Alquimia dos pobres

O espaço para a colocação de textos da autoria dos membros do BBdE.
tsmm
Manifesto
Posts: 47
Joined: 19 Jan 2011 16:23
Contact:

Alquimia dos pobres

Postby tsmm » 01 Feb 2011 18:52

A alquimia dos pobres,
A persistência dos fracos,
A simpatia dos simples
Que já não sabem sorrir.

Pobres espectros errantes,
Almas esvoaçantes,
Olhares desgraçados
Pelas ruas dos Iluminados.

Espasmos de luz e de dor
Caminham sem suor
Ao longo da estrada deserta.

Imaginam o que não têm,
Imploram pelo que não podem ter;
São pobres alquimistas,
Miseráveis dores de alma,
Vazios de coração,
Corpos que não alcançaram o porão.

Esporão da vida
No alto da loucura,
À beira do desastre
De onde jamais sairão.

Pobres alquimistas,
Fracos sonhadores
De poucas conquistas,
Sem muitos suores.

São o hoje
À espera do amanha;
São a noite
A cada nova manhã.

A alquimia dos pobres,
O desaire dos ricos,
A procura da verdade,
O excesso de mexericos…

Eles transformam as palavras
Em sentimentos;
Eles desvalorizam
Os sofrimentos,
Mas não deixam de sentir!

Procuram o sentido
Mas não descuram o vício;
O vício de viver,
De transformar,
De ter,
De poder alcançar
A perfeição.

croquete
Edição Limitada
Posts: 1038
Joined: 11 Feb 2009 16:29
Contact:

Re: Alquimia dos pobres

Postby croquete » 01 Feb 2011 19:54

Curti o "Esporão da Vida"

Fez-me lembrar o "Monte Velho".
O tinto... :tu:

tsmm
Manifesto
Posts: 47
Joined: 19 Jan 2011 16:23
Contact:

Re: Alquimia dos pobres

Postby tsmm » 22 Mar 2012 14:27

Ampulheta

Faço sinais de fumo
Ao homem que espera no cais;
Desespero a cada segundo
Quando me dizes que vais.

Grito enquanto a bola rebola,
Sobre os degraus;
Suspiro pensando se
Isto não é castigo para os maus.

Faço um compasso de espera
No tempo que passa;
Dou um passo em frente
Num acto de prudência indecente.

É atitude inocente,
Uma tentação permanente
No cais de embarque
Onde a nau atraca
Ao fim da tarde.

Não penso deixá-lo
Pois não posso suportá-lo;
É um pedido veemente
Que não me pode deixar contente.

O relógio avança
À medida que falo;
Quando neste quadro que se escreve com giz;
Analogia pura com o que o coração diz…

O texto foi pensado,
Escrito e recitado;
O auditório é leigo,
De nada vale explicar
O que se sente ninguém percebe,
Não era suposto bradar.

Aos 7 ventos alguém contou,
Aos 7 mares a onda chegou;
Ultimam-se os pormenores
Desta historia que se gritou.


Return to “Escritos & Outros”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests

cron