Page 1 of 1

Al Talis

Posted: 20 Oct 2009 19:22
by Pedro Farinha
A cidade de Al Talis é uma cidade mítica situada na região norte. Dela contam-se histórias maravilhosas sobre a forma como as forças da natureza aí se conjugam para proporcionarem aos seus habitantes momentos únicos e inexcedíveis.

Em Al Talis ecoam as mais bonitas trovoadas e os seus habitantes saem à rua só pelo prazer de verem os arabescos luminosos traçados no céu e a carícia da chuva a encharcar-lhes os cabelos e a escorrer-lhes pelos corpos.

Outras vezes é o céu azul que embala os corpos estendidos ao vento suão que se faz sentir sob o sol quente que acarinha a pele.

- Todos os dias – prosseguiu o passageiro do vento – olho para o mapa e tento encontrar essa cidade. Mas as dunas movem-se e confundem-me os trilhos fazendo-me repetir pegadas e dificultando-me o caminho.

- Mas como podes tu gastar o tempo, enfrentar o suplício da areia escaldante nos pés ou o vento agreste a secar-te os olhos em busca de uma cidade que nunca viste e que pode, se algum dia a encontrares, ser bem diferente daquilo que imaginas.

Um sorriso instantâneo iluminou o rosto do passageiro do vento enquanto memórias magníficas que assomavam à cabeça – Enganas-te. Eu nunca lá estive, mas já a vi. Em sonhos dos que se fazem com os olhos abertos. E muitas outras vezes a vislumbrei, em pequenos oásis que pontilham o caminho para Al Talis. Aí, tantas vezes repousei a minha cabeça e bebi da água mais pura do mundo. Deitado na areia senti a natureza a percorrer-me o corpo em pequenos toques subtis e a chamar-me para Al Talis. E eu, por minha vez, pude agarrar a areia morna e senti-la escorrer por entre os dedos, como que fugindo para logo, mais tarde, se deixar apanhar. Nesses momentos tão curtos, mas tão intensos, senti o que seria a cidade de Al Talis e é por isso que a procuro incessantemente.

Dito isto o passageiro do vento calou-se e o seu rosto fechou-se porém, para um observador atento, era possível ver o eco de uma estrela a dançar-lhe no fundo dos olhos.

- Eu até percebo essa quimera. Percebo as viagens que fizeste, as vezes que te lançaste à estrada, tantas vezes para tornares ao ponto de partida. Mas já muitas luas se passaram e ainda não encontraste essa cidade. Quando é que vais desistir de tentar, dia após dia, percorrer esse caminho que foge debaixo dos teus pés.

- Nunca.

- Porquê ?

- Porque assim falou Musso.

A breve entrevista terminara. O passageiro do vento despediu-se do sultão e, ainda com as palavras do profeta a bailarem-lhe nos lábios rumou ao sitio onde habitava, que já não era a sua casa, pois esta encontrava-se à sua espera, algures, perdida no centro de Al Talis.

Re: Al Talis

Posted: 21 Oct 2009 10:18
by Ripley
Mais uma das tuas cidades fantásticas, Pedro.
Mais um texto belo, bem conseguido.



Não traremos todos no fundo do espírito esse anseio por chegar à terra sonhada, entrevista apenas em imagens fugidias?
Não terá cada um de nós a sua Al Talis?

Re: Al Talis

Posted: 21 Oct 2009 10:46
by Samwise
Este tem as características que gosto de ler na tua escrita: uma suavidade doce e palpável e uma construção de frases que aparenta simplicidade mas que revela sempre surpresas nas palavras.

Achei interessante referires-te ao encanto da cidade invocando, a certa altura, uma tempestade:

Em Al Talis ecoam as mais bonitas trovoadas e os seus habitantes saem à rua só pelo prazer de verem os arabescos luminosos traçados no céu e a carícia da chuva a encharcar-lhes os cabelos e a escorrer-lhes pelos corpos.
Gostei muito desta frase:

Em sonhos dos que se fazem com os olhos abertos.

Re: Al Talis

Posted: 27 Oct 2009 01:42
by zé.chove
Tá porreiro fez-me lembrar as histórias do Conrad e as Cidades Invisíveis do Calvino.

Acho que os diálogos podiam ser mais vagos, mais enigmáticos... O sultão tem umas frases demasiado explicadas... e deviam ter ponto de interrogação no fim...

O que gostei mais foi a descrição dos fenómenos de Al Talis e as memórias do passageiro "E eu, por minha vez, pude agarrar a areia morna e senti-la escorrer por entre os dedos, como que fugindo para logo, mais tarde, se deixar apanhar. Nesses momentos tão curtos, mas tão intensos, senti o que seria a cidade de Al Talis e é por isso que a procuro incessantemente" aqui ao falar da cidade podia estar a falar duma mulher. Muy bueno!