Conan, o Bárbaro (2011)

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Bugman » 30 May 2012 09:33

O Excalinan!
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Samwise » 30 May 2012 12:47

Eu até gostei muito do Exaclibur - já não o vejo há uns bons anos e não sei como o receberia agora, mas daquilo que me recordo:

Rui Ramos wrote:Em Excalibur encontro uma história intemporal com imagens que me marcaram para sempre, servidas por uma banda sonora genial (Carl Orff e Richard Wagner juntos!!! querem melhor?).


Está certo, mas isso é uma espécie de batota. :mrgreen: Basta colocar trechos de um filme qualquer com música clássica ao pé de outro que não a tenha para haver logo um vencedor à partida. Em todo o caso, creio que a banda-sonora do Conan não deve de todo ser menosprezada, não só pela "pujança" que imprime à narrativa, como à adequação, em tom, ao género e às sequências que adorna.

Já do Excalibur, e dos nomes que mencionas, lembro-me de duas sequências em particular: a partida dos cavaleiros do castelo, para a derradeira batalha, todos de armaduras polidas, com o rei à cabeça; e os momentos finais da batalha, em que o Arthur e o Morderd se trespassam em simultâneo e o Persival vai devolver a espada à precedência... :bow:

Compara os prémios e as nomeações para cada um dos filmes em questão e tem particular atenção às categorias e ao tipo de prémio que está a ser atribuido ou nomeado (isto é, se se trata de um Óscar ou um Razzie ;) ):

http://www.imdb.com/title/tt0082348/awards

http://www.imdb.com/title/tt0082198/awards

Com isto não estou a dizer que condeno a tua preferência, antes pelo contrário. Cada um é senhor e soberano para gostar ou desgostar do quer que seja.


Achei as intrpretações do trio principal (Arthur, Lancelot e Guenevere) assim para o sofríveis - mas depois há o Merlin e a Morgana que contrabalançam o resultado. :X
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Bugman » 30 May 2012 14:16

Eu a memória que tenho é o Merlin e a Morgana é que fazem com que aquilo se aguente. Ao menos no Conan é tudo homogéneo.

O que me surpreende no Conan é mesmo o facto de sendo tao mau, conseguir passar bem a história e entreter. Pode parecer simples, mas essa capacidade nao é assim tao simples.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Rui Ramos » 31 May 2012 21:29

Samwise wrote:Eu até gostei muito do Exaclibur - já não o vejo há uns bons anos e não sei como o receberia agora, mas daquilo que me recordo:

Rui Ramos wrote:Em Excalibur encontro uma história intemporal com imagens que me marcaram para sempre, servidas por uma banda sonora genial (Carl Orff e Richard Wagner juntos!!! querem melhor?).


Está certo, mas isso é uma espécie de batota. :mrgreen: Basta colocar trechos de um filme qualquer com música clássica ao pé de outro que não a tenha para haver logo um vencedor à partida.


Não é bem assim. Se a música não tem nada que ver com o que está a passar no filme, não adianta muito ser clássico ou não. Exemplo, X-Men2 saiu um bocado para o disparatada a cena em que o Nocturno invade a casa ao som de Dies Irae do Requiem de Mozart, mas se calhar até pode ser que faça sentido. Na altura, fez-me comichão.

Deixo aqui três exemplos de como filmes ficaram imortalizados recorrendo a música "clássica" (está entre aspas porque clássica é um termo mal empregue, deveria ler-se erudita uma vez que nenhum dos exemplos discutidos até aqui pertencem ao período clássico, mas sim ao romantismo e contemporâneo). O que seria de Platoon sem "Adagio for Strings" de Samuel Barber ou Apocalypse Now sem a Cavalgada das Valquírias de Wagner, ou até mesmo de 2001 sem Gyorgy Ligeti ou Richard Strauss?

Samwise wrote: Em todo o caso, creio que a banda-sonora do Conan não deve de todo ser menosprezada, não só pela "pujança" que imprime à narrativa, como à adequação, em tom, ao género e às sequências que adorna.


Basil Poledouris é um dos grandes das bandas sonoras. Nunca disse que não. Afinal, foi ele que criou Robocop. Mas um filme não é só banda sonora. (já agora,escrevo estas linhas ao som da BSO de Conan de 1982, tem uma ou outra passagem que faz lembrar Os Planetas de Gustav Holst).


Samwise wrote:Já do Excalibur, e dos nomes que mencionas, lembro-me de duas sequências em particular: a partida dos cavaleiros do castelo, para a derradeira batalha, todos de armaduras polidas, com o rei à cabeça; e os momentos finais da batalha, em que o Arthur e o Morderd se trespassam em simultâneo e o Persival vai devolver a espada à precedência... :bow:


Genial. Outra cena que ficou para sempre na memória foi a árvore dos cavaleiros enforcados e o corvo a comer um olho a um dos cadáveres.

Samwise wrote:
Compara os prémios e as nomeações para cada um dos filmes em questão e tem particular atenção às categorias e ao tipo de prémio que está a ser atribuido ou nomeado (isto é, se se trata de um Óscar ou um Razzie ;) ):

http://www.imdb.com/title/tt0082348/awards
Bugman wrote:Eu a memória que tenho é o Merlin e a Morgana é que fazem com que aquilo se aguente. Ao menos no Conan é tudo homogéneo.

O que me surpreende no Conan é mesmo o facto de sendo tao mau, conseguir passar bem a história e entreter. Pode parecer simples, mas essa capacidade nao é assim tao simples.


http://www.imdb.com/title/tt0082198/awards

Com isto não estou a dizer que condeno a tua preferência, antes pelo contrário. Cada um é senhor e soberano para gostar ou desgostar do quer que seja.


Achei as intrpretações do trio principal (Arthur, Lancelot e Guenevere) assim para o sofríveis - mas depois há o Merlin e a Morgana que contrabalançam o resultado. :X


Sim, até os cavalos do filme conseguem representar melhor que Arthur :P Mas o Merlin tem o ar de louco excentrico que se pedia a uma figura tão misteriosa como ele.

Bugman wrote:Eu a memória que tenho é o Merlin e a Morgana é que fazem com que aquilo se aguente. Ao menos no Conan é tudo homogéneo.

O que me surpreende no Conan é mesmo o facto de sendo tao mau, conseguir passar bem a história e entreter. Pode parecer simples, mas essa capacidade nao é assim tao simples.


Percebo o que dizes e concordo. Apenas disse que há filmes melhores e que gostei mais da BD que adapta o filme de 1982 do que do próprio filme, porquê? Porque na BD tens a mesma história mas a um ritmo mais rápido, sem as doses de seca, nem as más interpretações. Não é tão pesadão nem foleiro e não tens que fazer descontos nenhuns. Eu li a BD em miúdo e adorei-a, quando vi o filme já era teen e fiquei bastante desiludido porque manchou a boa memória que tinha da BD.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Samwise » 01 Jun 2012 11:18

Rui Ramos wrote:Deixo aqui três exemplos de como filmes ficaram imortalizados recorrendo a música "clássica" (está entre aspas porque clássica é um termo mal empregue, deveria ler-se erudita uma vez que nenhum dos exemplos discutidos até aqui pertencem ao período clássico, mas sim ao romantismo e contemporâneo). O que seria de Platoon sem "Adagio for Strings" de Samuel Barber ou Apocalypse Now sem a Cavalgada das Valquírias de Wagner, ou até mesmo de 2001 sem Gyorgy Ligeti ou Richard Strauss?

Basil Poledouris é um dos grandes das bandas sonoras. Nunca disse que não. Afinal, foi ele que criou Robocop. Mas um filme não é só banda sonora. (já agora,escrevo estas linhas ao som da BSO de Conan de 1982, tem uma ou outra passagem que faz lembrar Os Planetas de Gustav Holst).


Tudo isso é verdade, mas há uma distinção que é importante fazer. Os trechos de música clássica/erudita que mencionas, sem dúvida icónicos e inesquecíveis, estão confinados a sequências muito particulares, e não configuram uma ligação "orgânica", por assim dizer, ao filme propriamente dito (pelo menos em minha opinião). Fazem parte da banda sonora, mas não são A banda sonoroa. De certa forma, esses três filmes não perderiam a sua identidade se esses trechos não tivessem sido passados com a música em questão.

No caso do Conan, o filme perderia metade do fulgor e impeto lírico (um dos trunfos do filme...) se lhe limpássemos a música tal como a conhecemos. Um filme não se faz só à conta da banda-sonora, concordo, mas há casos em que o resultado é de tal forma harmonioso e inseparável, que o filme sobe, à conta disso, para outros patamares. O Conan é um desses casos. Assim de repente lembro-me de outro exemplo de sucesso, a dupla Leone-Morricone... :bow:


Rui Ramos wrote:
Samwise wrote:Já do Excalibur, e dos nomes que mencionas, lembro-me de duas sequências em particular: a partida dos cavaleiros do castelo, para a derradeira batalha, todos de armaduras polidas, com o rei à cabeça; e os momentos finais da batalha, em que o Arthur e o Morderd se trespassam em simultâneo e o Persival vai devolver a espada à precedência... :bow:


Genial. Outra cena que ficou para sempre na memória foi a árvore dos cavaleiros enforcados e o corvo a comer um olho a um dos cadáveres.


Eu estava a falar das sequências de que me recordo em que a música que mencionaste (Orff e Wagner) é utilizada (muito bem utilizada :tu: ), mas sim, também me lembro da "árvore dos patafúrdios"... :D . Não dá mesmo para esquecer.



Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Rui Ramos » 01 Jun 2012 12:46

Sam compreendo o que dizes. Sem a BSO de Conan o filme seria muito pior. Ninguém diz o contrário. Dou-te mais dois exemplos em que a BSO dá ao filme uma dimensão maior que a vida: Star Wars de John Williams e Lord of the Rings de Howard Shore. Ok dou-te mais um de Bonús: Indiana Jones de John Williams.

Mas voltando ao uso de música erudita nos filmes. não tenho nada contra. É apenas uma operação ao contrário. Em vez de ser a imagem a inspirar a música é a música a inspirar a imagem. Montar uma cena que funcione em torno de uma música já existente, necessita talento também.

De certa forma, esses três filmes não perderiam a sua identidade se esses trechos não tivessem sido passados com a música em questão.


Consegues imaginar outra música para estes trechos?


Repara como a música está intimamente ligada com as imagens. As vozes das Valquírias ao longe a anunciar o caos e a destruição quando os heli ainda estão a voar sobre as ondas e quando a música sobe para o climax é quando ocorrem os primeiros disparos e explosões e o inferno abatesse sobre a aldeia.



Esta cena consegue todo o seu dramatismo graças à música, pois às vezes que Dafoe cai e se levanta quase poderia entrar no registo cartoonico. :P


Esta é o top de todos os tops! Quem vê o filme e não conhece Also Sprach Zarathustra, Op. 30 de Richard Strauss, acredita que a música foi composta para o filme, se não repara na estreita ligação imagem música. Mais! A escolha desta música em particular não é inocente mas não adianto mais porque contém a chave para a percepção do significado do filme (repara que aparece sempre que o ser Humano ultrapassa uma etapa evolucionária, já disse muito). Kubrick é o maior!

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Rui Ramos » 01 Jun 2012 12:53

Samwise wrote:
Rui Ramos wrote:Eu estava a falar das sequências de que me recordo em que a música que mencionaste (Orff e Wagner) é utilizada (muito bem utilizada :tu: ), mas sim, também me lembro da "árvore dos patafúrdios"... :D . Não dá mesmo para esquecer.





Agora meu caro amigo, desafio-te a ouvires as obras originais. A tetralogia de Wagner: o Anel dos Niblungos é um must para qualquer fã de fantasia e epopeias épicas. Ouve-o acompanhado do livreto, se não perdes metade da graça.

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13871
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Thanatos » 01 Jun 2012 12:59

Kubrick sempre soube usar muito bem a música nos seus filmes. Até o medíocre Eyes Wide Shut arrepia no uso da partitura por ocasião da orgia.

A Clockwork Orange é outro exemplo.

Mas de longe a mais bela sequência música-imagem é o Atmospheres de Ligeti no já mencionado 2001.

E os Rolling Stones no Full Metal Jacket. :P
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Samwise » 01 Jun 2012 13:13

Rui Ramos wrote:Consegues imaginar outra música para estes trechos?
(...)
Repara como a música está intimamente ligada com as imagens. As vozes das Valquírias ao longe a anunciar o caos e a destruição quando os heli ainda estão a voar sobre as ondas e quando a música sobe para o climax é quando ocorrem os primeiros disparos e explosões e o inferno abatesse sobre a aldeia.
(...)
Esta cena consegue todo o seu dramatismo graças à música, pois às vezes que Dafoe cai e se levanta quase poderia entrar no registo cartoonico. :P
(...)
Esta é o top de todos os tops! Quem vê o filme e não conhece Also Sprach Zarathustra, Op. 30 de Richard Strauss, acredita que a música foi composta para o filme, se não repara na estreita ligação imagem música. Mais! A escolha desta música em particular não é inocente mas não adianto mais porque contém a chave para a percepção do significado do filme (repara que aparece sempre que o ser Humano ultrapassa uma etapa evolucionária, já disse muito). Kubrick é o maior!


De acordo com isto tudo e partilho do teu entusiasmo todo em relação ao Kubrick e ao 2001.

Acho é que não interpretaste bem o que eu disse. :P Cada um destes filmes não vê a sua identidade minimamente beliscada se lhes retirares a música nos trechos em causa (bom, no caso do Platoon, não sei se será bem assim... :devil: ).
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Samwise » 01 Jun 2012 13:17

Rui Ramos wrote:Agora meu caro amigo, desafio-te a ouvires as obras originais. A tetralogia de Wagner: o Anel dos Niblungos é um must para qualquer fã de fantasia e epopeias épicas. Ouve-o acompanhado do livreto, se não perdes metade da graça.


Isso é que já não sei - posso tentar, mas a minha experiência diz-me que não vou ter paciência para tal feito. Não sou esse tipo de apreciador - nem de fantasias épicas, nem de música clássica/erudita. Nesta questão estou ao nível do comum mortal que se contenta com as partes mais "comerciais" e conhecidas... :P
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13871
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Thanatos » 01 Jun 2012 13:25

Vou ser pedante, apenas porque posso. :twisted:

Rui falas na Tetralogia e coiso e tal. Pergunto eu: em que interpretação? Solti, Levine, Fura del Baus?

Aposto que conheces a edição da Philips do Boulez. E digo mais alguma vez estiveste em Bayreuth a ouvir o ciclo?
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Rui Ramos » 01 Jun 2012 13:28

Thanatos wrote:Kubrick sempre soube usar muito bem a música nos seus filmes. Até o medíocre Eyes Wide Shut arrepia no uso da partitura por ocasião da orgia.

A Clockwork Orange é outro exemplo.

Mas de longe a mais bela sequência música-imagem é o Atmospheres de Ligeti no já mencionado 2001.

E os Rolling Stones no Full Metal Jacket. :P


:tu:

A cena da orgia tem uma música terrível pelo o impacto que provoca em nós!



Para quem não sabe é o cântico de um padre ortodoxo tocado de trás para a frente, numa inversão/profanação satânica do significado original do texto sagrado que está a ser cantado. Para quem gosta de teorias da conspiração, Eyes wide Shut é um saquinho de surpresas.

Rui Ramos
Dicionário
Posts: 676
Joined: 26 Nov 2010 18:43
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Rui Ramos » 01 Jun 2012 13:41

Samwise wrote:
Acho é que não interpretaste bem o que eu disse. :P Cada um destes filmes não vê a sua identidade minimamente beliscada se lhes retirares a música nos trechos em causa (bom, no caso do Platoon, não sei se será bem assim... :devil: ).

eu acho que entendi, na tua opinião, os filmes passavam bem sem esses trechos, na minha opinião são esses trechos que lhes dão a dimensão intemporal.

Thanatos wrote:Vou ser pedante, apenas porque posso. :twisted:

Rui falas na Tetralogia e coiso e tal. Pergunto eu: em que interpretação? Solti, Levine, Fura del Baus?


Na altura ainda não ligava a essas coisas e fiquei-me pelo Karajan. Agora peço conselho ao meu mano mais velho que ele é que é o mestre na música erudita da família. eu limito-me a cantá-la ;) (bem, limitava, agora há dois anos que abandonei o coro polifónico).

Thanatos wrote: E digo mais alguma vez estiveste em Bayreuth a ouvir o ciclo?


Eu não. A minha fase wagnariana passou um bocado (digamos que também esteve relacionada com uma clarinetista com quem namorei). Agora prefiro música antiga até ao barroco (depois de ter cantado a Cantata de Natal de JS Bach, nunca mais fui o mesmo), já não tenho grande pachorra para os românticos. Tu já foste a Bayreuth?

Tzimbi
Livro Raro
Posts: 1604
Joined: 11 May 2007 23:24
Location: Lisboa
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Tzimbi » 01 Jun 2012 13:41

Thanatos wrote:E digo mais alguma vez estiveste em Bayreuth a ouvir o ciclo?


Tu já estiveste no Festival de Bayreuth? :blink: :bow:
Quando vivi na Alemanha, ainda tentei ir uma vez, mas não passou mesmo de tentativa...Na minha inocência (para não lhe chamar estupidez), pensei que podia comprar bilhetes uns dias antes. :blush:

S.

Edit: Rui Ramos, Bach RULESSSS... :D Eu adoro as Cello Suites. :wub:

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Conan, o Bárbaro (2011)

Postby Samwise » 01 Jun 2012 13:47

Da Ciméria a Bayreuth em menos de um fósforo!!! :D

Sempre valeu a pena o Shadow ter decidido comentar o Momoa. :tu:
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “Cinema”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 6 guests

cron