Page 1 of 1

Estranha Amiga

Posted: 23 Oct 2006 08:56
by Lyquid
Lenta e lentamente vem ela,
faz-se anunciar por murmúrios frios,
pelo arrastar de pés cansados,
pelo adejar das suas vestes obscuras.

Mãos sem idade espreitam inertes,
como galhos quebrados pelo Inverno,
olhos cavos, raiados de vidas acabadas
brilham numa luminosidade ominosa.

Sinto-te chegar velha amiga.
Lenta e lentamente tocaste-me o ombro,
beijaste-me a face com lábios descarnados
e disseste: "Ainda não... mais tarde,
levanta-te desse limbo a que chamas tristeza
e luta pela felicidade para no auge ta roubar".

É uma amiga estranha, esta Morte.

2006, Lx
Jorge O.