Concursos/Prémios Literários

Notícias sobre publicações, editoras, autores, convenções, feiras e outras relacionadas com o mundo do livro
urukai
Edição Única
Posts: 3232
Joined: 07 Aug 2008 23:35
Location: Lisboa
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby urukai » 22 Nov 2011 14:12

Eu por acaso não sou muito chato. Mas o concurso encerrou em Setembro e eles dizem desde aí que os vencedores serão anunciados brevemente...
Para além disso, no início de Dezembro é quando supostamente lançam o livro! <_<

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby Thanatos » 22 Nov 2011 14:17

Costuma-se dizer que a ausência de notícias é boa notícia... exceto no caso de concursos literários. :twisted:
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
shadow_phoenix
Dicionário
Posts: 666
Joined: 04 Mar 2007 15:14
Location: Braga
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby shadow_phoenix » 22 Nov 2011 14:23

Também tenho andado à procura de notícias disso. Enviei para lá dois micro-contos e tenho algumas esperanças num deles.

urukai
Edição Única
Posts: 3232
Joined: 07 Aug 2008 23:35
Location: Lisboa
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby urukai » 16 Dec 2011 15:09

já são conhecidos os três primeiros classificados do concurso de literatura "Cem anos - 100 palavras", inserido nas comemorações dos 100 anos da Universidade do Porto. Após deliberação do júri, foram distinguidos os seguintes trabalhos:

1º "Algoritmo", de Rui Carlos Queiroz de Sousa Basto
2º "Uma Vaga no Destino", de Alberto Carlos de Jesus Pereira
3º "Os Ladrilhos Amaldiçoados", Manuel Francisco Ramos

Para além de receberem um prémio monetário, os três trabalhos / autores agora distinguidos vão encabeçar uma publicação com os melhores 100 micro-contos a concurso. Os restantes 97 trabalhos / autores selecionados serão anunciados brevemente.

O lançamento do livro está agendado para 22 de março de 2012, Dia da Universidade do Porto. Na mesma sessão terá lugar a cerimónia pública de entrega dos prémios.

Aberto a toda a comunidade, o concurso "Cem anos - 100 palavras" consistiu num desafio à criatividade, ao sintetismo e à imaginação dos participantes: escrever um micro-conto de ficção com apenas 100 palavras. Tendo como pano de fundo as celebrações do Centenário, os trabalhos tinham que focar algum aspeto relacionado com a U.Porto.

Obrigado a todos os que participaram!


Não ganhei! :(

Mas pode ser que ainda fique nos 100 finalistas! :) ^_^

http://centenario.up.pt/ver_noticia.php?id_noticia=107

User avatar
shadow_phoenix
Dicionário
Posts: 666
Joined: 04 Mar 2007 15:14
Location: Braga
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby shadow_phoenix » 16 Dec 2011 18:09

Também não ganhei. E eu que até já estava a contar com os mil euros :ph34r:

urukai
Edição Única
Posts: 3232
Joined: 07 Aug 2008 23:35
Location: Lisboa
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby urukai » 22 Dec 2011 16:49

Bem,

já foi publicada a lista dos 100 vencedores e não consto da mesma. :( :( :( :(
Fiquei desiludido e até um pouco ofendido pois acredito que, mesmo sem ler os vencedores, a minha submissão TEM de ser melhor que algumas das que foram aceites.

Aqui fica a minha participação:

2111
Os seus olhos, revirados nas órbitas, vislumbraram algo de relance. Contra todos os instintos levantou o rosto do pedaço de carne. Havia algo de familiar naquela fachada centenária. Algo que lhe acicatava os recantos sombrios e esquecidos da memória. Demorou o olhar no símbolo que exibia uma figura feminina rodeada de letras de um idioma antigo. Os rosnares à sua volta e o som de ossos mastigados puxaram-no de volta à realidade. Arrancou um braço ao cadáver e mordeu a carne putrefacta enquanto a figura no símbolo, sobranceira aos zombies que se alimentavam, confirmava que a união faz a força.


Os únicos requisitos era que fosse relacionada com a Universidade do Porto e teria de ter exactamente 100 palavras.

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby Rui Ramos » 22 Dec 2011 18:19

urukai wrote:Bem,

já foi publicada a lista dos 100 vencedores e não consto da mesma. :( :( :( :(
Fiquei desiludido e até um pouco ofendido pois acredito que, mesmo sem ler os vencedores, a minha submissão TEM de ser melhor que algumas das que foram aceites.

Aqui fica a minha participação:

2111
Os seus olhos, revirados nas órbitas, vislumbraram algo de relance. Contra todos os instintos levantou o rosto do pedaço de carne. Havia algo de familiar naquela fachada centenária. Algo que lhe acicatava os recantos sombrios e esquecidos da memória. Demorou o olhar no símbolo que exibia uma figura feminina rodeada de letras de um idioma antigo. Os rosnares à sua volta e o som de ossos mastigados puxaram-no de volta à realidade. Arrancou um braço ao cadáver e mordeu a carne putrefacta enquanto a figura no símbolo, sobranceira aos zombies que se alimentavam, confirmava que a união faz a força.


Os únicos requisitos era que fosse relacionada com a Universidade do Porto e teria de ter exactamente 100 palavras.


Acho que não devem ter achado a leve menção ao símbolo da UP, suficiente para cumprir o requisito: como tema algum aspecto relacionado com a U.Porto. E diga-se que a temática zombie está um pouco putrefacta. Para quem, como eu, andou naquele edifício centenário, nas suas catacumbas e passagens secretas, para quem já lá passou a noite e viveu momentos especiais ;), enfrentou combates contra curso inimigos e sobreviveu às praxes, um texto de zombies não chega. Há toda uma carga energética que emana daquele edifício que mereciam ser explorados. Lamento, companheiro mas percebo porque motivo não foste contemplado.

User avatar
Anibunny
Edição Única
Posts: 2814
Joined: 10 Jun 2009 23:11
Location: Porto
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby Anibunny » 22 Dec 2011 18:23

Sim podia ter feito uma ode aos azulejos da FLUP XD

urukai
Edição Única
Posts: 3232
Joined: 07 Aug 2008 23:35
Location: Lisboa
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby urukai » 22 Dec 2011 18:28

Obrigado RuiRamos pela apreciação.
Eu não tinha muito por onde explorar pois não conheço a Universidade mas achei que:

Descrição do símbolo da UP
Incorporação do seu lema "A União Faz a Força" no texto

fosse suficiente para validar esse requisito.

DE qualquer maneira a minha reacção tem muito de amargo de boca e desejo felicidades e parabéns aos vencedores! :pissed: :pissed: :pissed: :pissed: :pissed: :pissed:

NebachadnezzaR
Manifesto
Posts: 48
Joined: 03 Jun 2009 22:25
Location: Aveiro
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby NebachadnezzaR » 22 Dec 2011 22:52

Rui Ramos wrote:Acho que não devem ter achado a leve menção ao símbolo da UP, suficiente para cumprir o requisito: como tema algum aspecto relacionado com a U.Porto. E diga-se que a temática zombie está um pouco putrefacta. Para quem, como eu, andou naquele edifício centenário, nas suas catacumbas e passagens secretas, para quem já lá passou a noite e viveu momentos especiais ;), enfrentou combates contra curso inimigos e sobreviveu às praxes, um texto de zombies não chega. Há toda uma carga energética que emana daquele edifício que mereciam ser explorados. Lamento, companheiro mas percebo porque motivo não foste contemplado.


Se formos por aí acho inútil estenderem o concurso a quem nunca lá andou, uma vez que nunca poderia compreender esses aspectos de ligação pessoal ao edifício. Compreendo que quem está tão ligado à universidade queira vê-la explorada de uma forma assim apaixonada, mas num concurso deste género acho que não se perdia nada em ser mais imparcial e valorizar as perspectivas externas e desligadas de quem nunca lá andou, desde que bem exploradas.

E não digo isto por estar amuado, eu nem sequer participei :P

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby Rui Ramos » 23 Dec 2011 16:44

NebachadnezzaR wrote:
Rui Ramos wrote:Acho que não devem ter achado a leve menção ao símbolo da UP, suficiente para cumprir o requisito: como tema algum aspecto relacionado com a U.Porto. E diga-se que a temática zombie está um pouco putrefacta. Para quem, como eu, andou naquele edifício centenário, nas suas catacumbas e passagens secretas, para quem já lá passou a noite e viveu momentos especiais ;), enfrentou combates contra curso inimigos e sobreviveu às praxes, um texto de zombies não chega. Há toda uma carga energética que emana daquele edifício que mereciam ser explorados. Lamento, companheiro mas percebo porque motivo não foste contemplado.


Se formos por aí acho inútil estenderem o concurso a quem nunca lá andou, uma vez que nunca poderia compreender esses aspectos de ligação pessoal ao edifício. Compreendo que quem está tão ligado à universidade queira vê-la explorada de uma forma assim apaixonada, mas num concurso deste género acho que não se perdia nada em ser mais imparcial e valorizar as perspectivas externas e desligadas de quem nunca lá andou, desde que bem exploradas.

E não digo isto por estar amuado, eu nem sequer participei :P


Deixa-me dar-te um exemplo, para perceberes como estás enganado, companheiro:

Não preciso levar um tiro no pé para saber que é mau, mas com certeza que já tive experiência más (dor física) que possa usar (aumentando exponencialmente) para descrever a sensação e fazer alguém acreditar naquilo que estou a escrever. Para que é que serve a imaginação?

Outro exemplo: Mary Shelley usou a dor da perda do seu filho para descrever o drama existencial de Frankenstein e o seu Novo Prometeu, não precisou de conhecer nenhum monstro. Usou a sua experiência pessoal aliada à sua imaginação para criar uma história que ficou para a História.

Por outras palavras não é preciso ter experimentado a vida académica no Porto para poder falar dela, como também não é preciso ter vivido na idade do gelo para poder criar histórias credíveis, pois não?

Mas é preciso fazer-se pesquisa sobre o assunto para se poder falar com autoridade.

No caso do nosso amigo urukai, talvez uma pesquisa mais aprofundada e variada lhe tivesse mostrado caminhos mais interessantes a serem explorados. Agora não adianta chover no molhado mas para a próxima alia à tua pesquisa sobre a história do local a explorar, imagens e testemunhos de pessoas que viveram nesse local.

Deixo-vos aqui uma foto do local em questão:
Image

Image

Foi aqui que nasceu a Universidade do Porto, foi aqui que tirei o meu curso (quando passou a ser a Fac de Ciências), foi nessa fonte (dos Leões - que são alados) que fui iniciado na vida académica (literalmente baptizado), foi aquela Torre (dos Clérigos) que anunciava o tempo que faltava para os exames terminarem. Foi nessa praça que enfrentávamos valorosamente (com escárnio e cantares de maldizer) todos os cursos das outras faculdades que vinham às portas da nossa para serem baptizados também. Quantas vezes não fui directo das discotecas para as portas desta faculdade para poder inscrever-me nas cadeiras que queria. Também foi para esta praça que fomos evacuados por um atentado à bomba à fac. (sempre que havia teste de matemática, alguém fazia uma denuncia de atentado). E quantas vezes à noite os caloiros não fugiram dos vultos negros dos "doutores" encapados como sombras macabras do outro mundo, prontos a praxar caloiros que se atrevessem a andar na rua fora de horas (quantas histórias já não podias ter contado, companheiro!)

Até existe uma baleia e umas múmias dentro do edifício.
Image

http://porto24.pt/vida/22082011/o-acerv ... rmanencia/

Tanta coisa que uma pesquisa mais aprofundada poderia ter-te revelado, urukai!

É que zombies simplesmente nada têm haver com a Universidade do Porto. Só se usasses os mortos que estão serrados às postas e enfiados em jarros de formol do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (verdadeiro cenário de terror). Se procurares na secção dos abortos, encontrarás por lá um verdadeiro alien, todo transparente, com olhos pretos e um esqueleto vermelho (de arrepiar). Reza a lenda que há por lá um morto que preservou um certo membro firme e hirto, suponho que seja tentador para quem lá trabalha sozinho até longas horas da noite. :P

Epá, para a próxima pergunta ao pessoal do fórum se conhecem histórias que possas usar para os próximos concursos. Abres um tópico a pedir ajuda e quem poder e quiser responde-te por pm para não darem armas aos teus concorrentes. Que dizes? Bom plano? ;)

urukai
Edição Única
Posts: 3232
Joined: 07 Aug 2008 23:35
Location: Lisboa
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby urukai » 23 Dec 2011 18:55

Ruiramos, lamento mas não concordo na totalidade contigo.
É certo que uma alternativa poderia ter passado por isso que disseste mas tendo em conta o regulamento do concurso:

No ano do Centenário, a Universidade do Porto lança um desafio à criatividade, ao sintetismo e à imaginação de toda a comunidade: escrever um micro-conto de ficção com apenas 100 palavras e tendo como tema algum aspecto relacionado com a U.Porto.


Penso que a minha submissão suplanta em larga medida o solicitado. Eis o meu ponto de vista:

1) Tem 100 palavras
2) Tem um twist final que ajuda sempre a valorizar uma short story
3) Tem um título sugestivo e que encerra em si próprio a súmula do enredo que é, habitualmente, algo que caracteriza os micro-contos
4) Menciona a fachada da Universidade do Porto
5) Menciona o símbolo da Universidade do Porto
6) Exibe e dá significado (se bem que macabro) ao lema em Latim da Universidade do Porto

Sem dificuldade interpreta-se que daqui a 100 anos (em 2111) no bicentenário da Universidade ela ainda existe apesar de na Terra (Portugal pelo menos) existir um cenário pos-apocalitico em que Zombies existem e comem humanos. Um desses zombies foi aluno ou professor na Universidade do Porto e o impacto de tal vivências foi tal que o seu cérebro de morto-vivo ainda possui ténues lembranças desses tempos. Para além disso o lema da Universidade perdura e os próprios Zombies, unidos em volta do cadáver, têm mais força!

Fui criativo, sintético, imaginativo, usei 100 palavras e abordei um aspecto da Universidade do Porto.
Posso não ter sido politicamente correcto e não glorifiquei directamente a Universidade mas isso não fazia parte do regulamento.

De qualquer maneira isto foi apreciado por um Juri da Faculdade o que dá sempre subjectividade à coisa e para além disso não li as outras submissões pelo que não saberei se a minha é, efectivamente, pior ou não. Para o que interessa (a lista de vencedores) a minha não tinha qualidade suficiente mas tenho curiosidade em ler as participações vencedoras...

NebachadnezzaR
Manifesto
Posts: 48
Joined: 03 Jun 2009 22:25
Location: Aveiro
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby NebachadnezzaR » 23 Dec 2011 18:58

Rui Ramos wrote:Deixa-me dar-te um exemplo, para perceberes como estás enganado, companheiro:

Não preciso levar um tiro no pé para saber que é mau, mas com certeza que já tive experiência más (dor física) que possa usar (aumentando exponencialmente) para descrever a sensação e fazer alguém acreditar naquilo que estou a escrever. Para que é que serve a imaginação?

Outro exemplo: Mary Shelley usou a dor da perda do seu filho para descrever o drama existencial de Frankenstein e o seu Novo Prometeu, não precisou de conhecer nenhum monstro. Usou a sua experiência pessoal aliada à sua imaginação para criar uma história que ficou para a História.

Por outras palavras não é preciso ter experimentado a vida académica no Porto para poder falar dela, como também não é preciso ter vivido na idade do gelo para poder criar histórias credíveis, pois não?

Certo, mas a imaginação tem limites, sobretudo no caso concreto que estamos a falar. Imagina por exemplo que este concurso era sobre histórias de guerra. Quem é que estava melhor preparado? O tipo que foi lá e levou mesmo um tiro no pé? Ou o que está em casa a imaginar como isso poderá ser? Não estou a dizer que é impossível, mal da ficção se fosse, mas se os juízes do concurso tiverem a mesma ideia que tu estão por um lado a ter as vistas demasiado curtas na minha opinião (como já disse, há tantos pontos de vista interessantes além das ligações pessoais e apaixonadas a uma instituição), e por outro a darem uma vantagem enorme, e injusta, ás pessoas da casa. Isto é a minha opinião, claro, e acho que não é uma questão de estar certo ou enganado, companheiro, mas de pontos de vista :)

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby Rui Ramos » 23 Dec 2011 20:22

NebachadnezzaR wrote:Certo, mas a imaginação tem limites,


:blink: O quê???? :blink:

Parem o mundo!!!

O único limite que a imaginação pode ter é a coragem do seu utilizador.

Amigo, a imaginação não tem limites, o utilizador é que pode não ter a garra para a cavalgar ;)

NebachadnezzaR wrote:Imagina por exemplo que este concurso era sobre histórias de guerra. Quem é que estava melhor preparado? O tipo que foi lá e levou mesmo um tiro no pé? Ou o que está em casa a imaginar como isso poderá ser?


Achas que um gajo como GRRM viu alguma vez acção num campo de batalha? O máximo que deve ter sofrido foi bullying no liceu. Muita masturbação e super-heróis depois, o homem está aí a escrever uma saga cheia de batalhas e conspirações palacianas. A imaginação apoiada de boa pesquisa normalmente conseguem colmatar qualquer falta de experiência em determinada matéria.


NebachadnezzaR wrote: Não estou a dizer que é impossível, mal da ficção se fosse, mas se os juízes do concurso tiverem a mesma ideia que tu estão por um lado a ter as vistas demasiado curtas na minha opinião (como já disse, há tantos pontos de vista interessantes além das ligações pessoais e apaixonadas a uma instituição), e por outro a darem uma vantagem enorme, e injusta, ás pessoas da casa. Isto é a minha opinião, claro, e acho que não é uma questão de estar certo ou enganado, companheiro, mas de pontos de vista :)


Acho que não me fiz entender. Não é por ter experimentado a UP que estou mais apto para vencer este concurso, nem tão pouco em vantagem em relação a outra participação vinda de fora. Apenas digo que um trabalho de casa bem feito teriam revelado ao urukai temas mais interessantes e mais próximos da mitologia/imaginário da UP.

A tua cena de zombies teria sido fenomenal na fonte dos leões, por exemplo, cheia de sangue e restos humanos e ainda mais fixe se tivessem a comer um gajo trajado (a vingança dos caloiros zombies). Só estes retoques seriam uma mais valia ;)

urukai wrote:Ruiramos, lamento mas não concordo na totalidade contigo.
É certo que uma alternativa poderia ter passado por isso que disseste mas tendo em conta o regulamento do concurso:

No ano do Centenário, a Universidade do Porto lança um desafio à criatividade, ao sintetismo e à imaginação de toda a comunidade: escrever um micro-conto de ficção com apenas 100 palavras e tendo como tema algum aspecto relacionado com a U.Porto.


Penso que a minha submissão suplanta em larga medida o solicitado.

Será que quem lê o teu texto percebe que estás a falar do edifício da reitoria? É que a tua história pode passar-se em qualquer lado do mundo.

urukai wrote:Fui criativo, sintético, imaginativo, usei 100 palavras e abordei um aspecto da Universidade do Porto.


Como se costuma dizer, apostaste no cavalo errado.

urukai wrote:Posso não ter sido politicamente correcto e não glorifiquei directamente a Universidade mas isso não fazia parte do regulamento.


E quem disse que tinhas de ser politicamente correcto ou glorificar a UP?

Só disse que há por ali pano para mangas para criar boas histórias de fantasia/ficção-científica/horror. Baleias, múmias, caças ao caloiro, leões alados, corpos serrados em frasco de formol e eu nem vos falei da Cordoaria (eheheh). Oh pá! Já sinto vontade de escrever uma história!!!

Quando quiseres falar de algum aspecto do Porto, pede-me ajuda que terei todo o gosto em dar-ta. De contador de histórias para contador de histórias. :)
Last edited by Rui Ramos on 23 Dec 2011 20:36, edited 1 time in total.

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Concursos/Prémios Literários

Postby Rui Ramos » 23 Dec 2011 20:33

Ah! E já agora só me expressei porque o urukai achou injusto não ter sido contemplado na lista. Se falhei em mostrar-lhe a razão pela qual não achei injusto, então mea culpa. E melhor sorte para a próxima.


Return to “Notícias Literárias”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 6 guests

cron