As Cartas Da Minha Paixão 2

Lyquid
Capa Dura
Posts: 291
Joined: 29 Dec 2004 13:10
Location: Lisboa
Contact:

As Cartas Da Minha Paixão 2

Postby Lyquid » 21 Aug 2006 18:25

São quatro da manhã na minha cidade. A calma dos carros encostados para dormir só é interrompida por um sussurrar de passos cansados, expectantes. De quando em vez lá passa um carro, um turista perdido à procura do hotel depois de uns digestivos a mais. A noite olha-me de lado como a um estranho, desconfiada, curiosa pelo rilhar desta caneta nesta folha de papel.

São só palavras, minto eu. Só mais umas palavras enquanto os olhos marejados de lágrimas me obrigam a parar um pouco. Acendo mais um cigarro.

A minha ponte para ti teima em não tocar. De todos os ruídos e sons que me podiam trazer felicidade o que mais quero ouvir é a tua voz anunciada pelo toque metálico do telemóvel.

Hoje sinto-me um bocadinho como este cigarro que repousa nos meus lábios. Sinto-me queimar devagarinho. A culpa é do oxigénio. A culpa é desta boca ávida que me suga. A culpa é do isqueiro que começou tudo isto. O amor, essa besta quadrada que ainda não aprendeu que não se pode amar sozinho, que não podemos beijar os próprios lábios, nem Narciso o conseguiu.

Cansado olho esta branquidão que me fere os olhos e tento convencer-me que esta noite é um pesadelo. Como dizia o outro - "... e o dia começou tão bem...". Acho que o álcool que consegui ingerir já conseguiu ser apaziguado pela minha corrente sanguínea. O pouco bem estar que esse torpor me concedia já passou e agora só resta a lucidez. A lucidez suficiente para saber que me dói cada centímetro desta folha de papel. A lucidez suficiente para me recordar que não te tenho.

Sou um actor sem drama, um cantor sem voz, um cigarro quase fumado.

Passa um casal de mãos dads com uma noite de amor ainda pela frente. Como vos odeio! Como amo a felicidade que emana destes dois. Dá-me vontade de os agarrar pelos ombros e abaná-los, chocalhá-los até conseguir faze-los desaparecer da minha vista... seria por isto? Bem, mais vale fechar os olhos e esperar que se afastem.

Sinto-me aquele cão vadio que um bando de crianças chuta sem piedade só pelo prazer de provarem um pouco a sensação de poder, de impunidade. Eu só queria ser feliz. Um bocadinho. Queria passar o resto da vida a tentar merecer-te, merecer-me, merecer-nos.

Sinto-me um presente barato de uma gift-shop da Baixa a querer escolher o comprador enquanto uma série de turistas me toca, me tira da prateleira para espreitar o preço até decidirem que não valho nem meia vida, nem meio ano, se calhar só mesmo uma noite.

Esta noite em que o meu coração fala mais alto do que a minha voz. Mais uma noite em que consegui ser fiel ao meu amor. Sinto-me orgulhoso de mim, sinto-me bem ao olhar o reflexo no espelho.

Só a cama me espera, nunca a tua voz!

Lx, 2006
Jorge O.
Amo todas as palavras... especialmente as que não podem ser ditas em voz alta para não quebrar o encantamento, por isso são escritas e são entregues de peito aberto a quem quiser entrar nos nossos sonhos, nas nossas dores.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: As Cartas Da Minha Paixão 2

Postby Samwise » 22 Aug 2006 15:17

Lyquid, este está muito bom!

O clima de "solidão/noite urbana/quarto vazio" está exemplar e o texto tem novas soluções a cada parágrafo que surge.

Hoje sinto-me um bocadinho como este cigarro que repousa nos meus lábios. Sinto-me queimar devagarinho.

Este é apenas um exemplo... entre muitos!

E depois há aquela cumplicidadezita com o factor "caneta/papel", algo que encontro na escrtia de vários autores aqui do fórum, e que quando bem utilizada fica uma delícia.

Loved it!

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Venom
Encadernado a Couro
Posts: 488
Joined: 01 Jan 2005 03:17
Contact:

Re: As Cartas Da Minha Paixão 2

Postby Venom » 06 Sep 2006 01:25

Há também aquele sentimento de inveja, e do "não sou ninguém", que, a meu ver, está muito bem retratado. Gostei muito deste. Não sei que mais posso dizer, além do "gostei" e "está bom". Não acho correcto comentar quatro textos do mesmo autor a dizer sempre a mesma coisa. Estão os quatro originais e gostei de todos e mais não consigo dizer. Não tenho o sentido critico do Sam :sad: .
no sci-fi masterpiece depicts an AI that, upon coming online and searching its database in an effort to better understand mankind, responds by shouting, “You guys are awesome! We should get nachos!

Lyquid
Capa Dura
Posts: 291
Joined: 29 Dec 2004 13:10
Location: Lisboa
Contact:

Re: As Cartas Da Minha Paixão 2

Postby Lyquid » 06 Sep 2006 09:00

Venom, não tens que te desculpar por leres os meus textos e por escreveres nem que seja só uma palavra (é sempre uma forma que saber que existe um par de olhos atentos do outro lado do monitor). Quanto ás críticas do Sam, não vou mentir e dizer que não são das mais completas que passam pelos meus textos, mas são-o especialmente porque ele não se limita à forma nem ao tema do texto, consegue ler um pouco para além disso. Obrigado por qualquer palavra, mesmo seja um "não gostei", ou um "não está bom".

Jorge O.
Amo todas as palavras... especialmente as que não podem ser ditas em voz alta para não quebrar o encantamento, por isso são escritas e são entregues de peito aberto a quem quiser entrar nos nossos sonhos, nas nossas dores.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: As Cartas Da Minha Paixão 2

Postby Samwise » 06 Sep 2006 09:31

What the hell!

Não me sinto nada revisto nesses agraciamentos em relação aos meus comentários.

Eu até acho que digo muito pouco coisa e que omito muito do que haveria por dizer em relação aos textos. Dito de uma forma mais simples: se me dedicasse como deve ser a ler e a absorver estes trabalhos, e se depois disso me entregasse a fazer uma crítica em condições, não teriam apenas duas ou três linhas escritas meio no "despacha".
A sério!
O facto de eu comentar quase tudo o que leio não faz dos meus comentários grandes críticas.

Gostei do termo "leitor gémeo", Lyquid. A esse respeito, sim, sinto-me justiçado. Digamos que há coisas em comum entre nós...

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Aignes
Enciclopédia
Posts: 858
Joined: 05 Jan 2006 23:59
Contact:

Re: As Cartas Da Minha Paixão 2

Postby Aignes » 12 Sep 2006 00:16

Um texto de solidão muito bem conseguido. Não sei porquê, mas o adjectivo que mais relaciono com este pedaço de prosa é 'masculino'. Não tem demasiada 'lamechice' nem análise de sentimentos. Estes são apenas descritos à medida que aparecem, o que dá uma vertente diferente ao texto.

"A lucidez suficiente para saber que me dói cada centímetro desta folha de papel."

'doer cada centímetro da folha de papel' é uma expressão excelente. Acho que já me aconteceu :huh:

Gostei muito :thumbsup:
«The force that through the green fuse drives the flower
Drives my green age; that blasts the roots of trees
Is my destroyer.
And I am dumb to tell the crooked rose
My youth is bent by the same wintry fever.»


  • Similar Topics
    Replies
    Views
    Last post

Return to “Lyquid”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 3 guests

cron