A Teta de Vidro

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13871
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

A Teta de Vidro

Postby Thanatos » 12 Apr 2005 10:39

A turba-multa agigantava-se para além da capacidade de controlo das forças policiais. Gritos e palavras de ordem enchiam a praça de ruído indistinguível, como uma imensa mole palpável de som que se brandia como a maça dum qualquer herói de cavalaria dos tempos de antanho. Era uma força incomensurável que se estendia pelas artérias da cidade. Da praça espalhavam-se pelas ruas e ruelas, como sangue coagulado que dificilmente fazia a tarefa de transportar o oxigénio. Os coágulos, ao invés, esclerosavam a vida da urbe. Era o grito da cidade. Era o estertor último duma vida em caos, sem rumo definido e sem vontade própria que a guiasse.

Os polícias tentavam a custo interromper a esclerose de se aproximar demais do reduto final das forças da ordem... mas eram vãos os esforços. Qual areia da praia submergida pela maré, os polícias foram empurrados, separados, dilacerados e engolidos na turba-multa tornando-se por um qualquer processo ímpio de osmose eles próprios parte integrante do grande coágulo que assoberbava a praça. De repente o reduto ficava exposto à ira das gentes.

Caras distorcidas, rostos em esgares maldosos, vozes vociferantes, cuspo saltando dos lábios gretados, por entre dentes roídos, olhos injectados de ódio sanguinolento, braços agitando-se em frenesim destruidor, pernas martelando a calçada, irromperam tudo e todos por entre as arcadas vetustas do palácio, levando em frente a ordem e os papéis burocráticos, signos duma instituição ordenadamente prazenteira, puída pelos séculos de inacção, suavemente escondida atrás da teia dos processos erguidos em nome duma qualquer ordem mas que afinal nada mais eram do que barreiras levantadas, quais escolhos na preia-mar, à passagem do indivíduo. Esse mesmo indivíduo que cansado da inoperância se tinha junto em turba-multa e que arrancava neste momento fulcral, ao sistema que tanto o detivera, as rédeas do futuro.

E assim se depunha um sistema e se instaurava outro. Quebrava-se a corrente dos tempos. Lá para a frente seria de novo soldada a corrente em novas fórmulas e critérios abrangentes, pelos cabecilhas da turba-multa, que fazendo por esquecer o passado apresentavam-se em novas roupagens. Idênticas às anteriores. Apenas mais suaves e subtis e com uma nova linguagem. Adormeceram os intelectos. Apagaram a luz da razão. Forneceram a droga soporífera em doses maciças controladas com punho de ferro envolto em luva de pelica. Perante luzes foscas e tremeluzentes o indivíduo perde-se em baba e acalma-se no ímpeto da juventude, dando lugar a uma permissividade pacata, feita de prime-time.

Longa vida ao Império da TV!

R. Loureiro, 2005/04/12

*O título é uma referência directa ao livro de ensaios por Harlan Ellison. Deve ser entendido como homage.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: A Teta de Vidro

Postby Samwise » 12 Apr 2005 11:11

Realmente... sinais dos tempos...

A TV que tudo molda e tudo adormece.

Mais uma vez um texto excelente! Começa a ser hábito... B)

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

blueiela
Dicionário
Posts: 640
Joined: 31 Dec 2004 09:54
Location: Ovar
Contact:

Re: A Teta de Vidro

Postby blueiela » 12 Apr 2005 11:53

Thanatos,



Realmente um texto excelente, crítico e bastante mordaz...

Gostei bastante da sua leitura! :rolleyes:




beijos


blue
<!--coloro:#0000FF--><span style="color:#0000FF"><!--/coloro-->É nas palavras que encontro o meu ninho de repouso...<br />nas suas asas alcanço o limite do imaginário!<!--colorc--></span><!--/colorc--><br /><br /><br /><!--sizeo:5--><span style="font-size:18pt;line-height:100%"><!--/sizeo--><a href="http://devaneiosazuis.blogspot.com/" target="_blank">Devaneios</a><br /><br /><a href="http://cortarpalavras.110mb.com" target="_blank">Cortar palavras num só golpe</a><!--sizec--></span><!--/sizec-->

Maloveci
Livro de Bolso
Posts: 239
Joined: 16 Mar 2005 23:27
Location: Jamaica man !!
Contact:

Re: A Teta de Vidro

Postby Maloveci » 14 Apr 2005 00:34

THANATOS :Caras distorcidas, rostos em esgares maldosos, vozes vociferantes, ... olhos injectados de ódio ....



Dejá vu, dejá vu, dejá vu :cry: :cry: infelizmente a realidade do dia-a-dia que nem todos tem a noção de compreender, só os audazes ou os que ainda conservam um pingo de sentimento (como lhes chamo) .

THANATOS :Adormeceram os intelectos


Estão adormecidos ... mas não ausentes ... estamos NÓS no bom caminho para os reanimar :pub:

As palavras dentro do nosso pensamento aliadas à música, não existe nenhuma prisão no mundo que as possa reter ... nenhuma :ph34r:
<!--coloro:#0000FF--><span style="color:#0000FF"><!--/coloro-->Desabafas??? Eu também... Estou aqui: <!--colorc--></span><!--/colorc--> <!--coloro:#9932CC--><span style="color:#9932CC"><!--/coloro-->maloveci@jamaicans.com<!--colorc--></span><!--/colorc-->


Return to “Thanatos”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron