, but it's starting to get just a bit too interesting. First off, a young lady has enough trouble fending off unwanted advances, but what is one to do when they're from vampires? What about werewolves?

Then again, most girls aren't witches. With the help of a silver luckpiece, a mummified hand and a talking black cat, any number of things are possible. For example, protecting two helpless orphans. Well, not completely helpless-and their father's a vampire, so they're not precisely orphaned either-but Melanie and Malory Gorian still need her help, and she intends to give it.

Of course, mixing Jewish folklore with Catholic heresy isn't the best idea, especially when you add magick. And looking for helpful hints in an evil sorceress's Books of Shadows doesn't exactly help matters, especially when our heroine is forced to use an ancient and obscene rite, too dreadful to be mentioned here, except to relate that it will shock, horrify and amaze!

Black magick, windswept mansions, ghostly visitations, sinister housekeepers and any number of locked chests-as well as butter knives, Number Two pencils, fountain pens and Hello Kitty. After all, this is '90s, and Goth is in.


Este livro está disponível de borla no site do autor, e é baseado num dos meus jogos de Roleplay preferidos de todos os tempos, Mage: the Ascension. Mage passa-se num mundo "normal" presente, onde existem magos em segredo -- mas o que torna este jogo tão diferente dos outros é o setting ser riquíssimo (típico da white wolf) e ter um sistema de magia único: A realidade é composta de 9 esferas (Espaço, Tempo, Probabilidade, Vida, Matéria, Forças, "Prime", Espírito e Mente), e tendo conhecimento delas, um Mago pode alterar a realidade de acordo com o que quiser na altura -- de forma totalmente flexível: queres voar? Usa Forças para alterar o ângulo da gravidade... e caíres para a frente em velocidade terminal; ou usa Life para fazer asas crescer nas tuas costas.

Okay pronto, estou a perder-me um bocado. Basta dizer que Mage é um jogo onde criatividade pessoal e inteligência são recompensados largamente. E é um jogo MUITO fixe.

Penny Dreadful é a história de uma mago que existe neste mundo de Mage, Penelope (aka Penny). E o escritor sabe escrever, pelo que me diverti bastante.

Veja-se só uma das espetaculares introduções de capítulo:

Chapter One: Morning, Sunday, the 28th of April: In which Penny experiences Winter in Springtime, Peter smells a rat, an ugly man is overcome by beauty, not to mention bitterness and brute force, Neville calls a war council, and Blackrose presents her 'signature fragrance.' This followed by a visit to the Alexandrian Club, where Penny makes a Wilde assumption, the merest suggestion of black humor gives rise to little amusement, and we are reminded not only of the Language of the Fan and of Flowers, but of the curious Code of Handkerchiefs. After which Penny chooses a new fragrance, dances upon several graves, and an attractive gentleman makes an even more attractive offer.


O livro cometeu um grande pecado -- que foi tentar crossovers com os outros jogos do World of Darkness, que é uma espécie de Meta-mundo, onde existem múltiplas raças de criaturas sobrenaturais, das quais Mage faz parte. Cada raça tem o seu jogo: Vampire: The Masquerade (vampiros), Werewolf: the Apocalypse (lobisomens), Wraith: the Oblivion (fantasmas) e Changeling: the Dreaming (elfos\fae). Mais tarde apareceram Múmias, Demónios e Caçadores, mas, felizmente não entraram neste livro.

O autor da novela sabia bastante de Mage -- mas estampou-se a todo o comprimento quando tentou meter faes, vampiros e lobisomens à mistura. Para fãs de mage, nada disto seria um problema....mas eu sou fã de quase tudo, e tinha que me obrigar constantemente a não atirar o ebook pela janela.

Claro que depois o livro tinha momentos épicos.

Como a vez em que um lobisomem (besta de 4 metros de altura) lhe salta ao caminho.

E que vá ela de fazer? Faz a pila do bicho teleportar-se para a mão dela, e atira-a para o meio de uma rua cheia de trânsito com um "Fetch!"

É daquelas coisas tão parvas, mas tão idiotas que dão a volta ao Estupidógrafo e se tornam "TOTALLY AWESOME!".


7 - The Unicorn Crisis - Jon Rosemberg (206 páginas) - GOSTEI! :tu:

Foi o primeiro Ebook que comprei, e gostei apesar de precisar desesperadamente de um editor, a história não ser particularmente original, leu-se bem, e tinha algum interesse (bonus points porque o heroi principal fica com tusa por uma boazona que depois ele descobre tem 80 anos de idade...)



Recap de Fim de Ano:


Aqui fica, para quem gosta de estatísticas:

Livros Lidos: 142
Páginas Lidas: 39.744

Desafios Feitos: 15
Desafios Falhados: 6

Mês com mais livros lidos: Março, com 36
Mês com menos livros lidos: Junho, com 1



Venha mais um ano!
"I believe in pink. I believe that laughing is the best calorie burner. I believe in kissing, kissing a lot. I believe in being strong when everything seems to be going wrong. I believe that happy girls are the prettiest girls. I believe that tomorrow is another day and I believe in miracles."

— Audrey Hepburn


Return to “Arquivo - 2011”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest