Django unchained

User avatar
nimzabo
Enciclopédia
Posts: 972
Joined: 26 Sep 2009 22:07
Contact:

Re: Django unchained

Postby nimzabo » 04 Feb 2013 14:52

Por chinesices quero dizer as cenas das artes marciais.

Não sendo realizado pelo Tarantino há um filme que quase se podia incluir na tua lista.
O argumento é do Tarantino, o filme encaixa no seu género e tem uma extensa lista de bons actores. Não sei se conheces...
True Romance: http://www.imdb.com/title/tt0108399/?ref_=sr_1

User avatar
Anibunny
Edição Única
Posts: 2814
Joined: 10 Jun 2009 23:11
Location: Porto
Contact:

Re: Django unchained

Postby Anibunny » 04 Feb 2013 20:00

Ainda não vi o Kill Bill 2, mas achei o primeiro fraquinho :( Mas again depois de ver o Django, o Inglorious e o Pulp a coisa fica difícil de nivelar :)

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Django unchained

Postby Samwise » 04 Feb 2013 22:24

nimzabo wrote:O argumento é do Tarantino, o filme encaixa no seu género e tem uma extensa lista de bons actores. Não sei se conheces...
True Romance: http://www.imdb.com/title/tt0108399/?ref_=sr_1


Sim, conheço - para mim é o melhor filme do Tony Scott :D - e o facto do Tarantino ter assinado o argumento não deve ser um factor alheio ao resultado final da obra. Nota-se o dedo dele a acondicionar tudo, mas principalmente a nível de situações (incluíndo alguns stand-offs típicos, com reviravoltas improváveis pelo meio), personagens e diálogos. A sequência entre o Chistopher Walken e o Dennis Hopper é mítica. :bow:

Também gostei do Natural Born Killers, mas aparentemente o Tarantino ficou desapontado face àquilo que o Oliver Stone fez a partir do argumento...
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
nimzabo
Enciclopédia
Posts: 972
Joined: 26 Sep 2009 22:07
Contact:

Re: Django unchained

Postby nimzabo » 04 Feb 2013 23:06

Para mim a dupla do Natural Born Killers tá excelente

Uma coisa que ninguém refere é o excesso de violência destes filmes.
Lembro-me de no Scott Pilgrim Contra o Mundo http://www.imdb.com/title/tt0446029/?ref_=sr_1 , que é um filme que imita um jogo de computador, haver uma cena em que alguem é pontapeado no chão por um monte de gente. Eu vi o filme, creio que não muito tempo depois de uma rapariga ter sido pontapeada pelos colegas cá em Portugal e de isso ter passado mil vezes nas televisões. É uma cena que sendo real é chocante. Dessa vez quando voltei a ver a mesma cena no filme, agora a fingir, já não achei muita piada.
Acho que acontece um bocado uma banalização da violência e que isso é dado como espétaculo quando na verdade é uma coisa horrivel. O Django tem paletes disso. E se nos filmes do Tarantino se percebe que é um bocado para a palhaçada outros filmes há em que o acto de visualizar o filme parece puro sadismo. Estou-me a lembrar por exemplo do Brincadeiras Perigosas: http://www.imdb.com/title/tt0119167/?ref_=sr_2 (não o vi mas já o tive e andei a ver alguns instantes do filme de forma aleatória) mas sei que há outros exemplos com violência extrema e violações, por exemplo.
Mesmo no Bernie, filme que vi recentemente e do qual falei há poucos dias atrás, há uma cena que é suposto ter graça de um acidente de dois carros em que estão 4 adolescentes mortos todos esparramarados em cima dos carros e cheios de sangue. Confesso que me escapa um bocado onde está a graça...

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Django unchained

Postby Samwise » 08 Feb 2013 14:08

nimzabo wrote:Para mim a dupla do Natural Born Killers tá excelente

Uma coisa que ninguém refere é o excesso de violência destes filmes.


Tenho uma ideia algo contrária a esta - encontram-se bastantes críticas na imprensa especializada (em particular na norte-americana) que tocam no assunto, mas na maior parte dos casos são apreciadoras da sua apresentação "espectacular".

Acho que acontece um bocado uma banalização da violência e que isso é dado como espétaculo quando na verdade é uma coisa horrivel. O Django tem paletes disso. E se nos filmes do Tarantino se percebe que é um bocado para a palhaçada outros filmes há em que o acto de visualizar o filme parece puro sadismo.


* spoilers ahead *

Isto é um questão interessante, mas vou contrapor que à banalização da violência e às paletes que Django tem dela (concordo em absoluto), há um outro nível de violência subversiva que não é nada banal, e que em termos subliminares consegue penetrar de uma maneira que não sucede com a outra (precisamente por não ser "o costume"). Paralelamente aos repuchos de sangue e parte de corpos a voarem pelo ar (a palhaçada consciente e over-the-top), temos uma outra faceta menos gritante, que retrata os comportamentos humanos "consentidos" por parte dos escravos negros, e que é particularmente pertubante no filme. Por exemplo: a forma como uns são pessoas e os outros são animais num contexto de convívio que é enganadoramente promíscuo (aquilo que o Candy diz ao lutador quando termina o combate só tem paralelo na forma como um dono trata um cão, e como o cão aceita a "boa-vontade" do dono), a forma como as escravas deambulam pelas propriedades e se entretêem serenamente nos baloiços, as roupas aristocráticas que vestem, a ideia de disponibilidade sexual perante quem de entre os brancos o solictar, a confusão que sentem quando lhes pedem que tratem um negro como se fosse um branco, a infâmia de ver um negro fazer-se de servil, trair a raça, e passar-se para território inimigo a ponto de poder beber um whisky no escritório do proprietário - a ponto de gostar verdaderiamente dele como de um pai.

Aquilo que é gratificantemente perverso no filme - ver os "maus" a serem castigados como merecem, em jeito de justiça pelas próprias mãos - é-nos apresentado sempre de forma hiperbólica, talvez por ser de facto uma "desvio artístico" que espelha um lado ficcional que raramente terá sucedido na realidade. A este respeito, ver um eis-escravo a chicotear repetidamente um dos seus antigos capatazes e a descarregar depois um revolver sobre ele é um guilty-pleasure tão saboroso quanto ver um soldado judeu a rebentar o crânio a um comandante nazi com um taco de baseball.

Há uma série de níveis de subversão deliberada no cinema do Tarantino e que o tornam em muito mais do que uma simples palhaçada. O primeiro destes níveis tem a ver com factor diversão. A História (H grande) tal como apresentada no Django refere-se a um dos episódios mais vergohosos por que a humanidade já passou (e continua a passar), mas é impossível assistir ao filme sem nos sentirmos entretidos, a rir à gargalhada e a gostar daquilo que vemos. É um filme que gera em nós sentimentos contraditórios. Queremos sentir-nos mal com o que se está a passar mas a estratégia narrativa mais superficial leva-nos pela mão - empurra-nos, será mais adequado - para o lado contrário.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
nimzabo
Enciclopédia
Posts: 972
Joined: 26 Sep 2009 22:07
Contact:

Re: Django unchained

Postby nimzabo » 26 Feb 2013 23:26

O Christoph Waltz no Django faz basicamente o mesmo papel que fez no Inglorious Basterds.
A diferença é que no 1º era mau e no 2º é bom.
Acho curioso como consegue ser coisas opostas mantendo quase igual a personagem.

User avatar
Sharky
Edição Única
Posts: 4587
Joined: 19 Jun 2008 00:04
Location: Margem Sul
Contact:

Re: Django unchained

Postby Sharky » 27 Feb 2013 11:33

nimzabo wrote:O Christoph Waltz no Django faz basicamente o mesmo papel que fez no Inglorious Basterds. A diferença é que no 1º era mau e no 2º é bom.


:blink: Nem de perto faz o mesmo papel...achei excelente a personagem em Inglorious, já no Django achei bom. São filmes diferentes.

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Django unchained

Postby Bugman » 28 Feb 2013 09:57

Sharky wrote:
nimzabo wrote:O Christoph Waltz no Django faz basicamente o mesmo papel que fez no Inglorious Basterds. A diferença é que no 1º era mau e no 2º é bom.


:blink: Nem de perto faz o mesmo papel...achei excelente a personagem em Inglorious, já no Django achei bom. São filmes diferentes.


Concordo com o que a nimzabo disse. A impressao que fiquei (e exprimi ali em cima) é essa mesmo: tirando a roupa e o poliglotismo, sao a mesma personagem num tempo diferente. O facto de se ter achado num caso excelente e no outro apenas bom deriva de no segundo caso nao ser novidade; como já se viu aquilo antes, nao atinge com a surpresa do primeiro.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Anibunny
Edição Única
Posts: 2814
Joined: 10 Jun 2009 23:11
Location: Porto
Contact:

Re: Django unchained

Postby Anibunny » 28 Feb 2013 14:36

Não podem ser a mesma personagem ;P Um é bom (vilão), o Dr. King Schultz é bom (well dentro dos possíveis do Tarantino). Ele pega é nas personagens e dá o mesmo estilo de awesomeness que provavelmente outro não daria. Não estou a ver o DiCaprio a ver de Schultz, mas estou a ver o Christopher a fazer de Calvin.

User avatar
nimzabo
Enciclopédia
Posts: 972
Joined: 26 Sep 2009 22:07
Contact:

Re: Django unchained

Postby nimzabo » 28 Feb 2013 14:56

Dá-me ideia, e este é um bom exemplo, de que nalguns casos são mais os papéis, mais as personagens, que ganham os oscares do que os próprios actores.

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Django unchained

Postby Bugman » 04 Mar 2013 15:18

nimzabo wrote:Dá-me ideia, e este é um bom exemplo, de que nalguns casos são mais os papéis, mais as personagens, que ganham os oscares do que os próprios actores.


Dificilmente um óptimo actor salvará um mau guiao. Acredito que possa disfarçar a pobreza da coisa, mas daí a uma metamorfose...

Anibunny wrote:Não podem ser a mesma personagem ;P Um é bom (vilão), o Dr. King Schultz é bom (well dentro dos possíveis do Tarantino). Ele pega é nas personagens e dá o mesmo estilo de awesomeness que provavelmente outro não daria. Não estou a ver o DiCaprio a ver de Schultz, mas estou a ver o Christopher a fazer de Calvin.


Por acaso até vejo o DiCaprio a fazer o percurso inverso e a colocar no Schultz o mesmo estilo do Candee e a coisa em si nao destoa.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Django unchained

Postby Samwise » 04 Mar 2013 15:41

*** Mais spoilers ****

Entre as duas personagens, parece-me que há factores que os aproximam e outros que os afastam, mas que dentro dos primeiros existem características de personalidade que permitem e incentivam um mesmíssimo método de representação, que serve aos dois casos sem necessidade de grandes adaptações. As expressões corporais e faciais são praticamente as mesmas e será por aqui a facilidade de identificar uma só personagem.

Em primeiro lugar, aproxima-os uma personalidade extrovertida, que exulta cultura, capacidade de expressão, bonomia e uma certa simpatia no trato - tudo "qualidades" colocadas ao serviço de uma máscara hipócrita que esconde frequentemente terceiras intenções (e é também por aqui que entamos no território daquilo que os separa). Aproxima-os também a "profissão" a que se dedicam, e que é mais do que um simples trabalho que fazem a troco de dinheiro, é um modo de vida que se lhes encaixa como uma luva na personalidade - ele nasceram para serem caçadores (de homens) e é através do bom exercício dessa tarefa que se sentem realizados.

Separa-os o sentido moral. No caso do Landa, a moralidade pura e simplesmente não existe (só existe o ego e o prazer próprio). No caso do Schultz há um consciência estrutural, quase blindada e cuidadosamente erguida, que precede as acções - e que justifica o uso da força - há um fim que justifica os meios quando estes são "perversos". O Landa gosta de torturar as vítimas com conversa retórica antes de as matar (é inegável o prazer que retira do jogo, sendo que é ele que tem à partida a faca e o queijo na mão), enquanto que o Schultz fica emocionalmente afectado pela tirania da escravatura e pelas injustiças bárbaras a que os negros são sujeitos. O Landa é sobretudo um egoista (pensa em si acima de tudo e de todos, até do Reich e de Hitler - que ele prontamente sacrifica em troca de um futuro airoso) e o Schultz um altruísta, capaz de sacrificar uma parte da sua vida para ajudar o Django a libertar a mulher - portanto, neste caso a hipocrisia no trato é colocada ao serviço de uma intenção altruísta, e de uma finalidade inerentemente "boa".

Portanto, a questão continua no ar: é a mesma personagem? :mrgreen:
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
nimzabo
Enciclopédia
Posts: 972
Joined: 26 Sep 2009 22:07
Contact:

Re: Django unchained

Postby nimzabo » 04 Mar 2013 19:42

O Landa gosta de torturar as vítimas com conversa retórica antes de as matar (é inegável o prazer que retira do jogo, sendo que é ele que tem à partida a faca e o queijo na mão),

No filme brasileiro Lisbela e o Prisioneiro é ao contrário.
Há uma cena muito engraçada em que um 'matador de homens' está prestes a matar um homem que lhe pede misericórdia. Depois de alguma conversa ele lá diz que o outro se pode ir embora, que ele o deixa ir com vida. Depois de muito agradecimentos o homem vira costas todo contente para se ir embora e é só nessa altura que é alvejado.
Diz o matador para si mesmo - Não gosto de ver ninguem morrer triste :D
Aqui (é logo no principio, não é preciso ver tudo):

O filme é todo ele muito engraçado.

User avatar
Sharky
Edição Única
Posts: 4587
Joined: 19 Jun 2008 00:04
Location: Margem Sul
Contact:

Re: Django unchained

Postby Sharky » 10 Apr 2013 18:15

Django Unchained Ganha Uma Banda Desenhada

http://portalcinema.blogspot.pt/2013/04 ... banda.html


Return to “Cinema”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests

cron