O Hobbit - Peter Jackson

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Bugman » 31 Dec 2012 20:15

Samwise wrote:
croquete wrote::blink:
Será que o que incomoda é o filme não corresponder às expectativas ou não vale mesmo a pena ir ver ?
Por vezes fico na dúvida, parece que todos gostaram, mas depois parecem competir para ver quem é que gostou menos. <_<


Não estou com tempo para debater o assunto, mas eu fui com as expectativas em baixo e terminei a gostar mais deste de todos os LOTR juntos (ou separados).

A competir com os outros "gostadores", só se for para afirmar que gostei mais do que eles. :mrgreen:

-

Thanatos, concordo contigo numa coisa: o aspecto de video-game em certas partes, mas contraponho que também as há no LOTR, e em doses industriais (é mais ou menos uma por cada traveling e por cada combate), e que neste Hobbit até foram aprimoradas (tal como o Gollum). A sequência da fuga aos Goblins para mim foi um prodígio técnico e coreográfico, mesmo que não me tenha conseguido abstrair do seu artificialismo digital.


Em diferentes planos está a capacidade de apreciar um filme e o de julgar o sucesso do que o filme se propõe ser. Se julgarmos o filme como sendo a adaptação da obra O Hobbit, então falha redondamente. Se o julgarmos como filme é um bom filme de aventura e, contrariando o Sharky, tirando os trenó de coelhos até se sai bastante bem nessa categoria. Como dizia uma crítica de FFC (não me lembro do blog, mas é seguir o link do T no tópico da "corrupção" nos Nebula) "como era bom que todos falhássemos como o Jackson o fez".
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Samwise » 02 Jan 2013 01:04

Bugman wrote:Como alguém que já leu as obras várias vezes e que conhece, mesmo que vagamente, o que levou a uma e a outra, encaro O Hobbit como "a obra que dá origem a" e não "a prequela". As únicas frustrações que trago do filme devem-se a isso mesmo: eu não acho que O Hobbit seja apenas um penduricalho, uma espécie de volume 0 de O Senhor dos Anéis.
Ao fim de 33% dos filmes, perto de 55% do livro estará adaptado e aqui o verbo é mesmo adaptar. Poucos (ou mesmo nenhum) episódios do livro estão conforme o livro (nem sequer o jantar inicial sobrevive à fúria adaptativa). A vontade de adaptar é extensível aos anexos. Quem pense que os anexos d' O Senhor dos Anéis serviram apenas para aumentar volume desengane-se, serviram para dar mais ideias de coisas giras que podem ser lá enfiadas para o meio sem qualquer respeito pela história.

Numa conversa recente com um ouTro membro do fórum ele queixava-se que "faltava aquele efeito surpresa de ver a Terra Média à nossa frente" (as palavras, apesar das aspas, podem não ter sido bem estas). O que senti falta foi do olhar do apreciador da obra. As alterações nos filmes d' O Senhor dos Anéis não dão origem a uma obra toda ela dissociável do livro que lhes dá origem. Em O Hobbit estamos a falar de dois produtos totalmente distintos.

Como filme gostei apesar dos momentos forçados para que seja a prequela, através de movimentos de câmara e de menções pouco subtis. Como adaptação da história falha redondamente.


Contesto isto tudo. :mrgreen:

Digo antes que, apesar das alterações e acrescentos todos, esta adaptação é bastante fiel ao material original. A história assenta a linha narrativa nos mesmos marcos do livro (com poucos desvios pelo meio - e os que há ou são "recordações do passado", ou alterações no pormenores para aconchegar novos sub-textos que enriquecem o contexto geral, ou ainda pequenas alterações cronológicas), os episódios principais estão todos representados (com mais grau de aproximação do que de afastamento), as personagens copiam os seus "egos" quase à risca, e inclusivamente alguns diálogos foram ipsis-verbis (com duas cançonetas pelo meio) tirados do livro.

Não vejo também que tenham "forçado" a sequela. Aproveitaram para ligar as histórias entre as duas séries, mas de maneira muito suave e alguma nostalgia retro-futurista pelo meio. :P
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Samwise » 02 Jan 2013 20:46

Bug, tinhas aqui outro texto que fazia mais sentido na defesa da tua opinião, IMO, e com o qual eu concordava em parte. :D

Concordo que há apêndices criados no Hobbit (que remetem directamente para o LOTR) que o obrigam, por força das circunstâncias, a fazer também o papel de "prequela". A questão do Necromante origina pelo menos dois apêndices "longos" e de alguma importância no enredo (a tal caça ao coelho e uma parte do falatório na reunião dos graúdos - pun intended - em Rivendell, já que a conversa do Saruman foi toda num único sentido).

Mas a minha concordância acaba na parte em que isso faz do filme uma má adaptação ou num penduricalho. E continuo a achar que é um efeito "suave" (a ligação entre as partes). É possível que nos restante filmes esta ligação se torne mais óbvia.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Bugman » 03 Jan 2013 01:25

A questão é: se alteras o sentido de uma obra aquando da sua adaptação, a adaptação mantém validade? É que nem o próprio Radagast nem tem assento nessa primeira reunião do Conselho Branco!
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

croquete
Edição Limitada
Posts: 1038
Joined: 11 Feb 2009 16:29
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby croquete » 03 Jan 2013 01:59

Thanatos wrote:Normalmente nestas situações o melhor a fazer é marimbarmo-nos no que os outros dizem e avaliar por nós próprios.


Não tenho tempo.
Além disso, dessa forma, que utilidade teria o fórum? :P

Achei muito interessante a referencia do Urukai de alguem ter visto no filme cores políticas extremistas. É algo a que nunca tinha prestado muita atenção num blockbuster, e que, mesmo que verdadeiro consideraria insuspeito. :blush:

Quanto ao Tolkien troquei-o sempre por Alistair McLean, Ross Mcdonald ou Sven Hassel e acho que só o primeiro é que teve direito a alguns filmes (que no meu caso não corresponderam às expectativas).
Mesmo que pegasse com mais assiduidade em livros de fantasia talvez começasse pela Granny Weatherwax e Ca.
Mas tenho o livro do Hobbit por ler, há anos, e agora não sei bem se devo ver o filme ou ler o livro primeiro.
:D

User avatar
Sharky
Edição Única
Posts: 4587
Joined: 19 Jun 2008 00:04
Location: Margem Sul
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Sharky » 03 Jan 2013 11:53

croquete wrote:e agora não sei bem se devo ver o filme ou ler o livro primeiro. :D


Sugestão, lê o livro quando os 3 filmes estiverem disponíveis, basicamente o tempo de leitura será semelhante ao tempo de visualização dos filmes :mrgreen:

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Samwise » 03 Jan 2013 12:21

Bugman wrote:A questão é: se alteras o sentido de uma obra aquando da sua adaptação, a adaptação mantém validade?


É uma boa questão, mas também é daquelas que não tem uma resposta conclusiva e é pelo menos tão antiga quanto a discussão da arte enquanto forma de entretenimento ( :twisted: ).

E interessa para alguma coisa, em termos de apreciação final, se a validade "em adaptar" se mantém? (no seguimento da abordagem do Grayfox)

Noutra vertente, consideras que o sentido do Hobbit foi alterado? Onde está a fronteira entre o "alterado" e o "fiel"? É outra questão complicada de responder. Pela conversa que está para trás, parece-me que é firme a tua resolução em epitetares a adaptação de "orfã" em relação ao material original, mas a minha noção é contrária a essa. O sentido está lá todo, embora com alguns acrescentos e contextualizações.

croquete wrote:
Thanatos wrote:Normalmente nestas situações o melhor a fazer é marimbarmo-nos no que os outros dizem e avaliar por nós próprios.


Não tenho tempo.
Além disso, dessa forma, que utilidade teria o fórum? :P
:D


Aqui estou 100% (ou mais) do lado do Thanatos. Gosto muito de ler as apreciações dos outros, mas não me guio por elas para escolher o que vou consumir nos meus tempos livres. :D

Croquete, como fazes para escolher se, num fórum como este, apanhas as opiniões mais diversas e opostas face aos mesmos produtos em debate? (aqui e em qualquer lado, basicamente).
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

croquete
Edição Limitada
Posts: 1038
Joined: 11 Feb 2009 16:29
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby croquete » 03 Jan 2013 13:43

Samwise wrote:Croquete, como fazes para escolher se, num fórum como este, apanhas as opiniões mais diversas e opostas face aos mesmos produtos em debate? (aqui e em qualquer lado, basicamente).


Bem, a razão pela qual entrei no fórum é mesmo essa.
Prefiro opiniões cruzadas num fórum da net do que a propaganda dos críticos ou as contracapas dos livros ou dos DVDs.
Ou seja, pode até ser mau mas a alternativa é pior. :mrgreen:

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Samwise » 03 Jan 2013 14:27

croquete wrote:
Samwise wrote:Croquete, como fazes para escolher se, num fórum como este, apanhas as opiniões mais diversas e opostas face aos mesmos produtos em debate? (aqui e em qualquer lado, basicamente).


Bem, a razão pela qual entrei no fórum é mesmo essa.
Prefiro opiniões cruzadas num fórum da net do que a propaganda dos críticos ou as contracapas dos livros ou dos DVDs.
Ou seja, pode até ser mau mas a alternativa é pior. :mrgreen:


Ok, mas o impasse mantém-se. Se eu te disser que é preferível leres primeiro o(s) livro(s) e só depois veres o filme do Hobbit, e se outra pessoa te disser o contrário, o que é que fazes com essa informação? :P
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Qual o último filme que viste e o que achaste

Postby Bugman » 04 Jan 2013 16:18

Pondo um bocado a resposta ao contrário, concordo com o croquete neste ponto:
Samwise wrote:Croquete, como fazes para escolher se, num fórum como este, apanhas as opiniões mais diversas e opostas face aos mesmos produtos em debate? (aqui e em qualquer lado, basicamente).


Quanto à "outra" questão, acho que já justifica a mobilização das respostas para um tópico exclusivo d' O Hobbit.

Samwise wrote:E interessa para alguma coisa, em termos de apreciação final, se a validade "em adaptar" se mantém? (no seguimento da abordagem do Grayfox)

Noutra vertente, consideras que o sentido do Hobbit foi alterado? Onde está a fronteira entre o "alterado" e o "fiel"? É outra questão complicada de responder. Pela conversa que está para trás, parece-me que é firme a tua resolução em epitetares a adaptação de "orfã" em relação ao material original, mas a minha noção é contrária a essa. O sentido está lá todo, embora com alguns acrescentos e contextualizações.


Voltamos sempre ao que eu mencionei no meu primeiro comentário ao filme. O que existe apenas podem ser vistos como contextualições se se entender O Hobbit como aquilo que ele não é: uma espécie de capítulo 0 do Senhor dos Anéis. O foco do livro não é como Sauron sobreviveu à Última Aliança de Elfos e Homens e da sua re-ascensão. O foco do livro não é de como Bilbo encontra o anel. O foco do livro não é de como os anões andam a fugir de um Azog que morreu anos antes. O foco do livro é de como os exilados de Erebor querem recuperar o seu reino, de como Thorin quer recuperar a Arkenstone e para tal recorrem aos serviços contrariados de um hobbit.

Quem vir o filme pensa que O Hobbit existe para que o Senhor dos Anéis possa existir. Isso é uma premissa falsa. O Bilbo não decicidiu ir atrás dos anões devido ao apelo do seu lado "Took", ele foi praticamente empurrado por Gandalf e se ele corre porta fora não é por querer aventura é por ter medo de não honrar o contrato com os anões ao não chegar a horas ao ponto de encontro. Há uma grande importância dada ao "nome das espadas" e esquecemo-nos que o Sting ganhou o seu nome nas Misty Mountains, na fuga do Bilbo de Goblin Town. Há uma necessidade de dobrar a história para o Bilbo ganhar respeitabilidade entre os anões, e esquecemo-nos de um dos momentos em que tal acontece (e em que o anel toma algum protagonismo para tal acontecer). O sentido da história ficou dobrado no momento em que se achou pertinente mostrar o Radagast e de como Mirkwood se tornou Mirkwood, de como houve necessidade de mostrar o Conselho Branco (alterado, se é que isso significa alguma coisa) e de como provavelmente se sente a necessidade de vir a mostrar o assalto a Dol Guldur desviando-nos da essência do livro: a busca dos anões pelo seu tesouro e reino perdidos.

Portanto... O filme enquanto filme aguenta-se. Chamemos-lhe "Uma viagem inesperada", porque chamar o Hobbit leva a confusões com um livro cuja narrativa e "fim" (se é que se pode falar de "fim" neste contexto) diferem largamente daquilo que o autor do filme quis fazer. É um bom filme de aventuras, mas falha a toda a linha enquanto adaptação do livro.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: O Hobbit - Peter Jackson

Postby Samwise » 09 Jan 2013 18:40

Bugman wrote:Voltamos sempre ao que eu mencionei no meu primeiro comentário ao filme. O que existe apenas podem ser vistos como contextualições se se entender O Hobbit como aquilo que ele não é: uma espécie de capítulo 0 do Senhor dos Anéis. O foco do livro não é como Sauron sobreviveu à Última Aliança de Elfos e Homens e da sua re-ascensão. O foco do livro não é de como Bilbo encontra o anel. O foco do livro não é de como os anões andam a fugir de um Azog que morreu anos antes. O foco do livro é de como os exilados de Erebor querem recuperar o seu reino, de como Thorin quer recuperar a Arkenstone e para tal recorrem aos serviços contrariados de um hobbit.


O Hobbit não é o capítulo 0 do Senhor dos Anéis, mas a história precede-o cronológicamente (com uma geração Hobbitiana de diferença :mrgreen: ), a ponto de haver uma cadeia de eventos causa-efeito que os relaciona, e também de uma série de elementos e personagens que lhes são comuns. Não percebo por que é que as contextualizações em causa o tornam nesse capítulo 0, já que, mantenho, o grosso principal da história - quanto à sua temática, estrutura e personagens - não é alterado, ou sequer beliscado. Os temas principais (a essência, como lhe chamas mais à frente) do Hobbit provêm de duas narrativas que se interligam numa aventura central: de um lado o "quest" pela recuperação da cidade e tesouro perdidos pelos anões (+ a expulsão do Smaug), e de outro a "passagem à idade adulta" do Bilbo.

O foco do filme também não é nenhum desses acontecimentos de que falas, embora eles apareçam representados, ombro a ombro, com os outros que são "nativos", do livro (e que aparecem todos no filme, sem excepção).

Quem vir o filme pensa que O Hobbit existe para que o Senhor dos Anéis possa existir.


Tu ficaste com essa noção, eu não fiquei. Fiquei antes a pensar que faz sentido falar de certas coisas já que se está com a "mão na massa".

O Bilbo não decicidiu ir atrás dos anões devido ao apelo do seu lado "Took", ele foi praticamente empurrado por Gandalf e se ele corre porta fora não é por querer aventura é por ter medo de não honrar o contrato com os anões ao não chegar a horas ao ponto de encontro. Há uma grande importância dada ao "nome das espadas" e esquecemo-nos que o Sting ganhou o seu nome nas Misty Mountains, na fuga do Bilbo de Goblin Town. Há uma necessidade de dobrar a história para o Bilbo ganhar respeitabilidade entre os anões, e esquecemo-nos de um dos momentos em que tal acontece (e em que o anel toma algum protagonismo para tal acontecer). O sentido da história ficou dobrado no momento em que se achou pertinente mostrar o Radagast e de como Mirkwood se tornou Mirkwood, de como houve necessidade de mostrar o Conselho Branco (alterado, se é que isso significa alguma coisa) e de como provavelmente se sente a necessidade de vir a mostrar o assalto a Dol Guldur desviando-nos da essência do livro: a busca dos anões pelo seu tesouro e reino perdidos.


Continuo a ver nestes acontecimentos meros acrescentos de contextualização, servidos pelas crónicas da Terra Média, e não alterações à narrativa principal do livro. "Desvios à essencia", sim, mas apenas na "formulação" narrativa, na medida em que em determinados momentos não a estamos a seguir para nos focarmos nos contextos secundários, coisa que occorre através de pausas, e não através de supressões. Tornamos sempre ao fio principal e aos eventos do livro, mais cedo ou mais tarde.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
shadow_phoenix
Dicionário
Posts: 666
Joined: 04 Mar 2007 15:14
Location: Braga
Contact:

Re: O Hobbit - Peter Jackson

Postby shadow_phoenix » 20 Jan 2013 13:07

Sendo eu um grande fã dos três filmes da trilogia "O Senhor dos Anéis" (já os vi incontáveis vezes), para não falar dos livros, fui ver este filme ao cinema assim que pude. No geral, não desilude, mas confesso que não me entusiasmou tanto como os filmes de "O Senhor dos Anéis".

O tom deste filme é bem diferente, mais ligeiro e cómico, do da trilogia original, o que, para mim, tornou o filme menos envolvente e não me permitiu transportar para a Terra Média com tanta facilidade, embora melhore na segunda parte. Mesmo visualmente, existem diferenças notáveis quando comparado com a trilogia, o que arruína a ilusão de continuidade. Dito isto, os efeitos especiais estão brilhantes, provavelmente melhores que os de "O Senhor dos Anéis", e o filme está recheado de momentos memoráveis que se repetiram na minha cabeça durante vários dias depois de o ver.

A história, por seu lado, pareceu-me bem contada e, ao contrário do que eu receava, dado que "O Hobbit" é um livro relativamente pequeno, e sendo este filme apenas a primeira parte, não pareceu "esticada" nem recheada com palha. De facto, pareceu-me que este filme tinha menos cenas de paisagens que os filmes anteriores (não que eu me queixe quer de uma forma quer de outra).

A maior desilusão do filme, para mim, foi a banda sonora. Embora criada por Howard Shore, o mesmo compositor que trabalhou na trilogia "O Senhor dos Anéis", não a achei, nem de perto nem de longe, tão memorável. Porém, isto talvez se deva à estrutura do filme, que não se presta tanto ao uso de "leitmotifs".

No geral, não gostei tanto deste filme como dos três de "O Senhor dos Anéis", e atrevo-me até a dizer que não é um filme tão bom. Por outro lado, é extremamente divertido de ver, e junta-se sem dúvida à lista dos melhores filmes de fantasia de sempre. Um filme obrigatório para todos os fãs de fantástico, mas que, devido ao seu conteúdo mais ligeiro e cómico e às inúmera cenas "over the top" agradará também não fãs.


Publicado originalmente no meu blogue.

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: O Hobbit - Peter Jackson

Postby Bugman » 11 Apr 2013 16:51

Reuni e colei (um bocado a cuspo) as minhas intervenções neste tema para colocar no meu blog. O resultado em http://bugtural.blogspot.nl/2013/04/the-hobbit-unexpected-journey.html.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela


Return to “Cinema”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests

cron