Domingo à tarde de ressaca

User avatar
Arsénio Mata
Livro Raro
Posts: 1773
Joined: 01 Oct 2009 20:41
Location: Portimão
Contact:

Domingo à tarde de ressaca

Postby Arsénio Mata » 15 Nov 2011 01:00

Acordo perdido no meio de garrafas e pernas de pessoas. Dói-me a cabeça para caralho. É que não há mesmo outra expressão na língua portuguesa que defina a dor que sinto neste momento, não há recursos estilisticos ou figuras de estilo que forneçam ao leitor uma imagem próxima sequer do constante latejar que sinto nas têmporas. Dói-me a cabeça para caralho. Estou sentado num sofá com as pernas em cima duma cadeira e ao meu lado direito estão sentadas duas raparigas, tão juntas e apertadas que quase se aglutinam uma na outra. Ainda dormem. Há pessoas a dormir no chão, há pessoas a dormir estendidas em cadeiras, há pessoas a andar dum lado para o outro e alguns bebem ainda. O sol entra forte pelas frestas das persianas e parece ansiar que todos acordem, parece ansiar invadir aquela casa e com a sua luz purga-la de todas as perversões que ocorreram na noite passada e que ainda ocorrem, nesta semi-escuridão artificial.

Toca uma música num quarto, uma espécie de electo-swing e cheira-me muito a vómito. Sinto uma naúsea repentina e levanto-me a correr para a casa de banho, empurrando a cabeça de uma das miúdas contra a da outra. Abro a porta mas está lá um gajo a cagar e aquele cheiro a merda ainda me deixa mais nauseado. Saio cá para fora e vomito ali, mesmo no meio do corredor. Olho em volta e percebo que ninguém se vai importar se eu não limpar.

Procuro pelas minhas coisas e saio dali, abro a porta da casa e o contraste entre aquele ambiente pesado e espesso da casa e a suavidade do ar menos poluído da rua é uma lufada de ar fresco que aceito de pulmões bem abertos. As ressacas nunca são tão engraçadas como nos filmes. Nunca acordei com as cuecas de uma miúda no bolso, ou com uma tribal tatuada nos trícepes, ou numa cidade bela e distante.

A boca sabe-me a merda ferrugenta. A cabeça dói-me e arde-me. Os olhos fecham-se com vontade própria. Os músculos estão moles e dormentes. Sei muito pouco do que aconteceu ontem à noite, excepto que estive numa festa numa praia. E apesar disto tudo, a ressaca é a minha parte favorita da bebedeira. Tudo é tão pouco importante quando estou de ressaca, todas as vicissitudes, todas as grandes e pequenas questões, todos os avanços e recuos, todos os jogos e as suas regras e a imensamente ridicula insignificância da tragédia humana, tudo isso é tão pequeno que sinceramente sinto-me muito mais feliz quando ressaco o álcool que tanto me divertiu na noite anterior do que quando o bebo. Arroto com fúria e a garganta fica-me a arder, com um agre sabor a ácido.

Penso na noite anterior e com bastante esforço recordo-me de algumas das cenas que aconteceram, lembro-me de alguém em coma, ouço as sirenes tocarem, vejo uma faca, discussões e ameaças, sinto os cassetetes dos polícias partirem as costelas e esmagarem o crânio de um puto que se ri, corro com a multidão em festa, rindo-me, rimos-nos, e nesse momento sei que somos um exército vindo do inferno, os guardas de honra da legião de Lúcifer. E tão perfeito seria o mundo se isso fosse verdade. Mas não somos. Somos apenas miúdos perdidos no limbo entre a certeza do futuro pretendido e a ausência de um amanhã seguro. A banda sonora das nossas vidas seria o complemento perfeito numa encenação tragicómica.

Chego a casa, visto um pijama e sento-me laconicamente em frente ao pc. Ponho uns phones e ligo o Windows Media Player. A música que toca repete-se sem que eu o mande e o rapazhomemvelho grita-me: You left me broken hearted, but I never loved you anyway.

É domingo à tarde de ressaca e tu já não existes.
Only in the bloodline is this terror exposed
A knife to the eye of modern day times
Exactly what you've worked for.

A price for the pride
I can feel the distance coming
The holes in my lungs
Won't let me take this anymore.

http://umhomemsimpatico.tumblr.com/

User avatar
Sharky
Edição Única
Posts: 4587
Joined: 19 Jun 2008 00:04
Location: Margem Sul
Contact:

Re: Domingo à tarde de ressaca

Postby Sharky » 15 Nov 2011 12:09

Gosto disto, negro, forte, e nojento. Aquele outro lado das pessoas :tu:

User avatar
Arsénio Mata
Livro Raro
Posts: 1773
Joined: 01 Oct 2009 20:41
Location: Portimão
Contact:

Re: Domingo à tarde de ressaca

Postby Arsénio Mata » 16 Nov 2011 00:35

Obrigado Sharky. É mesmo isso que eu pretendo. :)
Only in the bloodline is this terror exposed
A knife to the eye of modern day times
Exactly what you've worked for.

A price for the pride
I can feel the distance coming
The holes in my lungs
Won't let me take this anymore.

http://umhomemsimpatico.tumblr.com/


Return to “Arsénio Mata”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 0 guests